ENOCK CAVALCANTI: Agora que saiu da cadeia, Marcel de Cursi parece que resolveu se vingar do tempo que passou no cárcere, humilhado, em  cela minúscula, por quase 2 anos

Marcel de Cursi, no Fórum de Cuiabá, nesta sexta, 28 de julho de 2017, com seus advogados Marcos Dantas e Goult Valente. Foto João Vieira, A Gazeta

Meus amigos, meus inimigos: agora que saiu da cadeia, o ex-secretário de Fazenda, Marcel de Cursi parece que resolveu se vingar do tempo que passou no cárcere. Humilhado, na cela minúscula, tomava banho de cuia, cagava em um buraco aberto no chão, dormia em cama de cimento, submetido à solidão das madrugadas e a um clima senegalesco, por determinação da juíza Selma Arruda, que atendeu a pedido do Ministério Público, através da promotora Ana Bardusco.
Vingança? Essa palavra talvez seja forte demais, mas a situação, sem dúvida nenhuma, é melodramática. O fato é que se viu o Marcel, em depoimento à própria juíza Selma, clamar que sua vida e sua carreira de servidor público foram destroçadas por conta das acusações lançadas sobre ele, de uma forma que define como infame.
Ora, Marcel demonstrou sua revolta com a atitude da promotora Ana Barbusco que o atirou no fétido xilindró do Centro de Custódia, em prisão preventiva, por quase dois anos, enquanto teria deixado na sombra, sem formular denúncias contra eles, os deputados Wagner Ramos, Guilherme Maluf, Romoaldo Junior, Mauro Savi e Luciane Bezerra, atualmente prefeita de Juara. Deputados que souberam saltar da base do governo de Riva e Silval para a base do atual governo de Zé Pedro Taques, com a maior cara de pau. E hoje são apresentados, por grande parte de nossa mídia amestrada, como verdadeiros santinhos. Claro que De Cursi pode estar simplesmente jogando merda no ventilador, mas o silêncio da promotora Bardusco, na tal audiência, diante do ex-titular da Sefaz, não explica nada.
Agora está nos jornais que esse mesmo Marcel de Cursi, como uma fera ferida, estaria prestes a revelar como ocorria a quebra de sigilos fiscais na Secretaria de Fazenda, durante a conturbada gestão do Silval. Entre os muitos sigilos quebrados estariam os dos desembargadores Marcos Machado e Rui Ramos, além do sigilo de um ministro do Supremo, o notório Gilmar Mendes. E como operadora desta quebra de sigilo, há quem garanta que o Marcel vai apontar, novamente, para a mesma promotora Ana Bardusco.
Quer dizer, aquela investigação que o inacreditável procurador Domingos Sávio Arruda pretendeu engavetar, na contramão dos interesses da sociedade mato-grossense, deve se abrir agora em nova trilha, a partir da revelação do esquema dos grampos ilegais, trazido à luz pelo promotor Mauro Zaque. E a gente vai descobrindo que pode haver mais maracutaias sendo praticadas pelos podres poderes de MT do que imaginaria nossa vã filosofia.
ENOCK CAVALCANTI, jornalista e blogueiro, é editor de Cultura do Diário

2 Comentários

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 201.92.239.24 - Responder

    CADE A IMPARCIALIDADE DESSE JORNALISTA???
    OU É IGNORANCIA OU MÁ FÊ, A PROMOTORA NÃO PODE PROCESSAR DEPUTADOS, POIS OS MESMO POSSUEM FORO PRIVILEGIADO, SENDO NESSE CASO RESPONSABILIDADE DOS PROCURADORES.
    QUANTO SERA QUE TA CUSTANDO A PUBLICAÇÃO NESSE SITE?

  2. - IP 187.183.179.158 - Responder

    Quem foi o titular de centenas e centenas de ações contra o então deputado José Geraldo Riva? Foi o Belzebu?

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

20 − 7 =