(65) 99638-6107

CUIABÁ

Dinheiro na mão é vendaval

Vendas de Dia das mães devem cair 3,1%, aponta FecomercioSP

Publicados

Dinheiro na mão é vendaval


source
Venda de dias das mães deve apresentar queda pelo segundo ano consecutivo
Agência Brasil

Venda de dias das mães deve apresentar queda pelo segundo ano consecutivo

As vendas do comércio varejista no estado de São Paulo relacionadas ao Dia das Mães podem cair 3,1% em comparação às do mesmo período no ano passado. Em relação ao Dia das Mães de 2019 – o último antes da pandemia de Covid-19 – a queda deve ficar em 4,8%. As projeções foram divulgadas nesta quarta-feira (05) pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) .

De acordo com entidade, no comércio relacionado ao Dia das Mães, apenas as lojas de vestuário, tecidos e calçado s deverão ter crescimento de vendas em maio: 12,6% em relação a maio de 2020. Na comparação com maio de 2019, no entanto, deve haver queda de 59,9%.

Segundo a projeção da FecomercioSP, as lojas de móveis e decoração deverão ter um dos piores Dia das Mães, em termos de vendas, dos últimos anos: queda de 17,7% em relação a maio de 2020 e de 32,5% em comparação à data em 2019.

Leia Também:  Nissan é quinta montadora a paralisar produção no Brasil e dará férias coletivas

Conforme as estimativas, a situação dos revendedores de eletrodomésticos e eletrônicos não será muito diferente: deverão ter retração de 8,2%, comparando-se com o ano passado, e baixa de 24,4% em relação a maio de 2019.

Você viu?

“A pesquisa apresenta um cenário de desconfiança e preocupação das famílias, que veem, de um lado, o auge da crise de Covid-19 no país e, de outro, o declínio de suas condições econômicas – com aumento do endividamento, da inflação e do desemprego e, em paralelo, queda da renda. E, se o auxílio emergencial surge como um alento para a manutenção do consumo, a projeção também mostra a fragilidade conjuntural que existe para além dele”, destacou a entidade em nota.

A FecomercioSP acrescentou que uma mudança de cenário depende do sucesso no controle da pandemia.

Leia Também:  Confederação da Indústria prevê crescimento de 3% do PIB em 2021

“É assim que os indicadores de emprego e renda podem voltar a subir e que as famílias, então, se sentirão mais seguras para voltar ao consumo”, ressaltou a entidade.

De forma geral, considerando não apenas às vendas relacionadas ao Dia das Mães, o setor varejista do estado de São Paulo deve crescer cerca de 2,5% em maio, na comparação com igual mês de 2020.

“Essa alta, na verdade, será motivada principalmente pela demanda por materiais de construção, cujas lojas devem faturar 22,8% a mais do que em maio do ano passado”, ressalta a FecomercioSP.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Dinheiro na mão é vendaval

INSS: auxílio-doença é o benefício com mais chance de ser concedido na  Justiça

Publicados

em


source
INSS
O Dia

INSS

Uma pesquisa realizada pelo Insper (Instituto de Ensino e Pesquisa) contratado pelo CNJ (Conselho Nacional de Justiça) apontou que entre 2015 e 2019 o benefício mais concedido pelo Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS ) foi o auxílio-doença . O levantamento, divulgado no dia 17, mostra alta de 140%  na distribuição de processos de benefícios previdenciários ou assistenciais, a maior parte na Justiça Federal.

Normalmente, os pedidos vão parar na Justiça após o INSS encontrar irregularidades entre a perícia média e a solicitação do segurado. Após a judicialização, a chance de sucesso em uma ação de auxílio ou aposentadoria por invalidez é maior em relação a outros benefícios negados.


Veja como solicitar o benefício

  • Para ter auxílio-doença o segurado precisa passar por perícia médica e apresentar documentos, exames e laudos que comprovem a sua incapacidade
  • Atestados e demais documentos não podem ter qualquer tipo de rasura e devem estar legíveis, ou serão recusados pelo INSS
  • Ao encaminhar a documentação e exames pelo Meu INSS, confira se estão com boa resolução e de fácil leitura
  • Não é apenas o atestado e o laudo que garantem o auxílio-doença, documentos pessoais corretos também são fundamentais para pedir a renda previdenciária
  • Se, no cadastro do INSS, o RG estiver registrado com nome de solteiro, por exemplo, e o nome do segurado mudou após o casamento, o benefício poderá ser negado
Leia Também:  Nissan é quinta montadora a paralisar produção no Brasil e dará férias coletivas

Veja  aqui o passo a passo para pedir pelo aplicativo Meu INSS.



COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

MATO GROSSO

POLÍCIA

Economia

BRASIL

MAIS LIDAS DA SEMANA