PREFEITURA SANEAMENTO

ESCOLINHA DO PROFESSOR RAIMUNDO: Pedro Taques resolveu cobrar a tabuada, pessoalmente, dos candidatos a chefe do Ministério Público e vai sabatinar Paulo Prado, Vinicius Gahyva e Edmilson Pereira. A tendência, portanto, é que Pedro Taques desrespeite seu próprio compromisso de respeito à categoria e de nomeação do mais votado, e acabe impondo mais uma escolha imperial. Como já existem Gahivas na corte do governador, Vinícius deve ganhar este páreo

Paulo Prado, Vinicius Gahiva e Edmilson Pereira: captei, ó incomensurável guru!

Paulo Prado, Vinicius Gahiva e Edmilson Pereira: captei, ó incomensurável guru!

Este blogueiro é um entusiasta do lento e demorado processo de construção da democracia direta, razão pela qual me curvo à indicação do procurador Paulo Prado para um novo mandato à frente do Ministério Público de Mato Grosso. Não seria a minha escolha (eu, que não tenho competência, no jargão juridiquês, para participar desta escolha) mas foi a escolha majoritária de uma categoria profissional  e como tal ela deve ser respeitada. Como espero que o governador Pedro Taques nomeie também os dois diretores mais votados e já indicados por seus colegas de trabalho para continuarem à frente de duas diretorias da Empaer, os prezados Almir Ferro e Eliane Daltro. Seria bom que não só esses exemplos frutificassem no serviço público do Estado. Seria bom que todos os secretários fossem democraticamente eleitos pelo servidores de cada área – e assim por diante, e não indicados por corporações como a Aprosoja. Por enquanto, a eleição direta acontece em poucas áreas do serviço público. É um avanço, contudo, pelo qual deve se trabalhar, continuadamente. O fato da construção dos sovietes terem dado na enorme catástrofe em que acabou se transformando a União Soviética, sob a orientação stalinista, não quer dizer que a construção dos sovietes, proposta e implementada por Lenin, Trotsky e outras valorosas lideranças da revolução russa, primando pela participação direta do povo no controle dos negócios publicos, deva ser deixada de lado. Eu penso que não devemos desistir de nossas utopias, como não devemos desistir da democracia, que é essa grande utopia que vamos a cada dia realizando, até chegar a um sonho maior ainda, que é o sonho da construção da pátria socialista, nos moldes tão habilmente defendidos por tantos e tantos lutadores, pelos séculos afora.  E vejam só: por mais contraditório que tudo isso nos pareça, esse sonho de contínuo aperfeiçoamento das relações humanas passa, aqui em Mato Grosso, pela posse de Paulo Prado como chefe do PGJ, neste ano de 2015, em respeito à maioria dos seus colegas que tanto confiam nele, como demonstraram no processo interno do MP. Em um processo de construção democrática que se pretenda sério há sempre que se respeitar a vontade da maioria – e ter a paciência histórica de saber que o aperfeiçoamento democrático será sempre fruto de nossa paciência. Lutamos contra os métodos de ação e de trabalho de Paulo Prado, questionamos a ele em todos os espaços em que nos foi possível – mas perdemos naquela base de sustentação fundamental que é a categoria em meio à qual o Paulo Prado atua. Então, saibamos respeitá-lo como campeão de votos dentro da sua categoria, que ele é, e tenhamos a sabedoria necessária para continuar com nosso combate em favor de nossas idéias, sem jamais pretender arranhar os protocolos da construção democrática. Paulo Prado pode ser ruim, o processo de escolha que consagrou seu nome, contudo, é bom e deve ser exaltado, fortalecido, respeitado. Pior será concentrar ainda mais o poder nas mãos de um governador como Pedro Taques, com suas tendencias imperiais. Seria um retrocesso defender uma coisa dessas e eu me recuso a fazê-lo. Paulo Prado, portanto, chefe do MPE-MT, já!  Como diria mestre Saíto, replicando seu velho pai Gilson de Barros, é o que há. Confira o noticiário. (EC)

 

 

 

 

Candidatos passarão por sabatina

ALLINE MARQUES
DIARIO DE CUIABÁ

 

Os indicados na lista tríplice do Ministério Público Estadual para assumir a Procuradoria Geral de Justiça passarão por uma “sabatina” com o governador Pedro Taques (PDT) antes da escolha.

O chefe do Executivo deve iniciar conversas em separada com cada um dos três escolhidos pelos membros do MPE para depois decidir quem irá nomear para comandar o órgão.

Com forte ligação com o MP, até pelo fato de já ter sido procurador da República, Taques pretende manter diálogo com os três indicados antes de tomar a decisão.

Concorrem à vaga o procurador-geral Paulo Prado, que ocupa a primeira colocação com 147 votos, e ainda Vinicius Gahyva, com 68 votos, e Edmilson da Costa Pereira com 66.

Taques teria assumido um compromisso, ainda durante a campanha, de escolher o mais votado, porém cogita-se que o governador poderia abrir mão de nomear Prado para a Procuradoria.

Isto se deve também ao fato de o procurador ser ligado ao grupo político anterior e ainda ter sido um dos alvos da operação Ararath, que investiga crimes de lavagem de dinheiro e abastecimento de caixa “dois” em campanhas políticas.

Prado enfrenta resistência até porque iria para o quarto mandato, além seu grupo estar no comando há mais de 10 anos.

A ONG Moral apresentou uma carta aberta ao governador para que ele não escolha o procurador devido ao “histórico do comportamento do procurador, principalmente suas ligações com os governadores Blairo Maggi e Silval Barbosa, que demonstravam a falta de independência do chefe do órgão que tem obrigação de fiscalizar a aplicação das leis e o uso do dinheiro público”.

Ainda não foi informada a ordem e nem as datas das reuniões entre o governador e os indicados da lista tríplice.

A expectativa é de que ocorra ainda esta semana e a escolha saia na próxima. Isto porque o pedetista teria 15 dias para fazer a nomeação.

Taques já demonstrou que pretende trabalhar ao lado do MPE, inclusive nomeou dois promotores em seu staff: Mauro Zaque na Segurança Pública e Ana Luiza Peterlini, na pasta de Meio Ambiente.

18 Comentários

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 179.225.246.190 - Responder

    Creio que Pedro Taques não é um homem do qual a sociedade – me refiro a parte honesta dela – precise ter medo. Pelo contrário, parece a última esperança diante da situação, quase apocalíptica, que se vive hoje nesse estado.

  2. - IP 189.59.53.144 - Responder

    Enock, você está errado, pois o que devemos esperar do Governador é que ele escolha o mais competente. Escolher o mais votado pela corporação dos promotores e procuradores é se curvar ao corporativismo.

    Portanto, se o Governador achar que o mais competente é outro, ele pode e deve, em respeito ao povo que o elegeu, nomea-lo.

  3. - IP 189.59.50.52 - Responder

    Enock,se apequena cada vez mais,ao torcer descaradamente e impiedosamente contra o Governo Pedro taques,pois mesmo sabendo que o fracasso do governo,também representará o fracasso e o prejuízo para a sociedade,ele insiste nessa linha, para atender suas frustações por ter apoiado o Lúdio do PT e poe simplesmente não gostar do Pedro.Quer ver ele achar Pedro bom? É só dar um carguinho para o Enock, de preferência,na Secom!

  4. - IP 201.22.170.186 - Responder

    Sábias palavras Enock! Se a categoria o escolheu, respeitoso seria reconduzi-lo!
    Neste país de desigualdades e babelismos, ainda bem que tem-se a oportunidade de exercer a democracia, ainda que de modo mitigado e longe do ideal.

  5. - IP 189.72.223.91 - Responder

    Pedro Taques não foi eleito apenas pela parte honesta da sociedade mato-grossense. Para se chegar a esta conclusão basta uma rápida verificação na relação dos apoios e partidos políticos que sustentaram sua eleição. Ademais, seu slogan de campanha – “tô no doze” – desperta o que há de mais bárbaro e medonho nesta civilização que se forma no coração do Brasil, mas foi uma clara opção com vistas a atrair essa força política difusa que resiste ao avanço e permanece estagnada numa mediocridade que contamina toda a sociedade. O nível mental/espiritual das forças políticas que chegam ao poder com Pedro Taques está abaixo da média do País e, além disso, seu discurso fascista de combate à corrupção foi muito bem explorado no passado por Jânio Quadros, Fernando Collor e generais golpistas. Taques é apenas mais um ovo da serpente chocado num ambiente de negação da Política, no qual prevalece uma visão policialesca da própria Política e uma mediocridade média que se organiza para tentar governar e impor sua prática totalitária. Pode-se afirmar que os bárbaros estão chegando? Sim, creio que sim…

  6. - IP 189.59.69.195 - Responder

    Se o governador Pedro taques optar por escolher um que teve menos votos que o Paulo Prado, não fará um desserviço à democracia. Estará cumprindo a lei e até aprofundando-se no espírito da lei. Ou seja, para justamente evitar que alguém passe a exorbitar do poder, fazendo concessões para se eternizar no cargo, é que a lei estaria dando ao chefe do executivo o poder de optar por qualquer um dos escolhidos.

    De mais a mais Enock, dando um passo no sentido dessa democracia que você prega, os servidores do MPE-MT também deveriam ter direito a voto para escolher o chefe do órgão. E nesse exercício de democracia, fizeram uma eleição paralela, na qual o mais votado foi o 4º colocado entre os promotores e procuradores, Mauro Zaque.

    Logo, deixa o governador seguir a lei e escolher alguém novo, para que além de ficarmos livres do Riva, da dupla Blairo-Silval, também fiquemos livres do Dr. Paulo Prado e sua ineficiência para punir os criminosos do colarinho branco.

  7. - IP 191.198.151.88 - Responder

    Se sua opinião é essa, creio que foi sempre a favor das eleições da mesa diretora da assembleia legislativa das últimas duas décadas! Ou não?

  8. - IP 200.142.0.13 - Responder

    Dá uma olhada no folhamax de hoje (08/01/2015) e você mudará de opinião.

  9. - IP 189.31.3.248 - Responder

    Enock, depois da noticia de que o relatorio dos tecnicos do TCE concluiu que as verbas das férias pagas aos membros do MPE, pelo Paulo Prado e pelo Marcelo Ferra, foram ilegais, ou seja, superfaturadas, eu consegui entender porque o Aquele foi o mais votado. A Dilma também só foi reeleita graças ao Mensalão do Congresso e e pelo Mensalão dos Miseráveis, também conhecido como Bolsa Familia. Logo, nada significa o fato dele ter recebido tantos votos de seus asseclas. Isso e’ mero corporativismo. Mato Grosso esta’ passando por um período de depuração moral total e inegociável! Logo, se a sua tese e’ a defesa da democracia, lembre-se de que a Constituição da Republica e’ que deu ao Governador o direito de escolher um dos três candidatos mais votados na Lista Triprice. O MPE ficou parecendo a Assembléia Legislativa de Mato Grosso, onde o Riva, o Bosaipo e o Sergio Ricardo se revesavam no comando do Poder, durante décadas. Já passou da hora de mudar. CORAGEM PARA MUDAR, GOVERNADOR!!!

  10. - IP 189.31.3.248 - Responder

    Digo, Lista Tríplice.! Foi mal!..

  11. - IP 187.183.129.163 - Responder

    Gostaria muito de saber da boca de Pedro Demóstenes Torres Taques: o que ele diria, de preferência do Púlpito do Senado, se Lula ou Dilma tivessem chamado os três membros melhores votados do Ministério Público Federal para entrevistas individuais a fim de decidir qual deles seria o nomeado para o cargo de Procurador Geral da República? Sei, sei são situações extremamente diferentes, pois nesses doze anos de governos progressistas nas listas tríplices do MPF não constou nenhum nome sobre o qual pesassem denúncias tão graves quanto às que pesam sobre Paulo Prado, mas ninguém desconhece também que muitos dos nomeados, a exemplo de Roberto Gurgel, eram simpatizantes declarados dos partidos de oposição e não tinham a isenção necessária para ocupar o cargo, mas mesmo assim os presidentes Lula e Dilma respeitaram as escolhas democráticas feitas pelos membros do MPF nesse tempo todo, sempre nomeando o mais votado. Imaginem o que diria a mídia oligarquizada e monopolizada? E qual seria a reação dos membros do MPF? Quando isso ocorreu, pois FHC não respeitou a lista e nomeou o maior Engavetador Geral da República de todos os tempos, Geraldo Brindeiro, e o MPF à época ficou pianinho. Mas temos que nos acostumar com esse comportamento dos Demotucanos originais, e também dos disfarçados como Pedro Taques, pois o lema deles será sempre: faça o que eu mando, não faça o que eu faço. Agora, os candidatos do MPE aceitarem participar das entrevistas é que foi de arrepiar a espinha. O que essa gente não faz por um carguinho?

  12. - IP 201.57.87.66 - Responder

    É TRISTE VER UMA CAMBADA DE INVEJOSOS E FRUSTRADOS CRITICANDO O MPE… ESSE RELATÓRIO DO TRIBUNAL DO FAZ DE CONTA É UMA LÁSTIMA. DIZEM QUE “PODEM TER OCORRIDO ERROS E QUE O SISTEMA ERA FACTIVEL DE FALHAS” MAS NÃO DIZEM QUAL A FALHA, QUAIS VALORES FORAM PAGOS A MAIOR? QUEM RECEBEU MAIS DO QUE DEVIA? QUANTO RECEBEU? SÃO SÓ ILAÇÕES, CONCLUSÕES COM BASE EM HIPÓTESES. SOU PROMOTOR DE JUSTIÇA E ESTOU NESSA LISTA E DESAFIO O TRIBUNAL DE CONTAS A PROVAR QUE EU OU QUALQUER DOS OUTROS PROMOTORES RECEBEU QUALQUER VALOR A MAIOR OU QUE NÃO TINHAMOS DIREITO A ESTAS INDENIZAÇÕES. TODAS AS FÉRIAS SÃO PUBLICADAS POR PORTARIA É SÓ LEVANTAR UMA A UMA E DIZER QUEM TIROU OU NÃO AS FÉRIAS E SE TINHA OU NÃO DIREITO. CHEGA DE SUPOSIÇÕES, LEVANTEM INDIVIDUALMENTE A FICHA DE CADA UM, FAÇAM SEU TRABALHO DIREITO. ESTE TIPO DE ESPECULAÇÃO SÓ SERVE PARA ATRAIR MÍDIA E DESMORALIZAR AS PESSOAS, FAÇAM COMO O MPE FAZ INVESTIGUEM, APONTEM NOME A NOME E PROPONHAM AS AÇÕES CABÍVEIS, SEM COVARDIA, COMO FIZEMOS COM RELAÇÃO AO BOSAIPO E SÉRGIO RICARDO

    • - IP 189.59.53.174 - Responder

      Enquanto nós funcionários publicos ,simples e mortais,trocávamos,nossos precatórios só recebendo 30% do valor de face,os notáveis membros do MPE,trocavam esses mesmos precatórios por notáveis 90% do mesmo valor de face.Ao MP,não basta ser honesto,é preciso parecer honesto!

  13. - IP 189.59.51.238 - Responder

    Então, Sr. Juliano, o Senhor, mais do que ninguém, sabe explicar porque o seu nome estava naquela lista. E mais, sabe explicar, também, o que aquela lista estava fazendo na casa do Éder Morais, não é mesmo? Logo, fique à vontade. A palavra é toda sua…

  14. - IP 201.86.177.92 - Responder

    Conheço muito bem o Promotor Gayva, excelente promotor, homem sério, trabalhador, honesto…. seria muito bom ve-lo no comando do MP, mais oxigenação, menas politicagem…….

  15. - IP 179.83.204.92 - Responder

    Vamos dizer que Dr. Paulo tivesse um de 50 mil reais somando salário mais um terço.
    Bem, se recebeu 500 mil, seriam DEZ férias não gozadas. Para um homem doente, seria quase suicido.
    Seria legal deixar de tirar férias tantas vezes?
    Tem previsão legal o pagamento em dinheiro tantas vezes seguidas.
    Não queremos gritos, só queremos esclarecimentos.

  16. - IP 189.59.52.87 - Responder

    Mas para que então lista tríplice se a escolha tem que recair sobre o mais votado?

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

três × um =