(65) 99638-6107

CUIABÁ

É bem Mato Grosso

Material didático, formações e avaliações são para recuperar aprendizagem dos estudantes

Publicados

É bem Mato Grosso


A secretaria de Estado de Educação (Seduc-MT) realiza, nesta quarta-feira (28/07), das 9h às 9h30, uma sessão pública para receber os envelopes com propostas para contratação de empresa que vai fornecer aos estudantes da rede pública o Sistema Estruturado de Ensino.

A sessão pública será realizada no auditório da Seduc e poderá ser acompanhada em tempo real pelo link: https://www.youtube.com/channel/UCQOdC2-QEJ0hSsGDe_xlnpw/featured.

Secretário de Estado de Educação, Alan Porto explica que o Sistema Estruturado de Ensino compreende materiais didáticos pedagógicos, a plataforma digital de ensino, a formação continuada de professores de acordo com as necessidades das escolas e o sistema de avaliação permanente dos estudantes.

“É claro para toda a sociedade que a aprendizagem dos nossos estudantes sofreu um grande impacto com a pandemia. O retorno na modalidade híbrida, que ocorrerá no dia 3 de agosto, por si só é insuficiente para recuperar todo o prejuízo. Por isso, a Seduc fez um planejamento para a recuperação desta aprendizagem e o Sistema Estruturado de Ensino faz parte dele”, enfatiza.

O secretário destaca que a meta do governo é alcançar uma educação de qualidade e, para isso, vários aspectos são fundamentais.

“O que o governo do Estado, por meio da Seduc, propõe hoje é uma revolução na educação. Hoje figuramos como o 22º pior no Ensino Médio no país e o 16º no Ensino Médio. Sem formação dos nossos profissionais de forma continuada, sem material didático de excelência e ao alcance de todos os estudantes e sem avaliações para sabermos onde estão os principais problemas e onde são necessárias as intervenções, é impossível reverter este quadro”.

Leia Também:  Sema-MT promove curso de Descentralização da Gestão Ambiental

Transparência

Alan Porto ainda fez questão de enfatizar que todo o processo para contratação da empresa que vai fornecer o material é transparente e afirma que a participação da sociedade no processo, inclusive como fiscalizadora, é mais uma forma de consolidar uma política pública séria e eficiente.

No dia 29 de março, por exemplo, foi realizada uma audiência pública para apresentar os documentos a serem licitados para contratação de empresa especializada, por meio de Contrato de Impacto Social (CIS), para o fornecimento do Sistema Estruturado de Ensino. Houve participação de representantes do Sindicato dos Trabalhadores do Ensino Público de Mato Grosso (Sintep), do Fórum Estadual de Educação, entre outros.

“O que não podemos aceitar são críticas infundadas. Todo o esforço do governo de Mato Grosso é para transformar a educação do nosso Estado em uma das melhores do país. E não se trata apenas do Sistema Estruturado de Ensino. Há muitos outros projetos que já estão sendo implementados, como o Alfabetiza MT e o Mais MT Muxirum, em plano de cooperação com os municípios. O que Mato Grosso faz hoje é política educacional séria e de resultados”.

Material didático

No primeiro semestre deste ano o governo do Estado entregou a todos os estudantes do Ensino Fundamental material didático impresso para ajudar na aprendizagem. Neste segundo semestre o material será para os estudantes do Ensino Médio, enquanto não ocorre a contratação do Sistema Estruturado.

“O material é sim composto pela Base Nacional Comum Curricular e nem poderia ser diferente. Muitas acusações foram feitas que a Seduc estava entregando o mesmo material elaborado pelo Ministério da Educação. Mas nunca fizeram questão de falar que os estudantes da rede pública de ensino não podem levar o livro PNLD (Programa Nacional do Livro Didático) para casa. Os livros não são deles e precisam atender 3 anos consecutivos. O que o governo de Mato Grosso possibilitou e vai continuar possibilitando é o material em mãos para os estudantes”.

Leia Também:  Primeira-dama de MT participa de inauguração do ‘Núcleo Florescer’ do projeto Chita & Fuxico

Formações e avaliações

Secretário de Educação enfatiza que a formação dos profissionais da educação foi intensificada com a pandemia e o Sistema Estruturado de Ensino dará continuidade a este processo com no mínimo 120 horas de capacitação e formação.

No primeiro momento, os professores tiveram formações para as aulas remotas e para estarem prontos para o próximo momento, que é o retorno híbrido.

Com as avaliações permanentes nas escolas públicas estaduais, que visam aferir, de forma constante, como está o nível de aprendizagem, as formações continuam para que as intervenções necessárias não ocorram só de dois em dois anos, quando o governo federal divulga os dados do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb).

“As avalições externas serão de extrema importância para intervimos de forma mais ágil no processo de aprendizagem, para realmente recuperarmos os prejuízos que cresceram muito com a pandemia. E com os resultados em mãos, decidimos as formações necessárias para que os professores tenham condições de agir no foco dos problemas”.

Fonte: GOV MT

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

É bem Mato Grosso

A partir de janeiro, ICMS da energia elétrica será de 17%; conta de luz pode ficar até 12% mais barata

Publicados

em


A cobrança da alíquota do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) da energia elétrica deixa de ser 25% e 27% e passa a ser de 17% em Mato Grosso, a partir de janeiro de 2022. A Lei 708/2021, do maior pacote de redução de impostos do país foi sancionada pelo governador Mauro Mendes, nesta terça-feira (07.12).

O impacto dessa redução poderá significar contas de luz até 12% mais baratas. Isso porque, a carga tributária do imposto, será de R$ 36,50 no consumo de 400 kWh e de até R$ 117 no consumo de 1000 kWh. Um corte de 39% e 45% no ICMS, respectivamente.

O presidente do Sindicato da Construção, Geração, Transmissão e Distribuição de Energia Elétrica e Gás no Estado de Mato Grosso (Sindenergia), Tiago Vianna de Arruda, afirmou que o pacote de redução de impostos sancionado pelo governador Mauro Mendes vai trazer justiça econômica para a sociedade.

A avaliação de Vianna passa pelo impacto que a medida irá produzir no setor da energia elétrica. No total, com a lei, o Governo de Mato Grosso deve deixar de arrecadar cerca de R$ 1,2 bilhão por ano, valor que permanece no bolso dos contribuintes, aliviando o orçamento doméstico de milhares de pessoas e também de empresas.

Leia Também:  Sema-MT suspende prazos de processos de autos de infração por sete dias

“Essa medida chega em boa hora, no momento em que os brasileiros mais estão precisando, trazendo liquidez tributária para toda a população. E é importante frisar que dos R$ 1,2 bilhão de redução que está previsto, R$ 732 milhões são referentes ao ICMS da energia elétrica. Ou seja, 60% do pacote de redução de impostos do Governo de Mato Grosso está circunscrito à taxa de ICMS sobre a energia. Isso é muito importante porque a energia elétrica é um insumo caro, que está presente na vida de todo mundo – seja na nossa residência, no comércio, na indústria -, então qualquer redução de imposto nesse sentido vai incentivar e tornar a nossa economia mais justa para todo mundo”, avaliou Tiago Vianna.

A redução significativa também vai ser sentida nos setores da comunicação, do gás industrial e dos combustíveis.

Fonte: GOV MT

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

MATO GROSSO

POLÍCIA

Economia

BRASIL

MAIS LIDAS DA SEMANA