(65) 99638-6107

CUIABÁ

Dinheiro na mão é vendaval

Latam é a 3ª empresa autorizada pela Anac a voar com menos comissários

Publicados

Dinheiro na mão é vendaval


source
LATAM Brasil
Guilherme Dotto

LATAM Brasil

O avanço da variante Ômicron fez com que a Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) autorizasse três empresas a voar com menor número de comissários de bordo por fata de pessoal: A Azul, a Gol e por último a Latam, que teve a permissão concedida nesta quarta-feira (19). A permissão dura até março e será monitorada pela agência. 

As três empresas dominam os céus do país com 98,2% do mercado nacional de aviação em mãos.

Voos com até 150 passageiros poderão ter apenas três comissários seguindo a regra de manter um comissário para cada 50 passageiros.

No caso da Latam, a decisão afeta aeronaves Airbus A320 (que levam até 178 passageiros) e A321 (que levam até 198 passageiros).

Ao g1, a Latam confirmou que foi “oficialmente autorizada pela Aanc a reduzir o número de comissários em seus voos, em função do recente aumento de casos de Covid-19 e de influenza”. 

Leia Também

Segundo a companhia, “o pedido visa minimizar os impactos das dispensas médicas de seus funcionários, que têm ocasionado cancelamentos de voos”. Por fim, a companhia “reforça que não poupará esforços para seguir comunicando com antecedência aos seus clientes qualquer cancelamento de voo que se faça necessário”.

No início do ano a empresa cancelou 11 voos por conta das doenças. Na ocasião a Anac também monitorou as realocações dos passageiros. 

A variante já preocupa o Ministério da Economia, que estuda reduzir a projeção de crescimento do PIB (Produto Interno Bruto) por conta do impacto em setores como o de aviação civil.


COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Dinheiro na mão é vendaval

Bolsonaro nega planos de taxação de empresas como Shein e Shopee

Publicados

em

source
Bolsonaro é contra o aumento de impostos e defende solução alternativa
Reprodução: ACidade ON

Bolsonaro é contra o aumento de impostos e defende solução alternativa

O presidente Jair Bolsonaro contraria Paulo Guedes e afirma que não concorda em assinar medida provisória para taxação de compras por aplicativos. A tese do seu ministro é a de que o digitax (imposto para compras digitais) deve ser uma saída para “equalizar o jogo”.

“Não assinarei nenhuma MP para taxar compras por aplicativos de comércio virtual como Shopee , AliExpress , Shein , etc como grande parte da mídia vem divulgando. A saída deve ser a fiscalização, não o aumento de impostos”.

Paulo Guedes foi questionado na quinta-feira, durante o seminário “Perspectivas econômicas do Brasil”, promovido pela Arko Advice e o Traders Club, sobre a questão que envolve empresas chinesas e seus preços difíceis de se competir.

“Nosso time está trabalhando em digitax com a OCDE. A China é capitalismo selvagem. Está praticando Adam Smith: passa por baixa da aduana, isso é século XVIII, não tem salário mínimo lá.”, diz Guedes.

Leia Também:  Semana de trabalho com 4 dias tem ganhado espaço em empresas

“Tem todo tipo de fraude lá, mas queremos que a regra do jogo seja igual para todo mundo. É uma fraude porque falsifica o valor do bem. Tem algo acontecendo e temos que olhar. Acho que estamos entrando no mundo digital cada vez mais”, complementa.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

MATO GROSSO

POLÍCIA

Economia

BRASIL

MAIS LIDAS DA SEMANA