(65) 99638-6107

CUIABÁ

É bem Mato Grosso

Thiago Silva propõe política de atenção à saúde mental de pessoas com sequelas da Covid-19

Publicados

É bem Mato Grosso


PL de Thiago Silva prevê atendimento pós-covid à população

Foto: JLSIQUEIRA / ALMT

O deputado estadual Thiago Silva (MDB) apresentou o Projeto de Lei nº 219/2021 na Assembleia Legislativa, que “institui a Política Estadual de Atenção à Saúde Mental das Vítimas da Covid-19 em Mato Grosso”.

O objetivo do projeto é que o governo estadual possa atender, por meio da Secretaria de Estado de Saúde, as pessoas que sofreram de Covid e ficaram com sequelas físicas e mentais após o processo de contaminação e cura.

“Sabemos que a saúde mental se faz essencial para que a pessoa consiga dar andamento em sua vida após vencer a batalha da Covid. Tivemos muitas perdas, então vejo que é importante esse amparo para as pessoas que ainda sofrem algum tipo de sequela em decorrência do coronavírus”, disse o deputado Thiago.

As campanhas de conscientização farão parte do projeto e trarão orientações acerca de medidas para o enfrentamento de sentimentos como medo e estresse, bem como apresentarão estratégias de cuidado em saúde mental.

Leia Também:  Servidor exclusivamente comissionado pode ser exonerado durante licença

De acordo com o projeto, o Sistema Único de Saúde (SUS) será responsável pela implementação e execução das ações e serviços a serem oferecidos às vítimas da Covid-19.

A aposentada Eliane Xavier relatou que ainda sente algumas sequelas do vírus e, se o atendimento for feito pelo SUS, ela acredita que irá ajudar famílias que precisam desse amparo.

Segundo o artigo 5º do projeto de lei, o atendimento a vítima de Covid-19 poderá ser realizado presencialmente ou à distância, de acordo com o regramento específico de cada modalidade, determinado pelo respectivo conselho profissional do membro da equipe multidisciplinar que prestar o atendimento.

Fonte: ALMT

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

É bem Mato Grosso

Governo de MT decide manter aulas não presenciais na rede estadual

Publicados

em


O Governo de Mato Grosso, por meio da por meio da Secretaria de Estado de Educação (Seduc-MT), determinou o retorno dos professores ao trabalho presencial. Permanecem em teletrabalho apenas os profissionais considerados dos grupos de risco ao novo coronavírus. A nova portaria, no entanto, não determina o retorno das aulas presenciais.

Conforme o documento, nº 333/2021, que será publicado no Diário Oficial do Estado que circula nesta segunda-feira (17.05), serão retomados apenas os plantões pedagógicos por agendamento, com a presença de, no máximo, cinco alunos por sala e com a adoção de todas as medidas de biossegurança.

As mudanças são apenas em relação aos profissionais que estavam, desde o início de março, dando aulas remotas em teletrabalho.

Também será retomado 100% do trabalho presencial na área administrativa das escolas estaduais, nas Diretorias Regionais de Ensino, nas assessorias pedagógicas e no Centro de Apoio e Suporte à Inclusão da Educação Especial de Mato Grosso (Casies).

Na sede da Seduc-MT, em Cuiabá, o retorno 100% presencial dos servidores já ocorreu no início de maio com jornada das 8h às 18h.

Leia Também:  Governo atualiza medidas e autoriza drive-thru e sistema pegue-leve de restaurantes até 20h45

Vacina

A portaria também estabelece que os servidores enquadrados nos grupos de risco só devem retornar ao trabalho presencial 15 dias após o recebimento da segunda dose ou dose única de qualquer vacina imunizante contra a Covid-19.

Sistema híbrido

A Secretaria de Estado de Educação (Seduc-MT) estuda a possibilidade do retorno das aulas na rede estadual de ensino, no sistema híbrido, para o início de junho, respeitando as medidas de biossegurança para evitar a disseminação do coronavírus. Por causa da pandemia, desde o final do mês de março de 2020 as atividades de ensino ocorrem de maneira não presencial, com aulas online e uso de material didático impresso.

As escolas já estão preparadas para receber os estudantes com segurança, mas a data de retorno está condicionada à situação epidemiológica no Estado. A ideia é que a volta ocorra com 50% dos alunos em sala de aula, alternando a presença dos estudantes e dando prioridade aos anos iniciais.

Lei aprovada pela Assembleia Legislativa e sancionada pelo governador Mauro Mendes, que coloca a educação como serviço essencial durante a pandemia, prevê que os primeiros a retornarem às salas de aula serão os alunos que não possuem acesso à internet.

Leia Também:  DECCOR cumpre medidas judiciais em investigação que apura irregularidades no sistema de semáforos inteligentes

Aos pais está garantido o direito de escolher se o filho vai retornar à escola, ou continuar os estudos apenas de forma não presencial.

Sete estados já retomaram ou determinaram o retorno das aulas no sistema híbrido: Espírito Santo, Paraná, Pernambuco, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe.

Fonte: GOV MT

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

MATO GROSSO

POLÍCIA

Economia

BRASIL

MAIS LIDAS DA SEMANA