(65) 99638-6107

CUIABÁ

Dinheiro na mão é vendaval

Loterias: Ganhadores ‘esquecem’ prêmios que somam R$ 491 milhões

Publicados

Dinheiro na mão é vendaval


source
Loterias: Ganhadores 'esquecem' prêmios que somam R$ 491 milhões
Agência Brasil

Loterias: Ganhadores ‘esquecem’ prêmios que somam R$ 491 milhões

O que você faria se ganhasse na loteria? Então, saiba que os ganhadores deixaram de retirar prêmios que somam R$ 491 milhões em 2021. O levantamento foi feito pelo portal Sorte Online, com informações da Caixa Econômica Federal.

A soma é referente às apostas da Mega-Sena, Dupla-Sena, Quina, Lotofácil, Lotomania e Loteca e corresponde ao período entre janeiro e setembro do ano passado. Os prêmios dos concursos realizados a partir de outubro ainda estão no prazo de resgate, que é de 90 dias.

Se esse prazo se esgotar, o dinheiro é repassado ao Fies (Fundo de Financiamento ao Estudante do Ensino Superior), programa do governo federal que ajuda universitários de baixa renda a bancar seus estudos em instituições privadas.

O valor ‘esquecido’ nos primeiros nove meses de 2021 já é superior ao total relegado durante todo o ano de 2020, que foi de R$ 311,9 milhões.

Somente em abril passado, o montante não resgatado foi de R$ 272,6 milhões. O mês correspondia ao prazo limite para o vencedor da Mega da Virada 2020 retirar seu prêmio,  o que não aconteceu.

Valores não retirados pelos ganhadores de loterias em 2021

  • Janeiro: 27,7 milhões;
  • Fevereiro: 23,3 milhões;
  • Março: 29,8 milhões;
  • Abril: 272,6 milhões;
  • Maio: 23,8 milhões;
  • Junho: 21,5 milhões;
  • Julho: 26,7 milhões;
  • Agosto: 32 milhões;
  • Setembro: 33,4 milhões.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Dinheiro na mão é vendaval

Censo pode ser respondido pelo telefone ou pela internet; veja como

Publicados

em

Censo pode ser respondido pelo telefone ou pela internet; veja como
Arquivo

Censo pode ser respondido pelo telefone ou pela internet; veja como

Além da coleta presencial e pela internet, é possível responder ao Censo 2022 por ligação. Desde o último dia 1º, mais de 183 mil recenseadores estão nas ruas de todos os 5.570 municípios brasileiros para visitar 89 milhões de endereços. 

Entre no  canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia. Siga também o  perfil geral do Portal iG

Esta é a primeira vez que o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) libera a participação pelo telefone — no último Censo, em 2010, já era possível responder as perguntas via internet. A pesquisa é realizada a cada dez anos, mas acabou sendo adiada em 2020 e 2021 devido à pandemia de Covid-19 e a cortes orçamentários.

Independente da escolha (presencial, telefone ou internet), o recenseador deverá visitar o domícilio para captar a coordenada e fazer o contato com o morador.

A partir daí, o cidadão poderá realizar ou agendar a entrevista presencial, marcar com o recenseador uma entrevista por telefone ou optar pelo autopreenchimento via internet. Se escolher responder pela internet, receberá um e-ticket, com validade de sete dias.

Leia Também:  Ovos de Páscoa estão até 40% mais caros este ano em São Paulo

A entrevista por telefone também será utilizada para aqueles que optarem pelo autopreenchimento pela internet, mas não concluírem o questionário. Para isso, o IBGE criou o Centro de Apoio ao Censo (CAC), disponível pelo número 0800 721 8181.

Em caso de recusa ou ausência do morador, o recenseador deixará um bloco de recado e/ou tentará o contato por telefone. Além disso, deverá retornar ao domicílio, no mínimo, mais quatro vezes, sendo que uma obrigatoriamente em turno alternativo.

Depois que o recenseador encerra a coleta no setor censitário, o supervisor retornará nos domicílios com morador ausente ou com recusa expressa e entregará uma carta de notificação, contendo um e-ticket válido por dez dias para o preenchimento pela internet.

Fonte: IG ECONOMIA

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

MATO GROSSO

POLÍCIA

Economia

BRASIL

MAIS LIDAS DA SEMANA