ESCRAVIDÃO: Depois de CEF, BB deve suspender crédito à MRV

O Banco do Brasil (BB) também deve suspender a concessão de crédito à MRV, uma das principais repassadoras de recursos do Minha Casa Minha Vida. A mesma decisão foi tomada pela Caixa Econômica Federal nesta quinta-feira.

O banco público afirmou, em nota, que cumpre rigorosamente o estabelecido na portaria interministerial 2, de 12 de maio de 2011, que trata do cadastro de empregadores que exploram mão de obra análoga à escrava.

O BB também é signatário do Pacto Nacional pela Erradicação do Trabalho Escravo no Brasil. No entanto, as relações comerciais do BB com seus clientes são protegidas pelo sigilo bancário e comercial, disse, em nota, o banco.

O Ministério do Trabalho atualizou na terça-feira a lista e incluiu 118 infratores, entre eles dois projetos da MRV: Residencial Parque Borghesi, em Bauru (SP), e Condomínio Residencial Beach Park, em Americana (SP).

Também foi incluído no cadastro um projeto da Prime Incorporações e Construções (subsidiária da MRV), no bairro Jardim da Luz, em Goiânia.

O ministério afirmou que os infratores ficam impedidos de obter empréstimos em bancos oficiais do governo e também entram para a lista de empresas pertencentes à cadeia produtiva do trabalho escravo no Brasil.

O documento é utilizado pelas indústrias, varejo e exportadores para aplicação de restrições a fim de impedir a comercialização dos produtos advindos do uso ilegal de trabalhadores.

Na prática, caso a MRV queira contratar novos empréstimos, os bancos devem pedir documentos e informações relacionados à ação fiscal que deu origem à inclusão do infrator no cadastro, o que impede formalmente que a empresa tome qualquer financiamento.

A lista de empregadores que exploram mão de obra análoga à escrava é atualizada semestralmente. Os nomes dos infratores são mantidos por dois anos e, caso o empregador não volte a cometer o delito e tenha pago todas as multas, o registro é excluído.

As ações ON da MRV passaram a liderar a lista de maiores baixas da Bovespa desta quinta-feira, encerrando com recuo de 5,78%, a R$ 10,10.

OUTRO LADO

Procurada mais cedo pela Folha, por conta do primeiro anúncio de corte de crédito feito pela Caixa, nesta quinta-deira, a MRV disse que já está trabalhando junto aos órgãos competentes para prestar os esclarecimentos necessários e que acredita que a situação será resolvida em um curto prazo.

FONTE FOLHA DE S PAULO

2 Comentários

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 201.22.174.126 - Responder

    Quem é a Caixa Econômica para suspender concessão de crédito para a MRV? A Caixa também é escravagista. Coloca seus funcionários para trabalhar duas horas extras todos os dias, o que desconfiguraria, em tese que seriam extras, que tem caráter eventual e não habituais. Mas pior são horas a mais depois destas horas extras, sem o devido registro. No interior isto é praxe. E os funcionários que esperam do sindicato alguma ação não as tem. O Ministério Público do Trabalho tem de agir.

  2. - IP 189.103.67.236 - Responder

    alguem pode me explicar como fica o caso dos compradores que estão pagando a MRV e espeerando pelo finaiciamento da Caixa?

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

cinco × 4 =