Em visita a Mato Grosso, Dilma festeja números que agronegócios tem alcançado no Estado, com apoio de seu governo, e garante que os pessimistas serão derrotados. Veja em vídeo, com apresentação da repórter Malu Prado. OUÇA ÍNTEGRA DO DISCURSO DE DILMA

A presidente Dilma fez a festa com as lideranças do agronegócios em Lucas do Rio Verde. A repórter Malu Prado mostrou, na TV NBR, os principais lances da visita

A presidente Dilma fez a festa com as lideranças do agronegócios em Lucas do Rio Verde. A repórter Malu Prado mostrou, na TV NBR, os principais lances da visita

Em Mato Grosso, Dilma diz que ‘pessimistas serão derrotados’

  • Presidente ouve pedidos por melhor infraestrutura durante evento com produtores agropecuários
  • TATIANA FARAH, ENVIADA ESPECIAL – O GLOBO
<br /> A presidente Dilma durante cerimônia de abertura oficial da colheita da safra brasileira de grãos 2013/2014<br /> Foto: Roberto Stuckert Filho/Presidência
A presidente Dilma durante cerimônia de abertura oficial da colheita da safra brasileira de grãos 2013/2014 Roberto Stuckert Filho/Presidência

LUCAS DO RIO VERDE (MT) – Um dia depois de chamar os adversários de pessimistas, a presidente Dilma Rousseff disse nesta terça-feira que “os pessimistas serão derrotados”. Pilotando uma colheitadeira, ela participou da abertura da safra de grãos 2013-2014, em Mato Grosso. Foi uma ato simbólico porque cerca de 30% da colheita, que começou em janeiro, já foi concluída.

– Aqueles pessimistas de sempre, eles serão derrotados pela força de nosso povo – disse Dilma em Lucas do Rio Verde, a 350 quilômetros de Cuiabá.

Ao lado de produtores agropecuários como a senadora Katia Abreu (PSD) e o senador Blairo Maggi (PR), Dilma chegou a dizer que o “o agronegócio venceu” no país. A presidente disse ter sentido alegria ao ver a soja sendo “jogada para cima” ao manusear a máquina de colheita. A safra deste ano é estimada pelos produtores em 196 milhões de toneladas.

Em meio à crise com o Estados Unidos por causa de uma política de barreiras, Dilma fechou o preço mínimo da arroba de algodão, gerando aplausos da plateia formada por cerca de dois mil produtores rurais do Centro Oeste.

– Nós, de fato, definimos um preço mínimo de R$ 54 a arroba (de algodão).

A afirmação da presidente foi uma resposta a uma reunião, a portas fechadas, com os maiores produtores da região. Eles cobraram de Dilma obras de logística e infraestrutura, além de políticas para o setor.

O Fórum Agro MT, que reúne as entidades de produtores do estado, entregou um documento de reivindicações como a aceleração das obras de duplicação da BR 163, que liga Sinop a Santarém, no Pará, e dos terminais portuários.

Os produtores queixam-se que não foram feitas obras de melhoria nos portos do Arco Norte. Outro ponto do documento trata da segurança da área de fronteira, que envolve 28 cidades. As entidades reclamam ainda do fechamento anunciado para março de quatro dos sete destacamento do Exército na fronteira com a Bolívia.

Dilma chegou ao Mato Grosso acompanhada dos ministros Cesar Borges (Transportes), Antonio Andrade (Agricultura) e Thomas Traumann (Comunicação). Também participam do evento o senador Pedro Taques (PDT) e o governador Silval Barbosa (PMDB)

Dilma disse que tem duas fixações: ferrovias e hidrovias.

– Infraestrutura logística neste país tem necessariamente de passar pela integração de rodovias, ferrovias e hidrovias – disse a presidente, que defendeu portos intermodais.

A presidente também criticou a “tradição de burocracia” do país e pediu que os produtores reclamassem dos trâmites para agilizar os processos no Brasil.

Ao final do encontro, Dilma ouviu o coro de funcionários dos Correios que protestam contra o serviço de saúde da categoria:

– Ei, Dilma, olha para os Correios – gritavam os servidores.

————

Dilma: Safra recorde é uma vitória do agronegócio

 DO BLOG DO PLANALTO

A presidenta Dilma Rousseff afirmou nesta terça-feira (11), em Lucas do Rio Verde, no Mato Grosso, ao participar da abertura oficial da colheita da safra 2013/2014, que a produção recorde é uma vitória do agronegócio. Previsão do 5º Levantamento de Grãos da Safra 2013/2014, divulgado hoje pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) mostra que a produção de grãos no Brasil deverá chegar a 193,6 milhões de toneladas, com um aumento de 3,6% em relação à safra passada, que foi de 186,9 milhões de toneladas.

“Essa vitória é o que nós estamos celebrando hoje aqui também, vitória do agronegócio do Brasil e do Mato Grosso (…) Quero comemorar o que nós conseguimos fazer juntos. Quero comemorar com vocês a fartura da safra em Lucas do Rio Verde (MT) e no Brasil. Comemorar com vocês também a chamada verticalização, que produz e transforma, cria um grande polo agroindustrial para o agronegócio do nosso país. Sabemos que é um diferencial grande na agricultura brasileira, que faz com que nos orgulhemos. São os ganhos crescentes de produtividade, que não podemos abandonar”, afirmou.

Para Dilma, o dinamismo dos produtores rurais brasileiros e o apoio governamental no crédito e no desenvolvimento de novas tecnologias fizeram do Brasil um exemplo para o mundo na produção agrícola. Aos produtores, a presidenta afirmou que o financiamento agrícola é crucial para o país e que por isso os investimentos crescem ano após ano. Ela lembrou que na safra 2002/2003 os agricultores tinham à disposição R$ 27 bilhões e que na safra 2013/2014 o Plano Agrícola e Pecuário alcançou a cifra de R$ 136 bilhões.

“Nós temos que considerar fundamental que o país tivesse política agrícola clara. Quando chegamos no governo, em 2003, lembro que a política agrícola tinha limitações fortes. Primeiro da disponibilidade de crédito, e a segunda no nível de juros. Sabe quanto era o total de recursos de crédito para agricultura na safra de 2002/2003? O que foi realizado, vou falar, foram R$ 27 bilhões. 27 hoje é quase todo o programa de armazenagem. Hoje, R$ 27 bilhões mostra que não era compatível com as necessidades da agricultura desse país. Nessa safra, nós nos comprometemos com R$ 136 bilhões. E dissemos o seguinte: se gastar mais, tem mais”.

Falando sobre o diferencial brasileiro neste setor, Dilma Rousseff destacou os números da última safra da produção de grãos, que cresceu 221% nas últimas duas décadas, enquanto a área plantada cresceu apenas 41%. “Isso é produtividade na veia”, disse a presidenta.

Produtividade que, segundo ela, foi alavancada pelo financiamento dos equipamentos das máquinas de última tecnologia à disposição dos produtores, com juros mais baixos. O outro ponto importante, destacou, foi formação de pessoal qualificado para trabalhar no campo, por meio do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec), criado pelo governo federal em 2011.

—————–

Safra recorde é ‘vitória’ do agronegócio do Brasil, diz Dilma

Presidente comemorou colheita de 193 milhões de toneladas de grãos.
Segundo ela, pessimistas serão derrotados pela ‘enorme força’ do povo.

Do G1, em Brasília, e do G1 MT

A presidente Dilma Rousseff disse nesta terça-feira (11), durante discurso em Lucas do Rio Verde (MT), que a colheita da safra de grãos 2013/2014, prevista em 193 milhões de toneladas, é uma “vitória do agronegócio do Brasil”.

Dilma pilota uma colhetadeira durante evento no MT que marca o início da colheita da safra 2013/2014 (Foto: Roberto Stuckert Filho/PR)
Dilma pilota uma colheitadeira durante evento no MT que marca o início da colheita da safra 2013/2014 (Foto: Roberto Stuckert Filho/PR)

O cálculo de 193 milhões de toneladas, um recorde para o país, foi feito pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). Segundo Dilma, no entanto, produtores e o Ministério da Agricultura afirmam que o número pode chegar a 196 milhões de toneladas.

“Isso em relação ao que obtivemos antes é uma vitória do  agronegócio no Brasil. Essa vitória é o que nós estamos celebrando hoje aqui também”, afirmou a presidente. Ela disse saber a importância do agronegócio e o quanto o Brasil pode ganhar “nesse processo, no presente e no futuro”.

Dilma aproveitou o discurso em Lucas do Rio Verde (MT), onde foi celebrada a abertura oficial da colheita da safra 2013/2014, para voltar a criticar os pessimistas. Ela disse que presenciar a produção e colheita de alimentos, era a certeza de que o país tem “competência e capacidade”. “É certeza que nós temos a competência e a capacidade, e que aqueles pessimistas de sempre, eles serão derrotados por essa força enorme que emana do nosso povo”, afirmou.

Presidente Dilma Rousseff joga para cima grãos de soja colhidos em Lucas do Rio Verde (MT) (Foto: Roberto Stuckert Filho/PR)
Presidente Dilma Rousseff joga para cima grãos
de soja colhidos em Lucas do Rio Verde (MT)
(Foto: Roberto Stuckert Filho/PR)

Antes do discurso, Dilma caminhou por uma plantação de soja e dirigiu uma colheitadeira. Em seguida, a presidente descarregou a soja colhida por ela e brincou de jogá-la para cima.

O prefeito de Lucas do Rio Verde, Otaviano Pivetta,comentou o passeio dado por Dilma na colheitadeira. “A senhora viu a beleza e a coisa sagrada que é a produção”, disse.

Dilma também brincou com o fato de ter dirigido a colhetadeira. “Eu estava conversando ali quando a gente estava fazendo… Arranjei minha segunda profissão, que além de presidenta agora, eu sou operadora de máquina. Mas eu estava conversando, aquilo ali é complexo, não é fácil operar aquelas máquinas”, disse.

Vaias
Ao deixar o palanque do discurso, a presidente por servidores dos Correios que estão em greve. Cerca de 30 funcionários participaram do protesto. Os servidores se manifestaram contra a terceirização do plano de saúde da categoria.

Em coro, eles gritaram frases de protesto, como “Não, não, não, nossa saúde não” e “Ei Dilma, para de correr”, numa alusão ao que eles consideram falta de diálogo do governo federal com os trabalhadores dos Correios.

A presidente não se manifestou sobre as vaias, que aos poucos foram abafadas pelos gritos de apoio à presidente de políticos e outras pessoas que acompanhavam o evento.

Críticas do MST
Na tarde desta segunda (10), dirigentes do MST  disseram em entrevista que o governo tem “optado politicamente pelo desenvolvimento do agronegócio” em detrimento da reforma agrária.

Cerca de 15 mil integrantes do MST, além de aproximadamente 250 pessoas de outros países participam até sexta-feira, em Brasília, do 6º Congresso Nacional para celebrar os 30 anos do principal movimento camponês do país. De acordo com a assessoria de imprensa do movimento, o MST possui mais de 900 assentamentos, que abrigam cerca de 350 mil famílias.

“Nos últimos anos houve um retrocesso caracterizado por uma aliança do governo com pessoas ligadas ao agronegócio, o que impede a ampliação da reforma agrária”, afirmou o dirigente Diego Moreira. Para ele, há uma “tática do governo que impede o avanço da reforma agrária.”

———–

Dilma diz que Estado precisa reduzir burocracia

 Danilo Macedo – Repórter da Agência Brasil Edição: Beto Coura
Lucas do Rio Verde (MT) - Presidenta Dilma Rousseff na cerimônia de abertura oficial da colheita da safra brasileira de grãos 2013/2014 e início do plantio da 2ª safra (Roberto Stuckert Filho/Presidência da República)
Presidenta Dilma na cerimônia de abertura da colheita da safra de grãos 2013/2014 Roberto Stuckert Filho/Presidência da República

A presidenta Dilma Rousseff disse hoje (11), em Lucas do Rio Verde (MT), a 330 quilômetros de Cuiabá, que o agronegócio brasileiro é exemplo de produtividade para o país. A presidenta falou também sobre a necessidade de o Estado se modernizar, diminuindo a burocracia.

Dilma participou da abertura da colheita da safra brasileira de grãos 2013/2014, e chegou a operar uma máquina colheitadeira de grande porte durante alguns minutos. Depois, ela viu a soja colhida ser despejada em uma lona.

“É uma imensa alegria assistir àquela quantidade de soja jorrando pela colheitadeira, conseguir pegá-la, jogar para cima e provar um grão de soja”, disse a Dilma, brincando que descobriu uma segunda profissão como operadora de colheitadeira. Falou sobre a importância da formação oferecida pelo Programa Nacional de acesso ao Ensino Técnico e Emprego aos profissionais treinados para operar a máquina.

A presidenta elogiou o crescimento qualitativo do agronegócio nos últimos 20 anos, tornando-se  exemplo de sucesso. “Nas duas últimas décadas, a produção de grãos cresceu 221% e a área plantada apenas 41%. Isso é produtividade na veia, e é isso que nós buscamos para todas as áreas do país”, disse. Dilma aproveitou para anunciar aos produtores de algodão o novo preço mínimo estabelecido pelo governo, que passará a R$ 53 a arroba do produto.

Como forma de aumentar a produtividade e reduzir gargalos burocráticos, a presidenta pediu à população, aos empresários e prefeitos que reclamem do excesso de papéis e peçam a simplificação dos processos. “Nós temos uma tradição de burocracia, do selo e do carimbo, que infelizmente é um pouco ibérica”, disse, destacando que só será possível traçar um horizonte de sucesso se governo e população modernizarem o Estado brasileiro.

“Os senhores têm de reclamar muito, queixar-se muito que tem papel demais nesse país e que nós temos de simplificar os processos. Não para diminuir fiscalização, não para deixar o mal feito acontecer, não para destruir o meio ambiente, mas, pelo contrário, para acabar com a multiplicidade das exigências desnecessárias”, disse a presidenta.

O local escolhido para abrir a colheita desta safra é representativo para a agricultura. Mato Grosso é o principal produtor de grãos do país. Colhe 30% da produção nacional, e o município de Lucas do Rio Verde é um dos destaques, com 1,5% da produção brasileira.

De acordo com o quinto levantamento da safra de grãos 2013/2014, divulgado hoje (11) pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), os produtores brasileiros devem colher 193,6 milhões de toneladas. O volume é 3,6% maior do que o da safra passada, que atingiu 186,9 milhões de toneladas. Segundo relatório da Conab, os preços desestimulantes e os estoques elevados de alguns grãos impediram que o aumento fosse maior.

Mesmo assim, o país  pode se tornar o maior produtor de soja do mundo, ultrapassando 90 milhões de toneladas colhidas nesta safra, e superar os Estados Unidos. Associada ao  milho, que deve passar de 75 milhões de toneladas, os dois produtos representam mais de 85% da produção nacional de grãos. O plantio de grãos ocupa 55 milhões de hectares.

De acordo com o governo, as exportações do agronegócio brasileiro renderam, em 2013, R$ 99,7 bilhões, um crescimento de 4,3% em relação a 2012.

 

 

 

OUÇA A INTEGRA DO DISCURSO DE DILMA

Categorias:Nação brasileira

11 Comentários

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 189.59.54.25 - Responder

    Gostaria de saber apenas a titulo de informação ,o que o governo da Dilma fez até agora para o agronegócio de MT.Porque a reportagem é clara: “COM APOIO DO SEU GOVERNO”,então é fundamental essa complementação de informação! Obrigado.

    • - IP 201.49.165.95 - Responder

      O apoio de seu governo (Lula e Dilma) dito pelo prefeito de Lucas, foi que, nos últimos 12 anos, aumentou a linha de crédito para os produtores. Quer saber mais: entre no site http://portal.mda.gov.br/plano-safra-2013/

  2. - IP 200.140.17.31 - Responder

    esse povo do pt são malandros mesmo sempre foram e são contra o agronegocio matogrossense brasileiro agora para querer aparecer para a midia já que é ano eleitoral vem inaugurar aquilo que sempre são contra não entendo tamanha falcidade desses petistas mentirosos caras de paus.

    • - IP 201.24.48.222 - Responder

      Quanta tolice.
      Se o governo da presidente Dilma fosse contra o agronegócios, ela não teria disponibilizado tantos recursos federais, através dos bancos oficiais, para financiar esta nossa maior safra agrícola dos últimos tempos.
      Quem está querendo aparecer ai em ano eleitoral é o senador Pedro Taques, por exemplo, que foi lá só para aparecer, quando sabemos que ele sempre foi contra o governo federal e no Senado nada fez para favorecer essa nossa fantástica colheita agrícola.
      Esse sim é um cara de pau.

  3. - IP 189.59.54.25 - Responder

    Só para cutucar a turminha “chapa-branca”:porque ela a Dilmais não foi de carro pela BR-163?De helicóptero ela ,a 163, é linda!

    • - IP 201.24.48.222 - Responder

      Tenha a certeza de que a presidente Dilma JÁ CONHECE muito bem a situação da BR 163.
      Por que você acha que ela priorizou em seu governo a concessão justamente da BR 163?
      Por que você acha que ela determinou a duplicação da BR?

  4. - IP 177.65.159.37 - Responder

    ficou evidente o carisma da dilma

  5. - IP 179.253.184.102 - Responder

    Mas porque ela não viajou pela BR 163 ?????
    É realmente uma mulher dada a espetáculos para enganar incautos.
    Nossa produção bate recordes e esse governo corrupto não dá conta de manter uma BR em condições de tráfego.

    • - IP 201.24.48.222 - Responder

      Tenha a certeza de que a presidente Dilma JÁ CONHECE muito bem a situação da BR 163.
      Por que você acha que ela priorizou em seu governo a concessão justamente da BR 163?
      Por que você acha que ela determinou a duplicação da BR?
      Você não pode é esperar que as obras de duplicação da BR fique prontas assim de um dia para outro, né?

  6. - IP 201.24.48.222 - Responder

    Parabéns a presidente Dilma, que é diretamente responsável pela maior safra agrícola da história de Mato Grosso.
    Através dos bancos oficiais, não faltaram recursos federais para financiar os produtores rurais mato-grossenses.
    Também deve ser comemorado a importante conclusão do trecho da ferrovia de Alto Araguaia até a cidade de Rondonópolis, a segunda maior cidade de Mato Grosso.
    Comemora-se ainda o anuncio da chegada até a cidade de Lucas, no coração nosso Estado, da ferrovia FICO (Ferrovia Centro Oeste), que certamente irá resolver definitivamente nosso gargalo no escoamento da produção agrícola.
    Finalmente, comemora-se o andamento da sonhada duplicação da BR 163, além do processo de concessão em que nós, usuários da BR 163, pagaremos futuramente de tarifa de pedágio a metade do valor inicialmente estabelecido em edital.
    É claro que, apesar de todos estas importantíssimas ações do governo federal, sabemos que este ano ainda teremos que conviver com nossa histórica limitação viária.
    Pensando nisso, é de comemorar ainda o anúncio feito ontem pelo governo federal da liberação de recursos para construção pelos produtores de armazéns para guardar sua produção, evitando-se assim que toda nossa safra agrícola tenha necessariamente que ser transportada ao mesmo tempo, imediatamente no mês da colheita, mas que possa ser transportada de maneira regular e ordenada ao longo de todo o ano de 2014.

  7. - IP 187.5.110.90 - Responder

    No Mato Grosso o progresso não acontece POR CAUSA DO GOVERNO, mas APESAR do governo Dilma.

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

quatro + 17 =