(65) 99638-6107

CUIABÁ

É bem Mato Grosso

SES fortalece município de Alto Araguaia nas ações de promoção da amamentação

Publicados

É bem Mato Grosso

A Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT), por meio da Coordenadoria de Promoção e Humanização da Saúde (Cophs), fortalece os municípios de Mato Grosso para que promovam ações de proteção e apoio à amamentação. A cidade de Alta Araguaia é um dos municípios com iniciativas bem-sucedidas voltadas para a temática, com o Programa Cegonha Araguaiense.

O Programa viabiliza o acompanhamento da mãe que reside em Alto Araguaia. A primeira fase da ação ocorre no pré-natal, parto, pós-parto e segue até os 28 dias de puerpério. São realizadas visitas domiciliares de apoio à amamentação, estendendo também o apoio no ambiente de trabalho da mulher trabalhadora que amamenta.

Além disso, há a entrega de um kit maternidade que incentiva as mulheres a participarem das rodas de conversas. O material é oferecido como incentivo à amamentação exclusiva por 6 meses, continuando até os 2 anos ou mais, como preconiza o Ministério da Saúde e a Organização Mundial da Saúde.

Nas duas etapas do programa, a mãe é apoiada em seu psicológico, físico, econômico e nutricional. Para a coordenadora da Cophs, Rosiene Rosa Pires, essas ações reforçam o compromisso da pasta em mobilizar os municípios mato-grossenses para o fortalecimento das ações estratégicas de promoção, proteção e apoio à amamentação e alimentação complementar saudável.

Leia Também:  CPI Fiscal aprova relatório do setor do agronegócio

“Nosso papel é implementar, junto às cidades, ações estratégicas de avaliação e monitoramento, além de realizar reuniões de incentivo e mobilizações sociais para que a população abrace a causa”, explica Rosiene.

O responsável pela equipe de Promoção do Aleitamento Materno e Alimentação Complementar Saudável (Epamacs), Rodrigo Carvalho, ressalta que é por meio das Secretarias Municipais de Saúde que a informação chega aos pais. “Alta Araguaia fez o dever de casa e está tendo êxito na realização de promoção à amamentação. O principal beneficiado com isso é a criança, que terá uma vida mais saudável”, pontua.

O gestor municipal que tem interesse na temática, mas tem dúvidas sobre como trabalhar em sua cidade, pode entrar em contato com a SES para receber as orientações necessárias e, se preciso, agendar uma capacitação. “Estamos à disposição para auxiliar no que for preciso”, diz Rodrigo.

Programa Cegonha Araguaiense

O Programa Cegonha Araguaiense é desenvolvido pelas Secretarias Municipal de Saúde (SMS) e de Assistência e Desenvolvimento Social (Seads) de Alto Araguaia. Em 2021, foi constatada uma adesão de 90% das mulheres amamentando seus filhos exclusivamente até os 6 meses de vida.

Leia Também:  Instituto dos Cegos de Mato Grosso recebe emenda parlamentar

De acordo com a presidente da Comissão de Apoio ao Aleitamento Materno (CAAM) da SMS de Alto Araguaia, Shirley Lopes, o programa nasceu devido ao alto número de doações de fórmulas infantis para crianças de 0 a 6 meses, em 2017, que deveriam estar em Aleitamento Materno Exclusivo (AME), e o elevado número de crianças com infecções intestinais internadas.

“Desde então, a CAAM criou os protocolos baseados nas diretrizes da Rede Cegonha e deu início a um extenso processo de capacitações aos profissionais de saúde da atenção primária, hospitalar e ambulatorial, envolvendo também a unidade descentralizada de reabilitação e os centros de referência em assistência social. Formamos uma potente rede de apoio à mulher que amamenta”, conclui Shirley.

Fonte: GOV MT

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

É bem Mato Grosso

Projeto da Sema Mato Grosso leva práticas agrícolas sustentáveis para famílias de nove comunidades

Publicados

em

O Assentamento Antônio Conselheiro, em Barra do Bugres (164 km de Cuiabá), recebeu, nesta quarta-feira (30/06), da Secretaria de Estado de Meio Ambiente, materiais para uso no plantio e colheita de itens da agricultura familiar. O Programa de Educação Ambiental na Agricultura Familiar (PEAAF) acontece em nove comunidades e assentamentos de Mato Grosso.

Os municípios atendidos são Peixoto de Azevedo, Tangará da Serra, Barra do Bugres, Poconé e Nossa Senhora do Livramento. São projetos comunitários implementados para a  implantação de hortas ecológicas comunitárias, viveiros e recuperação de nascentes.

“Este projeto possibilitou aos participantes o reconhecimento da importância da conservação ambiental, além de, principalmente, possibilitar a geração de renda com práticas sustentáveis”, explica a superintendente de Educação Ambiental da Sema-MT, Vânia Montalvão.

Marinalva Tavares de Souza, moradora do assentamento, trabalha na agricultura familiar diretamente  com o PEAAF, plantando horta e produzindo leite. Ela destaca o material recebido – utensílios para uso na plantação, como enxadas, pás e carrinho de pneu – que lhe permite produzir mais e melhor.  

Leia Também:  Exposição Originários segue aberta ao público até 28 de fevereiro

“O projeto, para mim, é muito viável. Desde o início, na formação, já deu para aprender muita coisa. Valorizo muito o trabalho feito aqui, muito importante para nós”, diz.

 
 

Na comunidade de Faval, em Nossa Senhora do Livramento, o projeto possibilitou a educação ambiental por meio de horta comunitária, produção de mudas de árvores nativas e frutíferas do cerrado, para reflorestar as nascentes.

“Hoje, posso falar que sou uma agente de educação ambiental. Aprendi a preservar e, por isso, a conscientizar a população sobre o valor de manter o meio ambiente equilibrado”, afirma Cícera Aparecida da Silva Seni, 35 anos, professora. 

Emprego e renda – O PEAAF também incentiva o extrativismo sustentável de castanha cumaru na Comunidade Quilombola de Capão Verde, em Poconé. Natan José Campos de Oliveira, 22 anos, mora na comunidade, composta por 28 famílias. Eles trabalham com produtos, que não só têm grande aceitação no mercado como contribui para a preservação do bioma Pantanal.

“Este projeto vem para ajudar o nosso trabalho, que, sem recursos, fica muito difícil. Com ele, vai melhorar a renda. Recebemos materiais que ajudam, e muito, no processo de coleta e no processamento da castanha do cumaru”, avalia Natan.

Leia Também:  A Gazeta, do Dorileo Leal, tá fazendo esquema para favorecer candidato do Zé Pedro? Escracho nas redes sociais tá forte

Fonte: GOV MT

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

MATO GROSSO

POLÍCIA

Economia

BRASIL

MAIS LIDAS DA SEMANA