(65) 99638-6107

CUIABÁ

É bem Mato Grosso

Delegação da Coréia do Sul estreita laços comerciais com Mato Grosso

Publicados

É bem Mato Grosso


O secretário de Desenvolvimento Econômico de Mato Grosso, César Miranda, recebeu, nesta quarta-feira (24.11), uma delegação da Coréia do Sul liderada pelo cônsul-geral coreano no Brasil, Insang Hwang. A visita técnica tem o intuito estreitar laços comerciais entre a Coréia e Mato Grosso.

O grupo de 7 pessoas contou ainda com a presença do presidente e diretores da empresa de aço, Posco e da Agência comercial do governo coreano no Brasil (Kotra).

Na reunião o secretário apresentou as potencialidades de Mato Grosso e as vantagens de se investir no Estado. “Temos muito a oferecer à Coréia, o maior valor agropecuário nacional, a posição geográfica do Estado é privilegiada quanto ao escoamento das exportações pelos Portos, segurança jurídica, os melhores incentivos fiscais do Brasil. Além de uma economia em ascensão”, explicou ele.

Miranda frisou que há muito a se ganhar com a cooperação econômica bilateral.

De acordo com o cônsul, os setores de maior interesse do empresariado sul coreano são a produção de etanol de milho e as malhas ferroviárias e hidroviária existentes em Mato Grosso. Mas também há possibilidade quanto à exportação do frango produzido no Estado. Atualmente 50% da carne de aves exportadas pelo país é de origem brasileira.

Leia Também:  O músico e compositor Kaiera lança EP com canções inéditas

“Nossa conversa foi bastante produtiva, tudo que vimos aqui levaremos a conhecimento de grandes empresários do nosso País. Acredito que em breve nos reencontraremos e queremos que nos visitem, também conheçam nossas empresas alimentícias”, citou Hwang.

O presidente da empresa de aço Posco no Brasil, Youngseob Jang, uma das maiores companhias produtoras de aço do mundo, destacou o interesse especial na produção mineral do Estado. “A produção mineral de Mato Grosso é bastante ampla. Nos foram apresentadas muitas oportunidades de investimento no Estado até mesmo fora dessa área que merecem um estudo”, disse.

A agenda da delegação se estende por mais 2 dias no Estado. Eles ainda vão visitar o Governo do Estado, a Federação das Indústrias(Fiemt), Federação da Agricultura e Pecuária do Estado (Famato), Prefeitura de Cuiabá e empresas multinacionais do setor alimentício.

Haiti

Nesta quarta-feira (24.11) o secretário César Miranda também recebeu a embaixadora do Haiti no Brasil, Rachel Coupaud, que veio ao Estado tratar de ações voltadas à população haitiana que vive em Mato Grosso.

Leia Também:  Politec recebe cinco comparadores de vídeo para perícias avançadas em documentos

“Queremos traçar um plano, ser a ponte para oferecer melhores condições ao povo haitiano que vive aqui. Saber em que o Governo de Mato Grosso pode nos ajudar para dar qualidade de vida aos haitianos, esclareceu a embaixadora.

O secretário falou da possibilidade de qualificação da mão de obra haitiana que poderia ser absorvida nas indústria e comércio do interior do Estado.

“Podemos ver a viabilidade de oferecer qualificação profissional para os haitianos que moram em Mato Grosso, para aproveitar a mão de obra. Além de pensar em linhas de crédito específicas voltadas àqueles que desejam empreender”, enfatizou.

Esta é a primeira visita da embaixadora a Mato Grosso. Ela está no País há 9 meses.

Atualmente há 100 mil haitianos no Brasil, sendo que 12 mil deles vivem em solo mato-grossense.

Fonte: GOV MT

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

É bem Mato Grosso

A partir de janeiro, ICMS da energia elétrica será de 17%; conta de luz pode ficar até 12% mais barata

Publicados

em


A cobrança da alíquota do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) da energia elétrica deixa de ser 25% e 27% e passa a ser de 17% em Mato Grosso, a partir de janeiro de 2022. A Lei 708/2021, do maior pacote de redução de impostos do país foi sancionada pelo governador Mauro Mendes, nesta terça-feira (07.12).

O impacto dessa redução poderá significar contas de luz até 12% mais baratas. Isso porque, a carga tributária do imposto, será de R$ 36,50 no consumo de 400 kWh e de até R$ 117 no consumo de 1000 kWh. Um corte de 39% e 45% no ICMS, respectivamente.

O presidente do Sindicato da Construção, Geração, Transmissão e Distribuição de Energia Elétrica e Gás no Estado de Mato Grosso (Sindenergia), Tiago Vianna de Arruda, afirmou que o pacote de redução de impostos sancionado pelo governador Mauro Mendes vai trazer justiça econômica para a sociedade.

A avaliação de Vianna passa pelo impacto que a medida irá produzir no setor da energia elétrica. No total, com a lei, o Governo de Mato Grosso deve deixar de arrecadar cerca de R$ 1,2 bilhão por ano, valor que permanece no bolso dos contribuintes, aliviando o orçamento doméstico de milhares de pessoas e também de empresas.

Leia Também:  O músico e compositor Kaiera lança EP com canções inéditas

“Essa medida chega em boa hora, no momento em que os brasileiros mais estão precisando, trazendo liquidez tributária para toda a população. E é importante frisar que dos R$ 1,2 bilhão de redução que está previsto, R$ 732 milhões são referentes ao ICMS da energia elétrica. Ou seja, 60% do pacote de redução de impostos do Governo de Mato Grosso está circunscrito à taxa de ICMS sobre a energia. Isso é muito importante porque a energia elétrica é um insumo caro, que está presente na vida de todo mundo – seja na nossa residência, no comércio, na indústria -, então qualquer redução de imposto nesse sentido vai incentivar e tornar a nossa economia mais justa para todo mundo”, avaliou Tiago Vianna.

A redução significativa também vai ser sentida nos setores da comunicação, do gás industrial e dos combustíveis.

Fonte: GOV MT

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

MATO GROSSO

POLÍCIA

Economia

BRASIL

MAIS LIDAS DA SEMANA