(65) 99638-6107

CUIABÁ

É bem Mato Grosso

Especialista do MT Saúde alerta sobre as complicações e formas de prevenção contra hepatites virais

Publicados

É bem Mato Grosso


As hepatites virais são infecções causadas por vírus que agridem o fígado podendo levar a complicações como cirrose, câncer (hepatocarcinoma) e à morte. O gastroenterologista e endoscopista Dr. Roberto Barreto, credenciado ao Mato Grosso Saúde pela Clínica Vida, fala sobre os tipos de vírus, sintomas, diagnóstico e tratamento por ocasião do Dia Mundial Contra as Hepatites Virais, celebrado em 28 de agosto.

De acordo com o especialista, são conhecidos 5 vírus: A, B, C, D e E, sendo que os vírus A B e C são os mais frequentes no Brasil.

“As hepatites virais são doenças silenciosas que nem sempre apresentam sintomas, mas, quando estes aparecem, podem ser cansaço, febre, mal-estar, tontura, enjoo, vômitos, dor abdominal, pele e olhos amarelados, urina escura e fezes claras”, explicou.

Dr. Roberto Barreto aproveita a data para alertar sobre a importância do diagnóstico das hepatites B e C para instituir o tratamento que é realizado por meio do teste rápido, disponível nos serviços de saúde.

Em relação à hepatite A, o médico destaca que a principal via de contágio é a fecal-oral por meio de água e alimentos contaminados. Também tem sido identificado o contágio relacionado às práticas sexuais. Sua ocorrência está relacionada ao saneamento básico inadequado e condições precárias de higiene.

“A hepatite A pode ser evitada por meio da vacinação. A vacina está disponível para as crianças a partir de 15 meses a 4 anos 11 meses e 29 dias e, para grupos especiais”.

Leia Também:  Segunda aeronave entra em operação para fortalecer combate aos incêndios no Pantanal

Já a hepatite B tem como principal via de transmissão a relação sexual desprotegida, mas pode ocorrer também via parental, a exemplo da transfusão sanguínea, compartilhamento de agulhas e seringas, material de manicure, piercings, tatuagem, escova de dente, lâminas de barbear e demais instrumentos que cortam ou furam. Ainda pode ser transmitida de mãe para filho na gestação e parto.

Em relação à hepatite C, a principal via de transmissão é a parenteral. “São consideradas populações de maior risco para a infecção para a hepatite C as pessoas que fizeram uso de transfusão de sangue e hemoderivados antes de 1993, usuários de drogas injetáveis, inaláveis e pipadas, pessoas com tatuagens e piercings e que compartilham instrumentos de uso pessoal”.

Tratamento

Existe cura para a maior parte das hepatites virais. O problema é que muitas vezes a doença não é diagnosticada. Segundo o Dr. Roberto Barreto, as hepatites virais não tratadas podem evoluir para cirrose, câncer e até levar à morte.

No Brasil, a hepatite viral mais comum e mais letal é a do tipo C, responsável por mais de 70% das mortes por hepatites virais.

Leia Também:  Sesp e PF firmam parceria para compartilhamento de informações e hospedagem de veículos apreendidos

“O tratamento da hepatite A, que é uma doença aguda, se baseia em dieta e repouso. Geralmente melhora em algumas semanas e a pessoa adquire imunidade, ou seja, não terá uma nova infecção”, informa o especialista.

Quanto às hepatites B e D, têm tratamento e podem ser controladas, evitando a evolução para cirrose e câncer e a hepatite C tem cura em mais de 90% dos casos quando o tratamento é seguido corretamente.

Prevenção

Só existem vacinas contra as hepatites do tipo A e B. Porém, quem se protege contra a B, já se previne contra a D. Para os demais tipos, o importante é se prevenir das seguintes formas:

– Vacinar-se contra hepatites A e B

– Usar preservativos em todas as relações sexuais

– Não compartilhar seringas, alicates, lâminas ou quaisquer instrumentos cortantes ou perfurantes

– Não ingerir água não potável

– Lavar alimentos antes do consumo

– Lavar as mãos após ir ao banheiro

“A hepatite tem cura. Existem testes rápidos e exames laboratoriais para detectar a presença dos vírus. É importante registrar que todas as hepatites virais devem ser acompanhadas pelos profissionais de saúde, pois as infecções podem se agravar”, alerta o especialista.

Fonte: GOV MT

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

É bem Mato Grosso

Seduc abre inscrições para processo seletivo do programa Alfabetiza MT

Publicados

em


A Secretaria de Estado de Educação (Seduc-MT) abre, nesta segunda-feira (20.09), inscrições para seleção de profissional da rede estadual de ensino de Mato Grosso para atuar como coordenador regional, formador regional de educação infantil, formador regional de alfabetização e consultor de formação do Programa Alfabetiza MT, lançado no mês passado pelo Governo do Estado. As inscrições para coordenador podem ser feitas até quarta-feira (22). Para formador e consultor até sexta-feria (24). Confira o edital.

A política pública tem a finalidade de alfabetizar crianças na idade certa, até o segundo ano do Ensino Fundamental, em regime de colaboração do Estado com os municípios. O governo estadual investirá R$ 16,5 milhões ao ano e terá apoio da Fundação Lemann, Associação Bem Comum e Instituto Natura.

Há incentivos para as profissionais e premiações conforme o desempenho de alfabetização dos envolvidos. O programa é inspirado em uma política pública que melhorou a qualidade da educação no Estado do Ceará.

Secretário de Estado de Educação, Alan Porto destaca que 135 municípios já aderiram ao Alfabetiza MT, o maior programa de alfabetização da história de Mato Grosso. Lembra que, em parceria com os municípios, o Governo do Estado vai focar na formação continuada dos profissionais, na avaliação diagnóstica, na formação complementar e todo o acompanhamento e monitoramento que os parceiros precisarem.

Leia Também:  PCI apresenta 4º Balanço de metas

“Não queremos mudar a política de alfabetização do município, muito pelo contrário, o Estado quer fortalecer a gestão de alfabetização. Vamos premiar as escolas que atingirem os melhores resultados e auxiliar as que tiverem os piores índices para garantir o nível de aprendizado dessas crianças. A base de tudo é a alfabetização e a formação dessas crianças para que elas possam ter nos anos finais do Ensino Fundamental e no Ensino Médio, uma qualidade maior no aprendizado. E eu tenho certeza que, em parceria com os municípios, nós vamos ter um ganho muito grande na qualidade da educação no Estado de Mato Grosso”.

Vagas, carga horária e seleção

O processo seletivo simplificado será para o preenchimento de vaga e formação de cadastro reserva, com a validade de dois anos, prorrogáveis por igual período.

O procedimento contempla os critérios para cada um dos cargos. Para 15 coordenadores regionais, poderão participar professores efetivos da rede estadual de ensino de Mato Grosso, lotados nos municípios que constituem os polos das 15 Diretorias Regionais de Educação (DREs).

Já os 15 formadores regionais de educação infantil, 15 formadores regionais de alfabetização e um consultor de formação poderão participar professores pedagogos, na condição de bolsista.

Os coordenadores regionais atuarão por 40 horas semanais e terão remuneração mensal do subsídio do servidor e mais 33,33%, com a vigência de 24 meses. Os formadores terão 30 horas de carga mensal e receberão R$ 600,00 por mês em um período de 8 meses. Enquanto o consultor de formação será remunerado por R$ 4 mil ao mês em contrato de 12 meses.  

Leia Também:  Crianças se tornam "colecionadoras de memórias" em roteiro poético pelo Centro Histórico de Cuiabá

O processo de seleção para todos os cargos ocorrerá em duas etapas. A primeira com a análise curricular, de caráter classificatório e eliminatório, com pontuação máxima de 15 pontos. E a segunda, entrevista semiestruturada, de caráter eliminatório e classificatório, via Google Meet ou presencial, a fim de concretizar uma avaliação adequada do candidato, conforme os quesitos exigidos para cada cargo/função.

A secretaria criará uma Comissão de Seleção composta por diretor, coordenador pedagógico e um professor formador da DRE de inscrição dos candidatos.

A Seduc informa que a participação no processo seletivo não implica na obrigatoriedade do recrutamento do profissional, apenas quando ocorrer a expectativa de contrato. A Secretaria de Estado de Educação se reserva no direito de proceder às chamadas em número que atenda às necessidades de alfabetização.

O Processo de Seleção será organizado pela Secretaria de Estado de Educação, por meio da Secretaria Adjunta de Gestão de Pessoas e Secretaria Adjunta de Gestão Educacional, através da Comissão de Seleção das DREs.

Fonte: GOV MT

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

MATO GROSSO

POLÍCIA

Economia

BRASIL

MAIS LIDAS DA SEMANA