PREFEITURA SANEAMENTO

Dorileo,que mama nas tetas, já demitiu Éder. Só que Éder resiste

Enquanto o jornal Circuito MT, de Pérsio Briante, abraça Éder, A Gazeta, de Dorileo Leal, já resolveu detoná-la. Com a possibilidade de que a cabeça de Éder rola, já começa a se desenhar um cenário de disputa quanto à sucessão – na Secopa e no céu que é o Tribunal de Contas. De acordo com declarações de Éder, Dorileo Leal seria o primeiro tubarão a mostrar sua cara, na briga para demiti-lo. Em entrevista à TV Gazeta, ontem, o próprio Éder garantiu que a campanha por sua demissão estaria sendo articulada por aqueles que mamam nas tetas do sofrível governo de Silval Barbosa. O Grupo Gazeta, comandado por Dorileo, é um dos que mais se beneficiam com verbas do Paiaguás. O noticiário, hoje, promete ritmo paranóico. É Jason contra Freddy Krueger. (EC)

A Gazeta traz demissão de Eder, que nega e ataca Dorileo

“Crise leva Silval a afastar Eder”, diz manchete do jornal; Eder nega demissão

O jornal A Gazeta que circula nesta quarta-feira (18) traz em sua manchete principal o suposto afastamento do secretário Eder Moraes da Secopa. “Crise leva Silval a afastar Eder”, diz o título da primeira página do jornal.

“Secretário para a Copa de 2014, Eder Moraes não é mais considerado membro do governo de Mato Grosso. Apontado por muitos como homem forte do Palácio Paiaguás, mas cercado de inimigos, ele teve a saída decretada diante da possibilidade de abertura de mais uma vaga de conselheiro no Tribunal de Contas do Estado (TCE)”, diz trecho do texto, assinado pelos repórteres Marcos Lemos e Téo Meneses.

Ao MidiaNews, Eder questionou a veracidade da manchete de A Gazeta. “A manchete não é verdadeira. Pelo menos até agora não. Não tem nada publicado no Diário Oficial [sobre demissão], e o próprio governador não se manifestou publicamente sobre esse assunto”, disse.

Segundo Eder, se houver demissão, terá que ser pública. “Se for a decisão, eu quero que o governador Silval Barbosa venha a público e me demita. Eu faço questão disso, ele vai ter que me demitir. Não terá exoneração a pedido”, disse.

“Os tubarões começaram a aparecer”

O secretário acusou o empresário Dorileo Leal (PMDB), dono do Grupo Gazeta de Comunicação e pré-candidato a prefeito de Cuiabá, a agir por “interesses políticos e econômicos”.

“A Gazeta está querendo pressionar… Também está fazendo voz ao grupo que tem interesses políticos e econômicos nesse processo. É o viés político se fazendo presente. É uma represália do Dorileo Leal porque o PR está lançando candidato a prefeito em Cuiabá. Acho que não tinha necessidade do Dorileo fazer isso. Os tubarões começaram a aparecer, os interesses políticos começam a se manifestar e os oportunistas de plantão começam a mostrar as suas garras”, afirmou.

Eder Moraes acusou Dorileo de estar “sacaneando com a Copa do Pantanal”.

“É sacanagem dele. Mas quem tem telhado de vidro não pode se oferecer às pedras. Não escolho inimigo para a guerra. Podem me detonar para todos os lados; também tenho munição para atacar”, disse.

O secretário disse que não se sente intimidado com a manchete de A Gazeta.

“O Dorileo tem uma relação estreita com o governador Silval Barbosa e com o secretário de Comunicação Carlos Rayel. Mas não adianta usar a mídia para me mandar recado. Tem que ser direto. Porque, de forma direta, eu vou responder a todas os ataques contra mim. É meu estilo, é meu jeito, não abro mão. Estou pronto para a guerra”, afirmou.

 

fonte MIDIANEWS
————

OPINIÃO

Me dê motivos…TCE de MT não é Tim Maia, mas vive pedindo motivos pra ir embora

por ADRIANA VANDONI
PROSA E POLITICA

Boooom dia!!!!!! Hoje será um dia de grandes emoções. O pedido da CPI do Cachoeira foi protocolado ontem a noite no Congresso. A expectativa é que a leitura do requerimento aconteça nesta quinta-feira (19). Se isso ocorrer, a comissão já poderá começar a funcionar na semana que vem.

Em Mato Grosso ‘O Grande’, que após se esforçar para juntar muito mais que doze milhões de motivos para ser indicado a uma vaga no TCE, não conseguiu, pode cair ainda hoje e novos assuntos da nossa cotidiana comédia/política hão de surgir pra nos fazer rir. Hehehe Não sei vocês, mas eu me divirto muito com a ‘pateticidade’ política no Brasil.

Por falar em vaga do TCE, o critério de entrada está bem mais rígido. Anos atrás era exigido pouco mais de três milhões de motivos. Teve inclusive o caso de um que aceitou deixar sua vaga convencido que o outro tinha os motivos necessários, mas depois de pedir aposentadoria percebeu que os motivos não chegavam à metade. Já aposentado, teve que amargar o prejú. Teve outro que aceitou os motivos. Se achando rico, com motivos para dar e vender, resolveu emprestar com respaldo de um político zoiudo ai. Sim, aqui em Mato Grosso motivo se empresta também. O emprestador não devolveu os motivos emprestados e o avalista zoiúdo, quando procurado sugeriu: entre na justiça. Como ele tinha motivos reais para se calar…Conclusão: prejú.
————-

 

Governador desiste de esperar volta de Brasília e demite Eder Moraes

Marcos Coutinho/Lucas Bólico
OLHAR DIRETO

O governador Silval Barbosa (PMDB) desistiu de esperar a sua volta de Brasília, programada para quinta-feira (18), e anunciou a demissão do secretário extraordinário da Copa do Mundo, Eder Moraes Dias (PR).

Em entrevista exclusiva concedida ao Olhar Direto, por telefone, de Brasília, Silval negou que tenha havido qualquer tipo de pressão para a saída do secretário.

“Não existe pressão de ninguém. O próprio Eder entregou o cargo e eu decidi aceitar”, afirmou o governador.

Silval Barbosa também mostrou-se intrigado com a repercussão do caso. “O que me intriga é a sociedade me cobrar uma reforma e quando eu faço, causar todo esse furor”, declarou.

Ao ser informado pela reportagem do Olhar Direto que Eder declarou ter sido vítima de ameaça de morte, o governador afirmou que irá se inteirar primeiro sobre o caso.

“Vou ler primeiro a matéria”, disse Silval, adiantando que, de qualquer forma, pedirá providências sobre o caso. Eder sai do governo após uma série de embates e colecionando uma série desafetos.

Publicamente, Moraes se desentendeu, para citar alguns exemplos, com o senador Pedro Taques (PDT), conselheiros, deputados estaduais e até com técnicos do Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura (Crea). O secretário chegou a ser vaiado em um evento no Ginásio Aecim Tocantins em 2011.

Decisão antecipada

Em entrevista concedida com exclusividade ao Olhar Direto ontem, Silval havia afirmado que resolveria o destino político administrativo apenas quando retornasse de Brasília.

Histórico no governo

Moraes teve o que pode se classificar como uma carreira meteórica no governo. Bancário e bacharel em Direto, iniciou sua vida no serviço público no primeiro ano de mandato do governador Blairo Maggi (PR), quando era assessor da Casa Civil, dirigida à época por Carlos Brito.

De assessor, Eder saltou direto para a presidência do MT Fomento, depois para a Secretaria de Fazenda e posteriormente para a Casa Civil, coração do governo Silval Barbosa (PMDB). Em abril de 2011, Eder Moraes deixou a mais importante secretaria de governo para presidir a Agecopa e posteriormente dirigir a Secopa.

Primeira atualização às 08h49, segunda atualização às 09h16.

Categorias:Jogo do Poder

Sem comentários. Seja o primeiro a comentar

Assinar feed dos Comentários

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

3 × 3 =