(65) 99638-6107

CUIABÁ

É bem Mato Grosso

Operação fiscaliza 128 veículos e prende nove pessoas por embriaguez ao volante em Cuiabá

Publicados

É bem Mato Grosso

Doze motoristas foram presos durante a 48ª Operação Lei Seca, realizada na noite deste sábado (14.05), na Avenida Miguel Sutil, bairro Cidade Alta, em Cuiabá. Ao todo, nove foram detidos por embriaguez ao volante, dois por desacato e um por pose de entorpecentes.   

Na operação, 17 condutores foram flagrados dirigindo sob efeito de álcool, sendo autuados pela prática. Foram realizados 141 testes de alcoolemia, no entanto seis motoristas se recusaram a fazer o teste. 

Três motoristas foram detidos por conduzirem sem a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) e 31 por estarem com veículo sem registro ou não licenciado. 

Nesta operação, foram registrados 65 Autos de Infração de Trânsito (AITs). Ao todo, 128 veículos foram fiscalizados, dentre eles, 44 foram removidos, dos quais 41 carros e três motocicletas. Outros 50 foram autuados. Os agentes recolheram ainda 14 CNHs e um Certificado de Registro e Licenciamento do Veículo (CRLV).

Sobre a operação 

A Lei Seca é coordenada pelo Gabinete de Gestão Integrada da Secretaria de Estado de Segurança Pública (GGI/Sesp) e conta com as forças integradas da Polícia Militar, por meio do Batalhão de Trânsito (BPMTran); da Polícia Civil, por meio da Delegacia Especializada de Delitos de Trânsito (Deletran); do Departamento Estadual de Trânsito (Detran) e da Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana de Cuiabá (Semob).

Leia Também:  JORNALISTA ADEMAR ADAMS: Carta aberta ao conselheiro do TCE Luiz Henrique
Fonte: GOV MT

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

É bem Mato Grosso

Projeto da Sema Mato Grosso leva práticas agrícolas sustentáveis para famílias de nove comunidades

Publicados

em

O Assentamento Antônio Conselheiro, em Barra do Bugres (164 km de Cuiabá), recebeu, nesta quarta-feira (30/06), da Secretaria de Estado de Meio Ambiente, materiais para uso no plantio e colheita de itens da agricultura familiar. O Programa de Educação Ambiental na Agricultura Familiar (PEAAF) acontece em nove comunidades e assentamentos de Mato Grosso.

Os municípios atendidos são Peixoto de Azevedo, Tangará da Serra, Barra do Bugres, Poconé e Nossa Senhora do Livramento. São projetos comunitários implementados para a  implantação de hortas ecológicas comunitárias, viveiros e recuperação de nascentes.

“Este projeto possibilitou aos participantes o reconhecimento da importância da conservação ambiental, além de, principalmente, possibilitar a geração de renda com práticas sustentáveis”, explica a superintendente de Educação Ambiental da Sema-MT, Vânia Montalvão.

Marinalva Tavares de Souza, moradora do assentamento, trabalha na agricultura familiar diretamente  com o PEAAF, plantando horta e produzindo leite. Ela destaca o material recebido – utensílios para uso na plantação, como enxadas, pás e carrinho de pneu – que lhe permite produzir mais e melhor.  

Leia Também:  Reeducandos de Sorriso se formam em cursos de apicultura e reaproveitamento de madeira

“O projeto, para mim, é muito viável. Desde o início, na formação, já deu para aprender muita coisa. Valorizo muito o trabalho feito aqui, muito importante para nós”, diz.

 
 

Na comunidade de Faval, em Nossa Senhora do Livramento, o projeto possibilitou a educação ambiental por meio de horta comunitária, produção de mudas de árvores nativas e frutíferas do cerrado, para reflorestar as nascentes.

“Hoje, posso falar que sou uma agente de educação ambiental. Aprendi a preservar e, por isso, a conscientizar a população sobre o valor de manter o meio ambiente equilibrado”, afirma Cícera Aparecida da Silva Seni, 35 anos, professora. 

Emprego e renda – O PEAAF também incentiva o extrativismo sustentável de castanha cumaru na Comunidade Quilombola de Capão Verde, em Poconé. Natan José Campos de Oliveira, 22 anos, mora na comunidade, composta por 28 famílias. Eles trabalham com produtos, que não só têm grande aceitação no mercado como contribui para a preservação do bioma Pantanal.

“Este projeto vem para ajudar o nosso trabalho, que, sem recursos, fica muito difícil. Com ele, vai melhorar a renda. Recebemos materiais que ajudam, e muito, no processo de coleta e no processamento da castanha do cumaru”, avalia Natan.

Leia Também:  CARLOS FÁVARO NA SEMA É A RAPOSA CUIDANDO DO GALINHEIRO: Agora, com essa surpreendente decisão do governador Zé Pedro Taques de nomear um ruralista para cuidar da Sema, como reagirá a promotora Ana Peterlini, que já deve ter voltado à função de fiscal do cumprimento das leis quanto à proteção do nosso Meio Ambiente? Certamente que há instrumentos na legislação para questionar esta decisão. Se o coitado do Moacir Pires, lá atrás, representou uma ousadia de Blairo Maggi, que dirá esta cartada do Zé Pedro. Com uma Assembleia de caititus, ao molde do Riva, e uma mídia complacente, ao modo do Éder, sempre haverá aplausos para quem comanda mas vacila no Paiaguás, detendo a chave do cofre. Restaria-nos o MP. Mas já se viu o MP que nós temos. Será que a banda menos midiática do MP, de Domingos Sávio Arruda e Luis Scaloppe, vai também se calar vendo os pretensos depredadores avançarem cheios de gana sobre as estruturas de nosso Meio Ambiente, abençoados pelo governador Zé Pedro?

Fonte: GOV MT

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

MATO GROSSO

POLÍCIA

Economia

BRASIL

MAIS LIDAS DA SEMANA