DJANGO LIVRE – Com 21 desembargadores, em um Pleno com 29, se reconhecendo impedidos para julgar a disputa entre o advogado Ruy Gonçalves e o Banco do Brasil, o desembargador Orlando Perri, presidente do TJMT, em decisão inédita, remete o julgamento para o STF. Terá o descontrolado Joaquim Barbosa a paciência necessária para encarar Ruy Gonçalves?

Orlando Perri remeteu para o STF o rumoroso julgamento da disputa entre Ruy Gonçalves e o Banco do Brasil. Vai ser mais um teste de paciência para o descontrolado ministro Joaquim Barbosa


Amplia-se a cobertura da disputa entre o Banco do Brasil e o advogado e médico Ruy Gonçalves. Depois da cobertura frouxa e deficiente e isolada desta PÁGINA DO E, o jornalista Marcos Coutinho, do Olhar Direto, resolveu esquecer-se um pouco da poderosa presença que aquela instituição bancária exerce dentro de nosso cotidiano, para abrir espaço para uma pendenga jurídica que, como destaca Coutinho, apresenta números inéditos no Judiciário de Mato Grosso. Nunca antes, em nenhum Tribunal brasileiro, ao que se saiba, aconteceu de 21 dos 29 desembargadores que compõem o Tribunal Pleno se declararem em suspeição para julgar determinada ação. A situação é tão inusitada que a desembargadora Maria Erotides Kneipp resolveu consultar o atual presidente do Tribunal de Justiça, desembargador Orlando de Almeida Perri, para resolver aquele dilema que já incomodora, no início do século 21, o grande revolucionário que fora o pensador e militante russo Lenin: O QUE FAZER? De acordo com Perri, com 21 de 29 se dando por impedidos só há um caminho a seguir, ditado pela Constituição: remeter o caso para o julgamento do Supremo Tribunal Federal. Em seu despacho Perri fala de uma “grande animosidade” que teria se estabelecido entre o advogo e médico Ruy Gonçalves e a maioria dos julgadores com assento no Pleno do TJ. Ouvindo o doutor Ruy, ele contraargumenta que a maioria dos desembargadores resolveu se declarar em suspeição porque não teriam querido dar qualquer tipo de decisão punido colegas que aparecem atuando neste polêmico processo em que já se teve, segundo o doutor Ruy, a falsificação de extrato bancário apresentada pelo Banco do Brasil para ganhar uma ação rescisória tendo alegado que apresentara documento novo para afirmar que já tinha saldado sua dívida com o doutor Ruy. Os desembargadores, mesmo depois do relator decretar que a matéria estava preclusa por duas decisõe seguidas, resolveram fazer perícia no documento dito novo e a perícia afirmou que era um extrato falsificado, dai advindo aquilo que o doutor aponta como uma série de manipulações de acordãos. O fato é que o disputa entre o doutor Ruy e o Banco do Brasil, com o apaixonado envolvimento de um grande número de desembargadores do TJMT (porque não se pode deixar de dizer que aqueles que se declararam em suspeição acabam por manifestar uma das muitas facetas da paixão), já se arrasta há quase dez anos e agora será remetida para julgamento no STF que, como se sabe, também é uma casa que vive em período dos mais acalorados, sob o comando do explosivo e algo descontrolado ministro Joaquim Barbosa. Terá o Joaquinzão paciência para lidar com o doutor Ruy Gonçalves e seus questionamentos sem fim? É o que há, diria Gilson de Barros. Confira o que o Olhar Direto publicou, aderindo à cobertura deste humilde e desfocado blogue. (EC)


TJ encaminha embargos para STF julgar; advogado vê prevaricação

Da Editoria – Marcos Coutinho
OLHAR DIRETO

O presidente do Tribunal de Justiça de Mato Grosso, desembargador Orlando Perri, em decisão no mínimo polêmica e marcada pelo inedetismo, encaminhou para o Supremo Tribunal Federal cinco embargos de declaração interpostos pelo advogado e médico Ruy de Souza Gonçalves, nas quais havia demonstração e prova pericial oficial de que o Banco do Brasil teria falsificado extrato bancário na tentativa de obter êxito em uma ação rescisória no âmbito do Tribunal de Justiça de Mato Grosso.

Nos embargos, Souza Gonçalves sustenta tese de prevaricação, condescendência criminosa e crime em grupo por parte dos desembargadores que teriam votado a favor do banco, apesar da falsidade evidente dos extratos bancários apresentados pelo Banco do Brasil na rescisória. Segundo o advogado, o que no TJ de Mato Grosso é inédita no Judiciário brasileiro, porque “não é normal 21 dos 29 desembargadores se declararem impedidos e/ou em suspeição” para julgar seus pares.

“Isso é mais uma maracutaia do nosso Tribunal de Justiça. Maracutaia é quando ocorre uma manobra ilegal e prejudicial para uma ou várias pessoas com fins lucrativos ou positivos para uma pessoa ou determinado grupo, no caso uma instituição bancária”, ressalta o médico-advogado.

A verdade, relata Ruy Gonçalves, é que “ninguém quer julgar ninguém, o que carateriza prevaricação por retardar de ofício, pois o Tribunal de Justiça tinha que abrir inquérito para apurar a falsicação de extratos apresentados pelo Banco do Brasil, além da manipulação dos acórdãos, na ação rescisória.

Entenda o caso

O embate jurídico entre o advogado Ruy Gonçalves e o Banco do Brasil começou em 1997 quando a instituição bancária “surrupiou” o dinheiro dele e até hoje, ainda segundo ele, está “aplicando” o seu dinheiro dele e se enriquecendo”, quando empresta dinheiro a juros altos.

Gonçalves tinha uma dívida de cheque especial em uma conta de pessoa física, a qual teria sido assumida por outra conta de sua pessoa jurídica. Conta ainda o advogado, que o BB não deu baixa contábil na transação como deveria ter feito e continuou a cobrar indevidamente a dívida do cheque especial da sua pessoa física.

Na época, a juíza Marilsen Adário mandou o banco devolver o que foi cobrado indevidamente de Ruy Gonçalves pelas mesmas taxas e encargos aplicados na cobrança. E o BB não recorreu dessa decisão, perdendo o prazo (precluindo do seu direito).

Pagina Do e Tjmt – Maria Erotides Consulta Orlando Perri by Enock Cavalcanti

Pagina Do e Tjmt – Orlando Perri Determina Subida Do Processo Para Stf by Enock Cavalcanti

pagina do e tj mt – ruy gonçalves argui suspeição de maria erotides by Enock Cavalcanti

7 Comentários

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 177.215.105.94 - Responder

    Que sujeito mais louco esse ruy,,,,é bom q vi tomar uma bela catracada só stf,,,,,vai ficar com cara de tacho kkkkkk

    • - IP 177.1.233.211 - Responder

      sr augusto. tenha a honestida de de se identificar. a historia desta maracutaia no tjmt ainda nao começou. vem mais bomba por ai. aguarde. e, nao adianta nem me ameaçar de morte como esta acontecendo. a cara de tacho é voce, seu otario puxador de saco. identifique-se e ve se tem coragem de me encarar no judiciario. logico que fora deste, que voce teleguiado mandou esta mensagem. poste seu telefone como eu faço agora e vamos ver se voce nao se esconde sob o seu ip. 81236216

      • - IP 187.5.109.196 - Responder

        Ruy, pq será que ninguém mais fala do processo do Des. Jurandir Lima que está nas mãos do Engavetador Geral a mais de 2 anos para um simples parecer???? Denuncia isso tbém…Estamos com vc !!!!!!

  2. - IP 177.65.158.21 - Responder

    Uma coisa não se pode negar: a persistencia desse doutor rui. ele vai mesmo atrás do prejuizo.

  3. - IP 187.123.0.232 - Responder

    QUE TEMENDO FANFARRÃO ESSE ORLANDO PERRI HEIN! ENTROU BOTANDO BANCA DE HONESTO, DISCURSO MORALISTA E TAL E JÁ DERRAPOU NA PRIMEIRA CURVA. SE ALGUEM, OU ALGUM JORNALISTA TIVER INTERESSE VAI VER QUE NO JUIZADO DE PEQUENAS CAUSAS A COISA É BEM PIOR. TEM AÇÃO LÁ CONTRA O BANCO DO BRASIL QUE ESTA PARADA HÁ MAIS DE TRES ANOS. OU O SENHOR ORLANDO PERRI TOMA UMA ATITUDE EM RELAÇÃO Á ESTE CASO, E QUANTO A MOROSIDADE DOS JUIZADOS DE PEQUENAS CAUSAS OU VAI ENTRAR PARA HAITORIA COMO O PIOR PRESIDENTE DO TJ.

  4. - IP 189.59.54.156 - Responder

    1 bilhão?Não seria desproporcional ao dano causado?Ñ seria 1 milhão?Tem jabuti na arvore!

  5. - IP 201.85.114.178 - Responder

    Surpreendente Dr. Ruy de Souza Gonçalves, se arvorando tanto de exigência de justiça, quando JAMAIS, pagou a pensão alimentícia de seu filho Felippe, ( hoje com 29 anos ), sempre escapando ( SABE-SE LÁ DEUS COMO ), dos oficiais de justiça que lhe levavam as ações judiciais emitidas em São Paulo, para que se fizesse cumprir a lei ( QUE TANTO EXIGE NESTE MOMENTO ), de pagamento devido de pensão ,sem jamais ter ido à cadeia por isto , e também que mora ( SEM JAMAIS TER PAGO ALUGUEL ) na casa que é de seu filho ( POR DOAÇÃO A ELE NOS AUTOS DA NOSSA SEPARAÇÃO). Me surpreende tanta exigência de que se faça cumprir a lei, por alguém que NUNCA a cumpriu com a maior cara deslavada do mundo, e que sempre escapou com maestria das consequências deste não cumprimento. REALMENTE A JUSTIÇA BRASILEIRA É PECULIAR.

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

2 × 1 =