(65) 99638-6107

CUIABÁ

É bem Mato Grosso

Futura e MTI firmam parceria para serviços de captura ao vivo de dados biométricos

Publicados

É bem Mato Grosso


A Empresa Mato-grossense de Tecnologia da Informação (MTI) e a Futura fecharam uma parceria estratégica, nesta terça-feira (09.02), para a solução de gestão de identificação de dados biométricos em Mato Grosso.

O projeto nomeado como MTI CAV (captura ao vivo de dados biométricos) visa a integração e gestão centralizada de dados biométricos no Estado, economia de até 50% de valores gastos com captura biométrica e a expansão dos 37 pontos de coleta atuais, para 100 pontos em Mato Grosso.

O projeto ainda prevê a criação de uma base de dados centralizada, com a integração com outros órgãos da segurança do Estado e um novo serviço de validação de identificação civil.

De acordo com o diretor presidente da MTI, Antônio Marcos de Oliveira, o projeto é inovador e novamente coloca o Estado na vanguarda. “O MTI CAV é um produto com grande potencial de ser comercializado inclusive fora das fronteiras de Mato Grosso, devido ao seu custo muito vantajoso para os clientes e equipamentos de ponta homologados inclusive pelo Denatran (Departamento Nacional de Trânsito)”, disse.

Conforme o presidente, o projeto já está em análise pelo Departamento Estadual de Trânsito de Mato Grosso (Detran-MT) e deve começar a ser implementado já no próximo mês.

Após a efetivação e centralização dos dados biométricos em um único banco, a MTI ainda irá disponibilizar como serviço para clientes uma API (abreviação para Application Programming Interface, ou, em português, interface de programação de aplicação) de validação de biometria.

Leia Também:  Mato Grosso cai ainda mais no ranking do isolamento social; Inloco aponta 28,7%

“Ela pode ser comercializada para muitos clientes que precisem validar a biometria de uma pessoa no formato por requisição, um produto 100% da MTI e que também irá gerar novas divisas a exemplo do SERPRO que disponibiliza produtos semelhantes monetizando sua base de dados”, concluiu o diretor presidente da MTI, Antônio Marcos de Oliveira.

Segundo Paulo Macedo, gerente da Unidade de Gestão Estratégica de Inovação (UGEIN), a ideia do projeto MTI CAV nasceu a partir de um relatório pelo Tribunal de Contas do Estado que apontava um custo muito alto com os serviços de captura ao vivo de dados biométricos por parte do Estado. Por conta disso, a MTI decidiu por desenvolver uma ferramenta própria para reduzir o gasto e melhorar o serviço.

Com base na Lei 13.303/2016, a MTI buscou viabilizar o produto por meio de uma parceria estratégica. Conforme Macedo, a Futura irá se encarregar de cuidar da parte operacional, enquanto a MTI realizará a gestão e inteligência.

“O cenário da identificação digital hoje ainda está longe do ideal, parte da base de dados biométrica estava fora do estado e na posse de empresas particulares, enquanto a outra parte de responsabilidade da POLITEC que mantém o Sistema de Identificação Civil (SIC) est[a hospedada na Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp)”, afirmou.

Leia Também:  Contribuintes podem renegociar débitos de IPVA e ITCD até 31 de agosto

Com esse projeto, a MTI viabiliza a curto prazo a integração e gestão centralizada de dados biométricos no Estado. “Esse será o principal legado do projeto e do novo produto disponibilizado de forma inovadora, moderna, e com inquestionável vantajosidade econômica”, disse o gerente.

Conforme a projeção da Ugein, o Detran-MT vai economizar 50% dos valores gastos com os serviços de captura ao vivo. A projeção ainda considera a expansão dos 37 pontos de coleta atuais, para 100 pontos de coleta.

Benefícios do MTI CAV:

  • Base de dados e biométricos de identificação civil centralizado
  • Criação de um serviço de validação de identificação civil
  • Expansão de negócios para área de serviços de identificação com grande potencial.
  • Economicidade para os clientes, como exemplo o Detran-MT em seu serviço de Captura ao Vivo (Projeto CAV)
  • Integração com outros órgãos da segurança do Estado, aumentando a base de dados de identificação civil
  • Detenção de conhecimento de captura de dados biométricos, íris, facial, digital, etc.
Fonte: GOV MT

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

É bem Mato Grosso

Paulo Araújo quer instituir programa de conscientização sobre o descarte de cartuchos e toners

Publicados

em


Foto: Marcos Lopes

Para alertar e esclarecer a população sobre a destinação correta de produtos eletroeletrônicos, o deputado estadual Paulo Araújo (Progressistas) apresentou, no Plenário da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT) na sessão de quarta-feira (13), Projeto de Lei n° 957/21 que Institui o Programa de Incentivo ao Descarte Consciente de Cartuchos e Toners. A proposta é alertar e esclarecer as pessoas sobre destinação correta de produtos eletrônicos em uma Semana de Conscientização e Orientação sobre Reciclagem que ocorrerá, anualmente, na última semana do mês de março.

O parlamentar alertou que existem toneladas de lixo tecnológico descartado todos os dias. O objetivo é conscientizar pessoas para que os cartuchos e toners que estiverem danificados, fora de uso, tenham destinação correta. “E inegável que a criação e o avanço de novas tecnologias trouxeram comodidade e melhorias significativas à vida das pessoas, mas junto a essa tecnologia cresce e consumismo e multiplicam-se produtos que logo caem em desuso ora por terem atingido o fim do seu ciclo de vida ora porque foram substituídos por modelos mais novos e mais avançados”, explicou Araújo.

Leia Também:  Dr. Eugênio defenderá o Araguaia durante audiência pública sobre o Zoneamento, em Brasília

Paulo Araújo avaliou ainda que o impacto ambiental causado por esse tipo de descarte, quando não tratado apropriadamente, é imenso. Há, ainda, preocupação pelo fato de seus materiais básicos constituintes (plásticos, metal e vidro) não serem biodegradáveis, demorando centenas de anos para serem degradados naturalmente, permanecendo por um longo tempo no meio do ambiente. 

“Há necessidade de uma política efetiva e a conscientização sobre o controle, a contaminação e poluição, contribuindo assim para diminuir esses impactos ambientais”, finalizou o deputado.

Fonte: ALMT

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

MATO GROSSO

POLÍCIA

Economia

BRASIL

MAIS LIDAS DA SEMANA