ELEIÇÕES 2020: Acordão na Chapada pode unir Eduardo Botelho, Thelma, Julinho e Wilson Santos

Botelho, Thelma, Julinho e Wilson

Meus amigos, meus inimigos: existem mais coisas entre o céu e a terra do que imagina a nossa vã filosofia. É o que penso, ao receber novas informações, de fontes da oposição, sobre a pré-campanha eleitoral neste curioso espaço político-administrativo que é o município de Chapada dos Guimarães, em Mato Grosso.

A atual prefeita, Thelma de Oliveira, viúva do ex-governador e homem das Diretas Já, Dante de Oliveira, é atualmente uma pessoa enferma, combalida, que se recusa teimosamente a passar o cargo para seu vice, Osmar Froner, para se dedicar com maior tranquilidade ao tratamento da própria saúde, abalada por um câncer, que diz ser de mama, e pela contaminação pelo Covid 19.

Pobre Thelma, presa no jogo da política. Espero que sobreviva a tudo isso, a pobre (mas rica, muito rica) Thelma de Oliveira.

Vejam que um dos mais destacados correligionários da prefeita, o deputado estadual Wilson Santos, um político conhecido e reconhecido em Mato Grosso, pelo que me dizem, é quem mais defende e vem empurrando a prefeita Thelma para mergulhar na campanha pela sua reeleição. Ela deveria parar e tratar da Saúde, mas parece que Wilson, segundo as minhas fontes, não admite isso porque os tucanos não contam com outro nome viável na Chapada – e o Wilson precisa da pobre Thelma no governo.

Na corrida pela eleição de Thelma, estaria em andamento um acordão do PSDB com o DEM, partido do veterano Julinho Campos e do atual presidente da Assembleia, Eduardo Botelho. Uma briga que azedou esta semana, com os xingamentos disparados por Julinho contra o atual presidente do diretório do DEM em Chapada, Sérgio Rezende – revelados pelo RD News. Os candidatos listados e com maior visibilidade política na região para a disputa da Prefeitura de Chapada pelo DEM são os empresários Benedito Ribeiro da Costa Filho, mais conhecido como o Didi da Pousada do Didi, Luizão, André Domingos e o empresário Ricardo Sarmento.

O acordão em Chapada visaria firmar uma coligação entre o PSDB e o DEM, na majoritária, unindo aquelas correntes que se submetem aos interesses do Julinho, do Botelho, mas também da prefeita Thelma e do deputado Wilson Santos. Quando o Julinho grita, se descabela e esperneia, no seu conhecido estilo histriônico contra Sérgio Rezende – presidente do DEM no município, ele nada mais faz do que brigar pela escolha do seu favorito, que é o empresário Didi da Pousada, tentando isolar aqueles que não rezam por sua cartilha, como no caso do empresário Ricardo Sarmento, e levar a cabo seu plano eleitoral.

E minhas fontes explicam mais fundo: quando Wilson e a podre Thelma articulam um acordo com Julinho e Botelho, eles não estariam articulando simplesmente a eleição de uma chapa, ou uma melhor governança para Chapada. O que estas lideranças políticas tão experientes buscariam, de fato, é manter o domínio que já mantém, sobre o atual governo tucano da Chapada, sobre a administração daquele município, através de uma série de contratos de compras e prestação de serviço que favorecem a empresas que atendem aos seus interesses.

Vejam que o PSDB de Wilson e da pobre Thelma perdeu a grande influência política que já teve no passado, nos tempos gloriosos de Dante, no Estado e em diversas prefeituras mato-grossenses. A prefeitura de Chapada, então, se transformou na “galinha de ovos de ouro”, em um domínio muito importante para a captação dos recursos de que Wilson e Thelma precisam para tocar seus negócios políticos e outros mais. Em outras palavras, seria de alguns contratos, celebrados à sombra da Prefeitura de Chapada, segundo as minhas fontes, que estariam saindo os recursos para pagar dívidas de campanhas de 2014 e 2018, passadas, e também respaldar o pagamento de dívidas futuras desses políticos tucanos.

A mesma coisa acontece com os políticos do DEM pois, como se sabe, a Chapada também é um município no qual o deputado e empresário Botelho sempre conseguiu encaixar muitos negócios, em várias administrações municipais e, nesta gestão, pelo que informam as fontes, ampliou e muito a sua influência. E Julinho, também com propriedades e negócios na cidade, estaria querendo bicar nesse filão. Daí o acordão que agora estaria se celebrando.

O acordão é para que a parceria político empresarial dos tucanos com o DEM se expresse em uma futura chapa eleitoral, a ser em breve definida, que deve ter a pobre Thelma mais uma vez como candidata à reeleição, ela que deveria prioritariamente tratar de sua saúde, e como vice um nome do PSDB, da irrestrita confiança do deputado Wilson Santos, subordinado tanto aos interesses de Wilson-Thelma quanto aos interesses de Botelho-Julinho. Esses políticos querem continuar, dentro da maior legalidade possível, é claro, fazendo o “limpa” na Prefeitura de Chapada dos Guimarães, é que informam as minhas fontes.

As minhas fontes também dizem que o acordão pode envolver desdobramentos mais esdrúxulos ainda. O empresário Didi da Pousada, através deste acerto, via Julinho/Botelho – DEM e Wilson Santos/Thelma – PSDB, ocuparia inicialmente a candidatura do DEM, afastando Domingos, Sarmentos e outros não alinhados, e, logo após, com o andar da campanha, faria a adesão à candidatura de Thelma de Oliveira – PSDB, em troca de secretarias no futuro governo. Sim, na política também existe uma Bolsa de Futuro, como acontece nos negócios da soja e demais commodities. O candidato a vice, na chapa tendo Thelma na cabeça, obrigatoriamente, deve alguém do PSDB, da estrita confiança do Wilson Santos. Uma vez reeleita, a pobre Thelma, agora sim, se afastaria para o tão necessário tratamento de saúde, deixando o preposto do Wilson como prefeito para cumprir o resto do mandato, tendo diversos políticos do DEM como secretários. Com o compromisso de apoiar, na eleição seguinte, uma candidatura do DEM, de indicação de Júlio Campos.

Não podemos esquecer que, com as contas de gestão dos anos 2017, 2018 e 2019 indo na mesma direção, reprovadas pelo Tribunal de Contas de Mato Grosso, com inúmeras irregularidades, conceituadas como GRAVISSÍMAS pelos técnicos da Secretaria de Controle Externo – SECEX e recorrendo a golpes, de recursos esdrúxulos, com mentiras junto ao TCE e Judiciário para impedir a Câmara de Vereadores de julgar, a prefeita Thelma de Oliveira está, realmente, sem o menor resquício de respeito para com cidade de Chapada dos Guimarães e seus cidadãos. E sua recandidatura não é toda esta bala de prata que Wilson imagina, no seu desvario.

Doente, com câncer, quase não vai ao município. Desde o início da pandemia não comparece na Prefeitura. Desde então delegou toda a gestão administrativa a um procurador e ao secretário de Administração, gestores que, segundo a oposição chapadense, seriam pessoas de duvidosas qualificações.

Amigos Chapadenses, já dizia o poeta popular Luiz Maurício Pragana dos Santos, mais conhecido como Lulu Santos, “…assim caminha a Humanidade”.

Durmam com um “barulho” destes!!!

Sem comentários. Seja o primeiro a comentar

Assinar feed dos Comentários

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

16 − 1 =