Em carta aberta a Pedro Taques, Ong Moral volta a apresentar veto à nomeação do procurador Paulo Prado para novo mandato como chefe do Ministério Público. “Pedimos, em nome das pessoas de bem deste Estado de Mato Grosso, que a escolha de Vossa Excelência recaia, dentre os que compõem a lista tríplice, naquele candidato que detenha perfil e condições éticas de enfrentar as importantes atribuições do MP”, escreve a Ong. LEIA A CARTA

Ong Moral pede a Pedro Taques que não nomeie Paulo Prado para a PGJ-MT by Enock Cavalcanti

 

Ong Moral avalia que Paulo Prado "afinou" diante de políticos como Geraldo Riva e Blairo Maggi e volta a insistir na tese de que o procurador seria um dos investigados na Operação Ararath

Ong Moral avalia que Paulo Prado “afinou” diante de políticos como Geraldo Riva e Blairo Maggi e volta a insistir na tese de que o procurador seria um dos investigados na Operação Ararath

 

 

 

Ong Moral pede que Pedro Taques não dê novo mandato a Paulo Prado

Tarley Carvalho
24 Horas News

O Movimento Organizado pela Moralidade Pública e Cidadania – ONG MORAL, protocolou na tarde desta sexta-feira (2) uma Carta Aberta ao governador Pedro Taques reivindicando que ele não dê nova posse, para um novo mandato, ao procurador-geral de Justiça de Mato Grosso, Paulo Prado. O motivo seria que o envolvimento do procurador nas investigações da Operação Ararath, da Polícia Federal, ainda não foi esclarecido.

Esta não é a única razão para a ONG fazer o pedido. De acordo com a carta, o movimento também culpa Prado pela permanência de Riva na Assembleia Legislativa, mesmo com mais de 100 processos e algumas condenações.

Como argumentação, a ONG afirma que Prado, por ter relações com os ex-governadores Silval Barbosa (PMDB) e Blairo Maggi (PR), não possui independência para fiscalizar a aplicação do dinheiro público.

“Os membros do GAECO, escolhidos pelo Procurador Geral de Justiça, priorizam o combate ao tráfico de drogas em detrimento dos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro, não tendo havido nenhuma operação para fiscalizar a Assembleia Legislativa”, diz trecho da carta.
—————

ENTENDA O CASO

MINISTÉRIO PÚBLICO

Lista Tríplice já está com Taques para nomeação na PGJ

Diário de Cuiabá

O Ministério Público Estadual encaminhou ao governador Pedro Taques (PDT) nesta sexta-feira (02), a lista tríplice com os candidatos à Procuradoria-Geral do órgão.
O documento foi entregue pelo procurador-geral de Justiça adjunto, Hélio Fredolino Faust; presidente da Associação Mato-grossense do Ministério Público (AMMP), Miguel Slhessarenko Júnior e pela presidente da comissão eleitoral, procuradora de Justiça Valéria Perassoli Bertholdi.
O Chefe do Poder Executivo, por força do dispositivo legal, terá 15 dias para nomear o próximo Procurador Geral de Justiça que irá comandar a instituição no próximo biênio 2015/2017.
A posse está prevista para a primeira quinzena de março. Constitucionalmente, é prerrogativa do Governador do Estado a escolha de um dos três nomes mais votados pelos membros do Ministério Público.
Na eleição realizada em 10 de dezembro de 2014, o atual procurador-geral Paulo Prado, candidato à reeleição, ficou em primeiro lugar na lista tríplice, com 147 votos entre os 213 votantes. Em seguida, ficou o promotor de Justiça Vinícius Gahyva e o procurador de Justiça Edmilson da Costa Pereira com 68 e 66 votos, respectivamente.
A lista tríplice foi constituída mediante votação obrigatória de todos os membros ativos da instituição, que puderam optar por até 3 nomes.

5 Comentários

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 189.10.9.26 - Responder

    A ONG Moral recebeu alguma delegação para nomear o chefe do MP? Não, deve ser o vinho desses dias festivos.

  2. - IP 201.34.220.107 - Responder

    Kkkkkkkkkkk!… Essa foi boa, Bira! E o Marcos Regenold, heim? Ainda esta’ solto por que?

    • - IP 179.245.162.217 - Responder

      Esta ONG tem prestados relevantes serviços à Mato Grosso. “Mas pisou na maionese”: ..1º – Os envolvidos na operação Ararath já estão fichados no STF (só consultar INQ 3842), dentre eles o ex-governador SILVAL; O senador B. MAGGI; O prefeito MAURO MENDES – o nome do P. PRADO não consta; ..2º – O Paulo PRADO propôs diversas ações penais contra RIVA; ..3º – As ações de improbidade compete aos promotores do patrimônio público, VIDE esta notícia: “Ministro cassa liminar que impedia investigações de desvio de R$ 100 mi da Assembléia Legislativa” ( http://www.mpmt.mp.br/mobile/conteudo.php?sid=58&cid=40596 ); ..4º – O Procurador-Geral de Justiça não pode interferir no trabalho do Promotor de Justiça, que goza de autonomia funcional. Ele detém poder administrativo na Instituição. ..5º – Vivemos em um país democrático, a ONG representou contra o P.PRADO e a representação foi arquivada, portanto, ONG MORAL tem que aceitar que está pisando na bola neste fato (perseguição …???) ..6º – O P.Prado foi mais votado, onde o eleitorado é composto exclusivamente, por respeitáveis promotores e procuradores. A ONG está duvidando do resultado da eleição interna???

  3. - IP 187.7.212.2 - Responder

    É UMA LÁSTIMA VER UMA REPRESENTAÇÃO DESTAS CONTRA A NOMEAÇÃO DE UM PROCURADOR GERAL DE JUSTIÇA. ALGO ESTÁ ERRADO OU COM O MPE OU COM A MOTIVAÇÃO DESTA ONG. AO QUE PARECE O PROBLEMA É O APEGO EXAGERADO AO PODER, ORA SE O SUJEITO JÁ FOI PROCURADOR GERAL POR TRES MANDATOS SERÁ POSSÍVEL QUE NUMA INSTITUIÇÃO COM MEMBROS TÃO QUALIFICADOS – PROMOTORES E PROCURADORES DE JUSTIÇA – NÃO EXISTEM OUTRAS LIDERANÇAS CAPAZES DE CONDUZIR A INSTITUIÇÃO?????

  4. - IP 177.132.246.169 - Responder

    Será que não existe outro membro competente e de ilibada conduta no MPE de MT para ocupar essa função? Pelo jeito parece que esse senhor quer se eternizar no comando. Isso não combina com os ventos de mudança tão propalados pelo novo governador onde tem a inteiro apoio da sociedade.

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

dezessete + vinte =