(65) 99638-6107

CUIABÁ

Brasil, mostra tua cara

GRANDE, COMO ERA GRANDE: Morre compositor Paulo Vanzolini

Publicados

Brasil, mostra tua cara




MORRE PAULO VANZOLINI
Zoólogo com carreira destacada, compositor estava internado com pneumonia
Um dos grandes expoentes do samba paulista, o compositor e zoólogo Paulo Vanzolini morreu na noite deste domingo, aos 89 anos, em São Paulo. Ele estava internado desde a quinta-feira passada no hospital Albert Einstein com pneumonia – a internação coincidiu com a data de seu aniversário. Segundo o hospital, Vanzolini morreu devido a complicações relacionadas à doença. O enterro será nesta segunda, no Cemitério da Consolação, na capital paulista. Paulo Vanzolini era casado com a cantora Ana Bernardo e teve cinco filhos com sua primeira mulher, Ilze.
Considerado ao lado de Adoniran Barbosa o grande nome do samba em São Paulo, ele ficou conhecido pela autoria de clássicos da música brasileira como Ronda (De noite eu rondo a cidade / A te procurar sem encontrar / No meio de olhares espio em todos os bares / Você não está), Praça Clóvis (Na praça Clóvis / Minha carteira foi batida / Tinha vinte e cinco cruzeiros / E o teu retrato) e Volta por Cima (Reconhece a queda e não desanima / Levanta, sacode a poeira / E dá a volta por cima).
Sobre esta última canção, Vanzolini a considerava um fracasso “porque ninguém entendeu que o importante não é dar a volta por cima, é reconhecer a queda”. Já sobre Ronda, comentou: “Essa música é de uma pieguice desgraçada.”
Apesar de ser autor de mais de 70 músicas, Vanzolini preferia ser reconhecido pelo seu trabalho como zoólogo. Como cientista, ele escreveu mais de 150 artigos acadêmicos. Foi diretor do Museu de Zoologia, da USP, onde trabalhou por mais de 50 anos, e foi premiado pela Fundação Guggenheim, em Nova York, pelo sua obra científica. Em 2008, ele doou ao museu o acervo de sua biblioteca particular de 25.000 livros, na qual colecionava inclusive obras raras, periódicos e mapas. Segundo o governo de São Paulo, o acervo tem valor estimado em 600.000 reais.
Boemia – Nascido em São Paulo em 1924, Vanzolini se mudou com a família para o Rio de Janeiro aos 4 anos de idade. Dois anos depois voltou à cidade natal, onde desenvolveu sua paixão pelo samba. Começou a frequentar rodas de boêmios na adolescência, mas jamais deixou a boemia afastá-lo de outra paixão, os estudos. Já interessado por zoologia de vertebrados, entrou para a a Faculdade de Medicina, onde se diplomou em 1947.
A juventude também foi marcada por operações para tratar um problema nos ossos, que deixaram cicatrizes na perna. Incomodado com a fama de menino doente que tinha na família e decidido a ganhar a vida com seu próprio sustento, saiu da casa dos pais e foi morar no Edifício Martinelli, no centro de São Paulo. A mudança o aproximou mais da boemia, já que no prédio havia um “táxi-dancing” (salão onde dançarinas aguardavam clientes, que pagavam para dançar). Vanzolini e os amigos, porém, frequentavam o lugar de graça devido à amizade com os músicos e com as dançarinas.
Após o casamento com Ilze, então secretária da Reitoria da USP, o compositor se mudou com a mulher para os Estados Unidos, onde se tornou Doutor em Zoologia pela Universidade de Harvard. O período americano não foi dedicado apenas à vida acadêmica. Nos EUA, Vanzolini conviveu com músicos de jazz em Nova Orleans – além disso, suas principais letras teriam sido escritas nessa época.
Hobby – Vanzolini nunca estudou música e nem pensou em abandonar a biologia para ser compositor profissional. As músicas eram um hobby para ele: as composições eram feitas nas horas vagas ou para matar as saudades. Mas é inegável sua importância para a música brasileira e, principalmente, para o samba paulista.
A última composição foi Quando Eu For Eu Vou Sem Pena, gravada por Chico Buarque em 1997. Autodiagnosticado “duro de ouvido”, Vanzolini dizia não saber distinguir ritmo, tom ou qualquer outra técnica musical. O que contava era sua paixão pela música e pelos versos das canções. Nos últimos anos, ele reunia os amigos em casa para um encontro de “Os Ignorantes do Samba”.
Em 2009, o cineasta Ricardo Dias lançou o documentário Um Homem de Moral, que permite conhecer o universo musical de Vanzolini. O filme mostra também a vida profissional dele como zoólogo.
fonte VEJA ON LINE

Leia Também:  CEARÁ E VILSON NERY: Uma semana antes do pleito o MCCE denuncia a ocorrência de cadastramento de eleitores para a compra de voto, em Várzea Grande. O Estado Juiz, mesmo sabendo do crime que ia ocorrer (fraude, corrupção eleitoral), não foi capaz de evitar.

COMENTE ABAIXO:

Propaganda
1 comentário

1 comentário

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Deixe uma resposta

Brasil, mostra tua cara

Saiba quem são os candidatos a governador da Rio de Janeiro

Publicados

em

A Justiça Eleitoral recebeu pelo menos 28 mil registros de candidaturas para as eleições de outubro. A campanha começou na terça-feira (16).

Foram recebidos 12 registros de candidaturas à Presidência e 12 a vice-presidente; 223 para governador e vice-governador, 231 para senador, 10.238 para deputado federal, 16.161 para deputado estadual e 591 para deputado distrital.

No Rio de Janeiro, nove candidatos concorrem ao cargo.

Confira lista completa:

Cláudio Castro (PL): formado em direito, tem 43 anos, foi chefe de gabinete da Assembleia Legislativa do Estado do Rio por 12 anos. Em 2016, foi eleito vereador da cidade do Rio. Em outubro de 2018, foi eleito vice-governador na chapa com Wilson Witzel. Após o impeachment de Witzel, Castro tomou posse como governador efetivo em 1º de maio do ano passado. Concorre à reeleição pela coligação Avante/DC/MDB/PL/PMN/Podemos/PP/PROS/PRTB/PSC/PTB/Republicanos/Solidariedade/União Brasil. O ex-prefeito de Duque de Caxias e ex-deputado federal Washington Reis (MDB), de 55 anos, é o candidato a vice da coligação.

Cyro Garcia (PSTU): formado em direito pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, é mestre e doutor em história pela Universidade Federal Fluminense. Cyro Garcia tem 67 anos, foi deputado federal eleito em 1992 e presidente do Sindicato dos Bancários do Estado do Rio. Concorre pelo Partido Socialista dos Trabalhadores Unificado  (PSTU). Sua vice é a servidora pública municipal Samantha Guedes, do mesmo partido, de 48 anos. 

Eduardo Serra (PCB): é professor da Escola Politécnica e do Instituto de Relações Internacionais e Defesa da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Tem 66 anos e é dirigente estadual e nacional do Partido Comunista Brasileiro. A candidata a vice na chapa é a professora do ensino superior Bianca Novaes, do mesmo partido, de 45 anos. 

Leia Também:  VEM CHUMBO GROSSO POR AÍ: Segundo juiz Julier, perícia vai esclarecer como estão sendo utilizadas máquinas compradas por Maggi no Programa MT 100% Equipado. "Vamos ver se estão em fazendas particulares; se ainda têm as mesmas peças; se estão funcionando; seu estado de degradação; se foram desviadas ou levadas pelo E.T. de Varginha. É algo atual e que vai ter repercussão no conflito denunciado à Justiça", garante Julier

Juliete (UP): Juliete Pantoja Alves nasceu em Saracuruna, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, tem 32 anos e coordena o Movimento de Luta nos Bairros, Vilas e Favelas (MLB), em defesa do direito à moradia. Começou a atuar na política aos 15 anos, na Associação dos Estudantes do Rio de Janeiro. Atualmente é vice-presidente estadual da Unidade Popular (UP). A estudante Juliana Alves, do mesmo partido, de 30 anos, é a candidata a vice.

Luiz Eugênio (PCO): Luiz Eugênio Honorato concorre pelo Partido da Causa Operária. Nasceu em Volta Redonda, no sul fluminense, e tem 61 anos. É metalúrgico aposentado da Companhia Siderúrgica Nacional. O candidato a vice é o motorista particular Guilherme de Lima, do mesmo partido, de 35 anos.

Marcelo Freixo (PSB): formado em história pela Universidade Federal Fluminense, foi deputado estadual por três mandatos. Em 2012 e 2016, Freixo se candidatou a prefeito do Rio. Em 2018, foi eleito deputado federal. Em 2021, filiou-se ao PSB. Marcelo Freixo concorre ao governo do Rio pela federação Brasil da Esperança, formada por PT/PC do B/PV, pela federação PSDB e Cidadania e pela federação PSOL/Rede. O candidato a vice da coligação é o vereador e ex-prefeito da cidade do Rio Cesar Maia (PSDB), de 77 anos.

Leia Também:  O GOLPE DAS EMPRESAS FANTASMAS: STJ segue voto de Eliana Calmon e aceita mais uma denúncia do MP contra Bosaipo, parceiro de Riva

Paulo Ganime (Novo): deputado federal eleito em 2018. Tem 39 anos, é formado em engenharia de produção pelo Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca, e tem MBA em Gestão Empresarial pela Pontifícia Universidade Católica do Rio. O biólogo Helio Secco, do mesmo partido, de 33 anos, é o candidato a vice da chapa.

Rodrigo Neves (PDT): tem 46 anos, foi vereador de Niterói por dois mandatos, deputado estadual e prefeito de Niterói duas vezes. Em 2000, foi eleito para o primeiro mandato como vereador. Em 2004, foi reeleito. Em 2006, foi eleito deputado estadual. Em 2012, foi eleito prefeito de Niterói. Em 2016, foi reeleito prefeito de Niterói. É candidato pela coligação Patriota/PDT/PSD/AGIR, que tem como candidato a vice o advogado Felipe Santa Cruz (PSD), de 50 anos.

Wilson Witzel (PMB): concorre pelo Partido da Mulher Brasileira. Tem 54 anos, é advogado e ex-juiz federal. Ele foi eleito governador do Rio em 2018 pelo PSC. Em agosto de 2020, foi afastado do cargo pelo Superior Tribunal de Justiça  por suspeitas de corrupção. No dia 30 de abril do ano passado, Witzel perdeu definitivamente o cargo após a aprovação de seu impeachment pelo Tribunal Especial Misto. O advogado Sidclei Bernardo (PMB), de 42 anos, é o candidato a vice.

Atualizado com dados do TSE até 14h46 do dia 16/08/2022

Edição: Aline Leal

Fonte: EBC Política Nacional

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

MATO GROSSO

POLÍCIA

Economia

BRASIL

MAIS LIDAS DA SEMANA