(65) 99638-6107

CUIABÁ

É bem Mato Grosso

Mais de uma tonelada de droga é incinerada em Cuiabá

Publicados

É bem Mato Grosso


Mais de uma tonelada de droga foi incinerada na manhã desta sexta-feira (25.06), no Distrito Industrial, em Cuiabá. O entorpecente foi apreendido pelas forças de segurança na região metropolitana, ou seja, Cuiabá e Várzea Grande, nos últimos meses. Esta já é a terceira incineração realizada em 2021, totalizando quase cinco toneladas de entorpecentes destruídos.

Do total queimado, 997,857 kg eram maconha e 146,466 kg eram cocaína. Ações semelhantes também estão sendo realizadas no interior do Estado. O trabalho é resultado da atuação da Polícia Judiciária Civil (PJC-MT), Polícia Militar (PM-MT) e Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec).

A destruição do material ilícito apreendido reflete na redução não apenas do tráfico de drogas, mas também de outros crimes alimentados por organizações criminosas financiadas por esta atividade. “É muito simbólico o momento em que os policiais arremessam as drogas na fornalha e aquilo se dissolve em pó, pois também estamos eliminando o crime que sustenta outras práticas criminosas”, ressaltou a titular da Delegacia de Repressão a Entorpecentes (DRE), delegada Juliana Chiquito Palhares.

Leia Também:  Em 48 horas, ação coordenada pelo Governo de MT arrecada 200 cilindros que serão entregues a hospitais; doação equivalente a R$ 1 milhão

O coordenador de Planejamento e Monitoramento da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp-MT), tenente-coronel PM Marcus Vinícius Akira Sakata, acompanhou a incineração e ressaltou que o trabalho de apreensão de drogas é contínuo. “O uso e tráfico de entorpecentes ocorre em vários âmbitos e é precursora de outros crimes, então a retirada dessas drogas das ruas auxilia muito na preservação da ordem pública”.

O subchefe do Estado Maior Geral da Polícia Militar, coronel PM Carlos Eduardo Pinheiro da Silve, endossou. “O impacto da retirada de drogas de circulação é muito positivo, principalmente porque representa um prejuízo muito grande para os traficantes e organizações envolvidas com esta prática ilícita”.

Após a apreensão, a droga passa por perícia e conferência, como explicou o coordenador do Laboratório de Materiais da Politec, perito criminal Thiago Zys. “Todo material apreendido é encaminhado ao laboratório forense, fazemos a constatação da natureza, identificação do tipo e devolvemos para a guarda da Polícia Civil. Já no ato da preparação do entorpecente que foi autorizado pela Justiça para incineração, fazemos a conferência de todo o volume”.

Leia Também:  Secretário destaca investimentos e atuação das forças de segurança na pandemia

Narco Brasil

A incineração marca também o encerramento da Operação Narco Brasil, coordenada pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública, e realizada em todo o país. Desde o início, em 1° de junho, até o momento, já foram apreendidas mais de duas toneladas de drogas em Mato Grosso, em ações integradas da PM-MT e PJC-MT.

Fonte: GOV MT

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

É bem Mato Grosso

Câncer de intestino está entre os mais comuns para homens e mulheres

Publicados

em


Considerado o terceiro tipo de câncer mais frequente em homens, após o de próstata e o de pulmão, e o segundo entre as mulheres, após o câncer de mama, o câncer colorretal é um tumor que acomete o intestino grosso. “Importante ressaltar que o câncer de intestino é tratável e, na maioria dos casos, curável, ao ser detectado precocemente”, observa o coloproctologista Mardem Machado, credenciado ao Mato Grosso Saúde pela Clínica Vida.

O câncer de cólon, também conhecido como colorretal ou câncer de intestino, é o foco da campanha Setembro Verde, que busca conscientizar a população sobre a importância da prevenção e do diagnóstico precoce para combater o tumor. 

Segundo dados do Instituto Nacional do Câncer (Inca), a cada ano, há 34.280 novos casos de câncer colorretal, dos quais 15.415 se encaminham para óbito. Ao todo, 16.660 homens e 17.620 mulheres são diagnosticados todo ano com a doença.

O Dr. Mardem Machado relata que existem diferentes fatores de risco para o diagnóstico de câncer de intestino. Os principais são a idade, sendo mais comum após os 50 anos, obesidade, sedentarismo, consumo em excesso de carnes vermelhas e processadas, dieta pobre em fibras, tabagismo, alcoolismo e histórico familiar de câncer de intestino.

Leia Também:  Conselho abre inscrições para 1º Prêmio Juventude Mato-grossense

Sintomas

O especialista destaca que conhecer os sintomas é fundamental para o paciente procurar um especialista no assunto, realizar os exames necessários e, se constatado o tumor, iniciar o tratamento. 

“Os sintomas são sangue nas fezes, dor na região anal, cólicas ou dores abdominais, anemia, fraqueza, perda de peso inexplicável e alterações do hábito intestinal, como diarreia, intensa vontade de vomitar e urgência para evacuar ou constipação”.

Diagnóstico

O diagnóstico do câncer de intestino é feito a partir de um exame clínico e físico, incluindo o exame proctológico, a retossigmoidoscopia, a colonoscopia e exames de sangue. “Assim que o paciente é diagnosticado, ele inicia o tratamento”.

Tratamento

Conforme o especialista, o câncer colorretal pode ser tratado de diversas formas para melhorar a qualidade e a sobrevida dos pacientes. Entre as alternativas estão as cirurgias abertas, laparoscopias e assistidas por robô, colonoscopia e ressecções locais dos tumores, quimioterapia e radioterapia.

Como se trata de uma doença silenciosa, cujos sintomas demoram bastante a se manifestar, o Dr. Mardem Machado alerta para a importância do check-up anual para o diagnóstico precoce e maior sucesso no tratamento.

Leia Também:  Deputado propõe política estadual para combate ao abigeato
Fonte: GOV MT

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

MATO GROSSO

POLÍCIA

Economia

BRASIL

MAIS LIDAS DA SEMANA