(65) 99638-6107

CUIABÁ

É bem Mato Grosso

Tech Talk debate Microsserviços e arquitetura para a criação de aplicações independentes

Publicados

É bem Mato Grosso


O Tech Talk, evento promovido pela Empresa Mato-grossense de Tecnologia da Informação (MTI), debaterá sobre os Microsserviços e sua arquitetura de software no próximo dia 26 de agosto. O evento gratuito e aberto ao público será realizado às 15h, horário de Cuiabá-MT.

Para participar do MTI Tech Talk, clique aqui, ou aponte a câmera do seu celular para o QR code da arte.

A 11ª edição do MTI Tech Talk será coordenada por João Paulo Delgado, doutor pela Escola Politécnica da USP e atualmente professor do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso (IFMT). Ele também é coordenador do grupo de pesquisa ESA (Engenharia de Software Aplicada) e um dos responsáveis pela Fábrica de Software no IFMT.

Desde o mestrado, Delgado atua na área de sistemas distribuídos e sua última publicação foi o artigo sobre estratégia de migração de Microsserviços na Secretaria de Segurança Pública de Mato Grosso (“Monolithic to Microservices Migration Strategy in Public Safety Secretariat of Mato Grosso”, ICECCE, Malasya, junho de 2021).

Leia Também:  Deputado Thiago Silva destina emenda de mais de R$ 100 mil para Delegacia da Mulher de Rondonópolis

Os Microsserviços são uma abordagem de arquitetura para a criação de aplicações. Essa arquitetura é diferenciada por decompor aplicações por funções básicas, tornando cada função um serviço que pode ser implantado de maneira independente. A tecnologia é utilizada por gigantes do mercado como Netflix e Spotify que transformam sua gigante aplicação em mais de 500 microsserviços.

O MTI Tech Talks é um evento online promovido pela Unidade de Gestão Estratégica de Inovação (UGEIN) com o objetivo de compartilhar informações sobre diferentes temas de tecnologia e propagar novos conteúdos para os colaboradores e parceiros da MTI.

Fonte: GOV MT

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

É bem Mato Grosso

A partir de janeiro, ICMS da energia elétrica será de 17%; conta de luz pode ficar até 12% mais barata

Publicados

em


A cobrança da alíquota do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) da energia elétrica deixa de ser 25% e 27% e passa a ser de 17% em Mato Grosso, a partir de janeiro de 2022. A Lei 708/2021, do maior pacote de redução de impostos do país foi sancionada pelo governador Mauro Mendes, nesta terça-feira (07.12).

O impacto dessa redução poderá significar contas de luz até 12% mais baratas. Isso porque, a carga tributária do imposto, será de R$ 36,50 no consumo de 400 kWh e de até R$ 117 no consumo de 1000 kWh. Um corte de 39% e 45% no ICMS, respectivamente.

O presidente do Sindicato da Construção, Geração, Transmissão e Distribuição de Energia Elétrica e Gás no Estado de Mato Grosso (Sindenergia), Tiago Vianna de Arruda, afirmou que o pacote de redução de impostos sancionado pelo governador Mauro Mendes vai trazer justiça econômica para a sociedade.

A avaliação de Vianna passa pelo impacto que a medida irá produzir no setor da energia elétrica. No total, com a lei, o Governo de Mato Grosso deve deixar de arrecadar cerca de R$ 1,2 bilhão por ano, valor que permanece no bolso dos contribuintes, aliviando o orçamento doméstico de milhares de pessoas e também de empresas.

Leia Também:  PMMT promove aula inaugural magna do Curso de Aperfeiçoamento de Oficiais

“Essa medida chega em boa hora, no momento em que os brasileiros mais estão precisando, trazendo liquidez tributária para toda a população. E é importante frisar que dos R$ 1,2 bilhão de redução que está previsto, R$ 732 milhões são referentes ao ICMS da energia elétrica. Ou seja, 60% do pacote de redução de impostos do Governo de Mato Grosso está circunscrito à taxa de ICMS sobre a energia. Isso é muito importante porque a energia elétrica é um insumo caro, que está presente na vida de todo mundo – seja na nossa residência, no comércio, na indústria -, então qualquer redução de imposto nesse sentido vai incentivar e tornar a nossa economia mais justa para todo mundo”, avaliou Tiago Vianna.

A redução significativa também vai ser sentida nos setores da comunicação, do gás industrial e dos combustíveis.

Fonte: GOV MT

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

MATO GROSSO

POLÍCIA

Economia

BRASIL

MAIS LIDAS DA SEMANA