(65) 99638-6107

CUIABÁ

É bem Mato Grosso

Comissão de Meio Ambiente ouve coordenador de comitê ambiental do Tribunal de Contas

Publicados

É bem Mato Grosso


Foto: JLSIQUEIRA / ALMT

A Comissão de Meio Ambiente, Recursos Hídricos e Recursos Minerais recebeu, na tarde desta terça-feira (7), o secretário-geral de Controle Externo do Tribunal de Contas do Estado (TCE/MT), Roberto Carlos Figueiredo, que apresentou ações do Comitê Interno de Gestão Ambiental (Ciga), do qual é coordenador na corte estadual.

O convidado destacou a atuação feita pelo Ciga em sete municípios e também as observações encaminhadas para os órgãos competentes após análise do comitê. Entre os apontamentos elaborados pelo Tribunal de Contas está o chamamento dos chefes de executivo e legislativo municipais para contribuírem no enfrentamento às queimadas florestais por meio da disponibilização de maquinário pesado e operador para a abertura de aceiros, com reembolso do combustível gasto por parte do governo estadual. 

As observações também continham a necessidade de urgente realização de campanhas voltadas à conscientização da população para a não utilização da técnica de queima de expansão (fogo contra fogo). “O tribunal esteve presente lá naquele momento e constatou algumas observações do que precisava ser feito de imediato”, explica Roberto Carlos Figueiredo. “Nós viemos aqui na Assembleia também defender que o plano do governo para 2022 tem de ser feito ouvindo o pantaneiro”, completou.

Leia Também:  Grupo é criado para implementar estratégias de transformação digital no Governo

O titular da Secretaria de Assessoria Parlamentar do TCE, Carlos Brito, argumentou que o trabalho de acompanhamento de investimentos e diálogo com diferentes poderes permite que seja feita um planejamento mais efetivo de gestão ambiental no estado.

No encontro, o presidente da Comissão de Meio Ambiente, deputado Carlos Avallone (PSDB), mostrou satisfação com as ações tomadas pelo governo do estado e pelo TCE para evitar impactos maiores causados pelos incêndios no Pantanal. “Sem dúvidas, o Ciga já influenciou o trabalho este ano. Em 2021, houve uma união impressionante da comunidade e poder público, investimento de 63 milhões do estado no combate ao fogo, compra de equipamentos, treinamentos. O resultado foi uma diminuição de 85% neste ano em relação ao ano passado nos incêndios”, ressaltou o parlamentar. 

Foto: JLSIQUEIRA / ALMT

Além de outros representantes do TCE/MT, também participou da reunião o deputado Gilberto Cattani (PSL).

Fonte: ALMT

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

É bem Mato Grosso

Lúdio solicita retomada do teletrabalho nos serviços públicos não essenciais em MT

Publicados

em


Foto: ANGELO VARELA / ALMT

O deputado estadual Lúdio Cabral (PT) requereu ao governo de Mato Grosso a retomada do teletrabalho em todos os serviços não essenciais no estado. Em ofício protocolado nesta segunda-feira (17), o parlamentar e médico sanitarista aponta o aumento exponencial no número de casos diários pelo avanço da variante Ômicron no país e a alta taxa de mortalidade no estado.

“A medida é mais do que necessária no atual cenário para proteger a vida dos servidores públicos e evitar um colapso dos serviços públicos pelo afastamento em massa de trabalhadores infectados”, argumenta Lúdio.

No ranking da doença, Mato Grosso divide a primeira posição junto ao Estado do Rio de Janeiro quando se trata de mortalidade por Covid-19 dentre todos os estados brasileiros. São mais de 400 mortes para cada 100 mil habitantes, totalizando 14.122 mortes no estado. Veja gráficos: https://congressoemfoco.uol.com.br/covid19.

Nos últimos meses, o avanço da variante Ômicron no Brasil tem elevado os números diários de novos casos da covid-19. Somente nas últimas 24h, foram registrados 98 mil novos casos da doença no país.

Leia Também:  ‘MT Prev Itinerante’ leva orientações para servidores da Seduc em Alta Floresta

A variante Ômicron já é de transmissão comunitária no Estado de Mato Grosso, conforme afirmação do próprio secretário de Saúde, Gilberto Figueiredo. Nos últimos 30 dias houve aumento de 190% no número de casos. 

“Temos visto que as vacinas são extremamente eficazes para evitar casos graves da doença, que levam à intubação e à morte. Mas, atualmente, nenhuma vacina disponível no mundo impede que o indivíduo seja infectado e transmita o vírus para outras pessoas”, ressalta Lúdio.

Fonte: ALMT

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

MATO GROSSO

POLÍCIA

Economia

BRASIL

MAIS LIDAS DA SEMANA