(65) 99638-6107

CUIABÁ

É bem Mato Grosso

Corpo de Bombeiros é acionado para conter incêndio no KM 103 da Transpantaneira

Publicados

É bem Mato Grosso


Guarnições do Corpo de Bombeiro Militar de Mato Grosso estão mobilizadas para conter um incêndio no Km 103 da Transpantaneira, em Poconé (a 104 km de Cuiabá). A ocorrência foi iniciada na tarde desta sexta-feira (27.08) e segue em andamento. 

Ao que tudo indica, o incêndio é fruto de uma ação criminosa. O indício para isso, segundo os bombeiros, é que há vários pontos de fogo na vegetação, alguns próximos e outros mais distantes.  Além disso, a suspeita é reforçada pela existência de outro incêndino na Ponte 70, de madeira, que foi rapidamente apagado por outra equipe do CBMMT.

O incêndio segue ativo e os militares estão na força-tarefa de combate em solo, além do reforço de uma aeronave modelo Air Tractor, lançando 1.800 litros d’água nos pontos com maior incidência de fogo. O avião desta operação foi contratado pela Secretaria Adjunta de Defesa e Proteção Civil, com recursos do Governo de Mato Grosso.

O combate aos incêndios nesta região é extremamente difícil, com poucos acessos pela estrada, além do enorme volume de grande vegetação seca, uma área com muitos brejos. O vento forte também dificulta o trabalho, o fogo tem maior facilidade de propagação.

Leia Também:  Governo investe R$ 142 milhões em obras de pavimentação da MT-100 e garante durabilidade de rodovia

Outra suspeita criminosa

No Km 100 da Transpantaneira, os bombeiros conseguiram controlar, nesta quarta-feira (25.08), um incêndio em vegetação. A ocorrência durou três horas e foi preciso acionar o avião para apagar o fogo, antes que ele ganhasse grandes proporções.

Proteção no Pantanal 

Policiais militares da Força Tática e do Batalhão de Polícia Militar de Proteção Ambiental (BPMPA) de Mato Grosso estão realizando rondas ostensivas no local do incêndio para inibir outras práticas de crimes, além de encontrar os suspeitos.

Fonte: GOV MT

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

É bem Mato Grosso

A partir de janeiro, ICMS da energia elétrica será de 17%; conta de luz pode ficar até 12% mais barata

Publicados

em


A cobrança da alíquota do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) da energia elétrica deixa de ser 25% e 27% e passa a ser de 17% em Mato Grosso, a partir de janeiro de 2022. A Lei 708/2021, do maior pacote de redução de impostos do país foi sancionada pelo governador Mauro Mendes, nesta terça-feira (07.12).

O impacto dessa redução poderá significar contas de luz até 12% mais baratas. Isso porque, a carga tributária do imposto, será de R$ 36,50 no consumo de 400 kWh e de até R$ 117 no consumo de 1000 kWh. Um corte de 39% e 45% no ICMS, respectivamente.

O presidente do Sindicato da Construção, Geração, Transmissão e Distribuição de Energia Elétrica e Gás no Estado de Mato Grosso (Sindenergia), Tiago Vianna de Arruda, afirmou que o pacote de redução de impostos sancionado pelo governador Mauro Mendes vai trazer justiça econômica para a sociedade.

A avaliação de Vianna passa pelo impacto que a medida irá produzir no setor da energia elétrica. No total, com a lei, o Governo de Mato Grosso deve deixar de arrecadar cerca de R$ 1,2 bilhão por ano, valor que permanece no bolso dos contribuintes, aliviando o orçamento doméstico de milhares de pessoas e também de empresas.

Leia Também:  2ª edição da Ação Assembleia Social foi na Escola Pascoal Ramos

“Essa medida chega em boa hora, no momento em que os brasileiros mais estão precisando, trazendo liquidez tributária para toda a população. E é importante frisar que dos R$ 1,2 bilhão de redução que está previsto, R$ 732 milhões são referentes ao ICMS da energia elétrica. Ou seja, 60% do pacote de redução de impostos do Governo de Mato Grosso está circunscrito à taxa de ICMS sobre a energia. Isso é muito importante porque a energia elétrica é um insumo caro, que está presente na vida de todo mundo – seja na nossa residência, no comércio, na indústria -, então qualquer redução de imposto nesse sentido vai incentivar e tornar a nossa economia mais justa para todo mundo”, avaliou Tiago Vianna.

A redução significativa também vai ser sentida nos setores da comunicação, do gás industrial e dos combustíveis.

Fonte: GOV MT

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

MATO GROSSO

POLÍCIA

Economia

BRASIL

MAIS LIDAS DA SEMANA