Doação de patrimônio da Empaer pode provocar briga judicial

Sindicalista protesta contra doação do patrimônio da Empaer e pode ir à Justiça para impedir sucateamento da empresa

Em reunião realizada na Assembléia Legislativa de Mato Grosso, nesta segunda-feira, dia 4, convocada pelo deputado José Domingos (PSD), ex-secretário de Desenvolvimento Agrário, servidores da Empaer e a comissão que cuida da regulamentação da nova estrutura da empresa fizeram uma apresentação dos estudos realizados até agora e se comprometeram a entregar um relatório final até o início de julho.

A reunião serviu também para o alerta do sindicalista Gilmar Brunetto, presidente do Sinterp, quanto à destinação do patrimônio da Empaer. Brunetto declarou estar temendo que seja feita politicagem com o patrimônio da empresa, que inclui diversos imóveis oriundos da Casemat, Codeagri e Empa, espalhados por diversas regiões do Estado. Na ocasião, o sindicalista sugeriu ao deputado Domingos a apresentação de um projeto que estabeleça que esse patrimônio seja levado a leilão ou utilizado em permutas que permitam a reforma, ampliação e construção de novas unidades locais para a Empaer, já que a maioria delas tem mais de 30 anos de funcionamento e não sofreram reformas. Além do mais, estas novas unidades viriam substituir aquelas aonde a empresa dispende dinheiro com pesados aluguéis.

O deputado José Domingos se comprometeu em propor uma Lei, no mais curto prazo de tempo, que estabeleça esse critério. De acordo com o presidente do Sinterp, a Empaer, por falta de um compromisso do governo com a Agricultura Familiar, através dos anos, já perdeu sua sede central, no Centro Político Administrativo, em Cuiabá, hoje ocupada pela Seduc e o amplo centro de treinamento, em Várzea Grande, que atendia às demandas de capacitação tanto de técnicos como agricultores de todo o Estado. Tanto o centro de treinamento quando a sede da empresa foram descartados durante a administração de Dante de Oliveira. Já o governador Blairo Maggi, que prometeu muito investir na recuperação da empresa, acabou não fazendo praticamente nada. Espera-se que todo esse processo de descaso e abandono seja agora revertido na atual administração do governador Silval Barbosa que já se destacou promovendo a recuperação dos salários dos servidores que há mais de 20 anos estavam defasados.

Para surpresa de todos, todavia, após a reunião desta segunda-feira, o Sindicato foi informado que o antigo armazém da Empaer, localizado no Distrito Industrial de Cuiabá, que já fora objeto de denúncia do Sinterp por abandono, foi recentemente cedido a um empresário, via Secretaria de Industria e Comércio. Se confirmada esta transação, que viria reforçar o sucateamento da empresa, o Sinterp pretende buscar as vias judiciais para tentar revertê-la já que a citada transação não contou com o aval do Conselho de Administração da Empaer, que é presidido pelo secretário da Sedraf, funcionário da Empaer, doutor em holericultura Carlos Milhomem, nem com a aprovação do atual presidente, conforme testemunho via telefone ao sindicalista Gilmar Brunetto.

fonte – site do SINTERP

Sem comentários. Seja o primeiro a comentar

Assinar feed dos Comentários

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

5 × 3 =