ELE É CAGUETE, SIM – Maggi confirma Pagot como homem-bomba

No Congresso, apreensão com CPI do Cachoeira une base à oposição
Comissão já é apelidada por parlamentares de “Jim Jones” porque “todos morrerão abraçados”

Maria Lima
O GLOBO

BRASÍLIA – O clima de apreensão, principalmente no PT e no Planalto, aumentou muito nesta terça-feira com os rumos que vem tomando a CPI Mista do Cachoeira. Antes manifestadas reservadamente, as preocupações foram explicitadas depois que o líder do PR, senador Blairo Maggi (MT), comunicou, em reunião dos líderes da base com a ministra de Relações Institucionais, Ideli Salvatti, que o ex-diretor do Dnit Luiz Antônio Pagot está incontrolável, depois de ter se desligado do PR.

Em meio ao susto, alguns parlamentares davam nesta terça-feira novo apelido à investigação: CPI Jim Jones, porque “vai morrer todo mundo abraçado”, numa referência ao suicídio coletivo em 1978, na Guiana, que tinha à frente um líder de uma seita americana.

— O Pagot é um fio desencapado. Está descontrolado. Já avisou que quer ser o primeiro a depor na CPI e vai falar de tudo quanto é obra de rodovia e quem ordenou os contratos bichados em cada estado — disse Blairo a Ideli, segundo relato de um dos participantes.

Na reunião da bancada do PT mais tarde, para a escolha dos nomes, também se temia a imprevisibilidade com os rumos da CPI.

Alguns opositores da CPI no PT admitem que os líderes se precipitaram em sua criação, quando o Supremo Tribunal Federal (STF) se negou a enviar os autos dos inquéritos da Operação Monte Carlo. O senador Wellington Dias (PT-PI) disse que há alguns dias ponderou que a CPI não vai avançar na área de investigação:

— Eu ponderei: se já está tudo apurado e em fase de julgamento para que CPI? Vai ser uma CPI meramente política. Mas com o carro a 200 quilômetros por hora não tinha como parar, qualquer um que recuasse pareceria medo de ser investigado — disse Wellington Dias, nesta terça-feira.

Nos bastidores, não se descarta nem a apresentação de requerimentos para convocação do procurador-geral da República, Roberto Gurgel. E até ministros do STF poderiam ser convocados.

— Essa CPI é imprevisível. Ninguém sabe onde vai dar, não — dizia Blairo, no final da tarde..

O senador Pedro Taques (PDT-MT), da ala independente, não descarta retomar casos de antigos personagens como o ex-assessor de José Dirceu na Casa Civil Waldomiro Diniz e o escândalo da Gtech.

Categorias:Jogo do Poder

4 Comentários

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 201.49.164.103 - Responder

    Eu tenho a solução para acabar com os políticos LADRÔES do Brasil. Coloque açúcar no tanque dos aviões em que eles estão, óbvio que morrerão pessoas inocentes, mas os fins justificam os meios.

  2. - IP 187.5.109.200 - Responder

    Isso está parecendo estratégia do PR para barrar a CPI… Estão implantando o medo naqueles que são favoráveis à investigação pelo Parlamento. Depois da CPI do mensalão todo mundo aprendeu que só se sabe como começam as CPIs, mas ninguém sabe como termina.

  3. - IP 189.114.55.5 - Responder

    Se todos os membros da CPI empenharem e de fato investigar o Brasil sairá ganhando, porque o medo? Esperamos-nos uma resposta urgente e quem for devedor que pague as contas de preferência devolvendo aos cofres públicos a quantia dilapidada e políticos envolvidos tenha imediatamente os mandatos cassados. E devolução dos lucros ilícitos obtidos pelas empresas envolvidas. Assim o povo serio espera.

  4. - IP 187.123.15.45 - Responder

    Eu acho que o Blairo e o Pagot estão Blefando estão pressionando pra onseguir uma nomeaçãozinha como porteiro do predio onde o Lula mora.

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

dois × 4 =