PREFEITURA SANEAMENTO

A pedido de Riva, MP fará devassa nos negócios de Eraí

José Geraldo Riva, deputado estadual e cacique do PSD em Mato Grosso, e o empresário Eraí Maggi, que é apontado como o maior produtor de soja em Mato Grosso. Na Assembleia Legislativa, a aventada CPI da Bom Futuro parece que, devidamente acertada, já foi pro buque mas as investigações contra as possíveis fraudes perpetradas pelo primo mais rico de Blairo Maggi devem prosseguir no âmbito do Ministério Público

José Geraldo Riva, deputado estadual e cacique do PSD em Mato Grosso, e o empresário Eraí Maggi, que é apontado como o maior produtor de soja em Mato Grosso.
Na Assembleia Legislativa, a aventada CPI da Bom Futuro parece que, devidamente acertada, já foi pro buque mas as investigações contra as possíveis fraudes perpetradas pelo primo mais rico de Blairo Maggi devem prosseguir no âmbito do Ministério Público

ALVO DE CPI

Em sigilo, MPF faz devassas nos negócios do “Rei da Soja”

Do jornal A Gazeta

O Ministério Público Federal (MPF) colocou sob sigilo a apuração das denúncias feitas pelo deputado estadual José Riva (PSD) quanto à existência de um suposto esquema de sonegação fiscal por meio da Cooperativa Agroindustrial de Mato Grosso (Cooamat), que tem entre seus cooperados o empresário Eraí Maggi (PP). A expectativa do parlamentar é que o MPF investigue os indícios de que o grupo Bom Futuro, conglomerado de empresas que atua no mesmo ramo da Cooamat – estocagem e exportação de grãos – e é propriedade de Eraí, estaria se benficiando ilegalmente da isenção de impostos federais, como o IOF (Imposto Sobre Operações de Crédito), concedida exclusivamente ao sistema de cooperativismo. Enquanto cooperativas pagam 0,38% desta taxa, o valor para empresas comuns chega a 6%.
Além do MPF, a denúncia de Riva foi formalizada junto ao Ministério Público Estadual (MPE), Ministério Público do Trabalho (MPT), Polícia Federal (PF), Receita Federal e Delegacia Especializada em Crimes Fazendários e Contra a Administração Pública (Defaz). No MPE, o caso está sob os cuidados do promotor de Justiça Wagner Cézar Fachone, da 12ª Promotoria de Justiça de Defesa do Patrimônio Público e da Probidade Administrativa. O caso foi distribuído no último dia 5, mas de acordo com o promotor ainda não teve nenhuma movimentação.
Fachone deve iniciar as investigações preliminares nas próximas semanas. A ele deve caber apurar as denúncias de sonegação de impostos estaduais, como o ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços). As suspeitas são de que o grupo Bom Futuro estaria utilizando combustível e insumos comprados pela Cooamat, que é beneficiada com isenção fiscal sobre essa taxa.
Entre as acusações levadas por Riva aos orgãos fiscalizadores está ainda a de que a Cooamat e o grupo Bom Futuro estariam vendendo em mercado interno produtos destinado à exportação. O motivo seria a desoneração de impostos estaduais prevista na Lei Kandir

3 Comentários

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 191.33.160.211 - Responder

    acertaram na assembleia? a cpi era só uma armação? isso não é um escandalo, senhor enock?

  2. - IP 179.252.49.52 - Responder

    Gostaria de saber do nobre Deputado, José Riva, se em vez do Erai ter apoiado o Taques tivesse apoiado ele ou o Lúdio, o barulho seria o mesmo?

  3. - IP 187.6.197.115 - Responder

    E AS OUTRAS 299…???
    ESSE HAMSTER SÓ PODE ESTAR DANDO ALGUM BOTE…

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

4 × 2 =