(65) 99638-6107

CUIABÁ

É bem Mato Grosso

Operação flagra desmatamento ilegal e apreende 8 tratores em Confresa

Publicados

É bem Mato Grosso


O Estado apreendeu oito tratores (seis tratores esteira e dois tratores de pneu) que estavam sendo utilizados no desmatamento ilegal. A operação Tolerância Zero foi realizada na região de Confresa pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema-MT), em parceria com o Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) e o Instituto de Defesa Agropecuária do Estado de Mato Grosso (Indea-MT). 

Durante a operação foram fiscalizadas 13 áreas e flagrado desmatamento ilegal e descumprimento de embargos em uma área de 3.500 hectares. Além disso, foram aplicadas multas que totalizam R$ 12 milhões. 

Equipes ficaram em campo 11 dias durante a operação, que aconteceu entre os dias 23 de março e 2 de abril. Também foram apreendidos dois veículos, quatro motosserras, dois sopradores, um implemento agrícola (utilizado para arar o solo), e um pulverizador costal. Todos os equipamentos estavam sendo utilizados em área onde é proibido o desmatamento.  

As operações levam em consideração alertas emitidos por satélite de alta precisão. O monitoramento é feito pela Plataforma Planet, que acompanha diariamente alterações em vegetações nativas no estado todo. Ao identificar alguma alteração, o Estado notifica automaticamente o proprietário, e envia equipes para fiscalização em campo, para flagrar o crime ambiental, e aplicar medidas de responsabilização, dentre elas, a apreensão e remoção dos maquinários.

Leia Também:  Leucemia é tipo de câncer mais frequente entre crianças

Trator sendo removido e retirado para impedir a continuidade do dano ambiental – Foto: Sema-MT
 

Dos maquinários apreendidos, quatro foram removidos e retirados dos infratores imediatamente para cessar o desmatamento ilegal das áreas. A apreensão de maquinários e descapitaliza de imediato os infratores, que podem perder o bem com a conclusão do processo de responsabilização.

Infratores utilizavam a prática do “correntão”, utilizada para derrubada rápida de vegetação. Este foi um dos íten apreendidos pela fiscalização. 

(supervisão de Lorena Bruschi)

Fonte: GOV MT

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

É bem Mato Grosso

Xavantes de Poxoréu são orientados a preparar o solo para plantar legumes e tubérculos

Publicados

em


A comunidade Xavante de Poxoréu (251 km de Cuiabá) muda a cultura de produção de subsistência com orientação e assistência técnica da Empresa Mato-grossense de Pesquisa Assistência e Extensão Rural (Empaer). A medida é necessária, devido ao fim da estiagem e o inicio do período de chuvas, mais frequente nessa época do ano.

Dois técnicos da Empaer, junto com agentes da Secretaria Municipal de Agricultura Desenvolvimento e Meio Ambiente, atendem 25 aldeias da região, porém, os trabalhos começaram em cinco delas, São Carlos, Dom Bosco, Tsimitsute , Santa Teresa e Santo Expedito e será estendido conforme adesão.

A comunidade Xavante da cidade engloba cerca de 800 pessoas, entre adultos e crianças. São elas: Nova Leidi, São Gerônimo, Santo Expedito, Marimbu, Lagoa Encantada, Novo Mundo, Santo Ângelo, Lagoa Azul, Bom Bosco, São Carlos, Laura Vicuña, Tsimitsute, Santa Tereza, Riprere, Tsihorira, Noaowa-da, Nhowi, Seninha, Santa Angela e Redzawe.

A assistência técnica consiste no manejo, correção do solo e orientações de plantio, é fomentado as doações de ramas de mandioca e sementes junto a produtores  da agricultura familiar da região e comércio local.

Leia Também:  Drone é apreendido e servidores evitam entrada de 12 celulares na PCE

O técnico agropecuário da Empaer, Jonathan Vasconcelos Barros, explica que, durante a estiagem, os indígenas estavam empenhados na  produção  de hortaliças, com o inicio das chuvas, fica inviável, por isso, foram orientados a produzirem mandioca, batata, abóbora e milho.

“Estamos há dois anos na comunidade e desenvolvemos um trabalho de troca de experiência. Realizamos as visitas todas as sextas-feiras e seguimos pela segunda semana de acompanhamento. Já viabilizamos algumas ramas de mandioca e sementes”. Junto com Jonathan, está o também técnico agropecuário Fernando Thiago Alves de Oliveira Xavier.

O presidente da Cooperativa Indígena Sangradouro/Volta Grande (Cooigrandesan), Gerson Warãiwe, explica que objetivo junto aos técnicos é buscar o fortalecimento da segurança alimentar nas aldeias.

“A chuva ajuda a planta crescer mais rápido, isso favorece o alimento chegar mais rápido nas aldeias. Estamos buscando mais doações de sementes e ramas de mandioca para chegar a toda comunidade o quanto antes. A assistência da Empaer  e as doações têm sido fundamentais para o nosso povo, mas ainda buscamos um complemento para que possa atender a todos”.

Leia Também:  Prefeitos de MT aderem ao decreto estadual com medidas de combate à Covid-19

Técnico da Empaer Jonathan junto com indígenas da aldeia São Carlos                               Foto: Empaer

Fonte: GOV MT

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

MATO GROSSO

POLÍCIA

Economia

BRASIL

MAIS LIDAS DA SEMANA