(65) 99638-6107

CUIABÁ

Dinheiro na mão é vendaval

INSS: 2ª parcela do 13º já está liberada para consulta; veja como

Publicados

Dinheiro na mão é vendaval

source
Segurados do INSS já podem consultar o valor da segunda parcela do 13º salário e do benefício de maio na internet
Redação 1Bilhão Educação Financeira

Segurados do INSS já podem consultar o valor da segunda parcela do 13º salário e do benefício de maio na internet

Os mais de 31 milhões de aposentados e pensionistas do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) já podem consultar o valor da segunda parcela do 13º salário e do benefício do mês de maio na internet. Os pagamentos começam no dia 25, próxima quarta-feira, para quem recebe até um salário mínimo, e 1º de junho para quem recebe mais de um salário mínimo. Os pagamentos serão finalizados no dia 7 de junho. O calendário leva em conta o número final do cartão de benefício, sem considerar o último dígito verificador, que aparece depois do traço. Recebem primeiro os aposentados e pensionistas com benefício com dígito 1. Importante destacar que essa parcela do abono vem com descontos, como o Imposto de Renda, se for o caso.

Entre no  canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia. Siga também o  perfil geral do Portal iG 

Por exemplo, aposentados com 64 anos de idade ou menos são passíveis de Imposto de Renda os valores do abono de quem ganha mais que R$ 1.903,98 mensais. Já os aposentados com 65 anos ou mais terão desconto de Imposto de Renda no 13º salário os segurados com ganhos superiores a R$ 3.807,93 por mês.

E como consultar os valores? Para quem não tem acesso à internet basta ligar para a central de atendimento por telefone do órgão, no número 135. Ao ligar, informe o número do CPF e confirme algumas informações cadastrais, de forma a evitar fraudes. O atendimento está disponível de segunda a sábado, das 7h às 22h.

Leia Também:  Câmara aprova teto do ICMS com compensação a estados até o fim do ano

Já os segurados que têm acesso à web podem acessar o site Meu INSS ( https://meu.inss.gov.br/ ). Após fazer o login, na tela inicial, clique no serviço de “Extrato de Pagamento”. É possível ter acesso ao extrato e todos os detalhes sobre o pagamento do benefício.

A consulta do benefício também pode ser feita pelo aplicativo Meu INSS, disponível para Android e iOS. Assim como no acesso pelo site, de início, é necessário fazer login e senha, e então, todos os serviços disponíveis e histórico das informações do beneficiário serão listados.

Recebem o abono os beneficiários de aposentadorias, auxílio-doença, auxílio-acidente, auxílio-reclusão, pensão por morte e outros auxílios administrados pelo instituto. A exceção fica para quem recebe Benefício de Prestação Continuada (BPC/Loas), que é pago a idosos acima de 65 anos de baixa renda e pessoas com deficiência carentes e equivale a um salário mínimo (R$ 1.212), e Renda Mensal Vitalícia.

Normalmente, o pagamento do abono é feito nos meses de agosto/setembro e novembro/dezembro. Mas, nos dois últimos anos, o pagamento foi antecipado para o primeiro semestre.

Bloqueios

Aposentados e pensionistas que recebem pela modalidade de cartão magnético que não sacam o benefício por dois meses seguidos (60 dias) ficam sem pagamento. O dinheiro, nestes casos, volta aos cofres da Previdência. Conforme o instituto, o bloqueio e a devolução do dinheiro estão previstos no Protocolo de Pagamento de Benefícios, parte integrante do contrato estabelecido entre INSS e a rede bancária.

Para o segurado que teve o benefício cancelado, basta se dirigir ao banco em que recebe o pagamento. Mas para quem deixa passar mais de 60 dias, o desbloqueio precisa ser feito nas agências da Previdência Social. É preciso levar à instituição financeira um documento com foto, como identidade, carteira de trabalho ou carteira de motorista, por exemplo.

“Com o aposentado comprovando o direito de receber, o valor é estornado, corrigido e pago pelo INSS”, explica Adriane Bramante, presidente do Instituto Brasileiro de Direito Previdenciário (IBDP).

Confira o calendário Para quem ganha até 1 salário mínimo

Final de benefício Data de pagamento

  • 1…………………………. 25 de maio
  • 2 ………………………… 26 de maio
  • 3 ………………………… 27 de maio
  • 4 ………………………… 30 de maio
  • 5…………………………. 31 de maio
  • 6 ………………………… 01 de junho
  • 7 ………………………… 02 de junho
  • 8 ………………………… 03 de junho
  • 9 ………………………… 06 de junho
  • 0 ………………………… 07 de junho

Para os que recebem acima do salário mínimo

Final de benefício Data de pagamento

  • 1 e 6 …………………….. 01 de junho
  • 2 e 7 …………………….. 02 de junho
  • 3 e 8 …………………….. 03 de junho
  • 4 e 9 …………………….. 06 de junho
  • 5 e 0 …………………….. 07 de junho

Como pegar o extrato

Pelo aplicativo

  • Abra o app Meu INSS e clique em “Entrar com gov.br”
  • Informe o CPF e em seguida em “Continuar” e, logo após, digite a senha e “Entrar”
  • Na tela acesse “Extrato de pagamento” e clique na seta ao lado do pagamento de maio que o extrato será aberto
  • Para gerar o PDF clique em “Baixar PDF”

Pelo site

  • Acesse www.meu.inss.gov.br e, na página, vá em “Entrar com gov.br”
  • Em seguida, informe o CPF e clique em “Continuar”
  • Na página seguinte, digite a senha e após em “Entrar”
  • Clique em “Extrato de Pagamento”. Nesse item vão aparecer dois valores: pago na competência de abril, que estará como “Pago”, e o de maio. Basta clicar na seta ao lado do pagamento que o extrato será aberto.
  • Para gerar o PDF clique em “Baixar PDF”

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Dinheiro na mão é vendaval

ANP muda regra de estoque de combustíveis para evitar falta de diesel

Publicados

em

ANP alterou regra sobre estoque para evitar falta de diesel nos postos
Marcello Casal Jr/ Agência Brasil

ANP alterou regra sobre estoque para evitar falta de diesel nos postos

A Agência Nacional do Petróleo (ANP) vai propor uma mudança na regulação para aumentar a segurança de abastecimento em meio aos riscos de falta de diesel no Brasil ao longo do segundo semestre deste ano. A decisão ocorreu na tarde desta quinta-feira em reunião da diretoria do órgão regulador.

Pela proposta, a agência quer manter o nível de estoques de diesel S10 em 1.650 metros cúbicos, volume determinado com base na média de maio deste ano. Para alcançar isso, as empresas terão de fazer nove dias de estoques por semana. Até então, a exigência era de três a cinco dias, a depender da região do país.

Hoje, as grandes companhias distribuidoras do país, como a Vibra e Ipiranga, já têm essa média de estoque, de cerca de 9 dias, segundo fontes. Para fontes do setor, a iniciativa é tímida, pois é o volume que já está ocorrendo na prática. Enquanto isso, segundo uma fonte, o setor de abastecimento está em “alerta”.

Leia Também:  Como investir em Bitcoin e outras criptomoedas de forma fácil e segura

Segundo a ANP, vão precisar seguir essa nova regra produtores e distribuidores que tenham um market share acima de 8% com base nas informações relativas ao ano passado. Porém, segundo Valéria Amoroso Lima, diretora executiva de downstream do Instituto Brasileiro do Petróleo (IBP), a medida pode elevar os custos e onerar ainda mais os consumidores.

Pela regra, essa exigência será temporária, valendo apenas entre setembro e novembro.

Entre no  canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia. Siga também o  perfil geral do Portal iG

Estoques chegam a 45 dias

Segundo estimativa da ANP, a demanda total de diesel para o segundo semestre é de 104,7 mil metros cúbicos por dia. Desse total, a importação mínima deve ser de 35% (37 mil metros cúbicos por dia) para poder atender ao consumo, já que a produção nacional será de 67,7 mil metros cúbicos por dia.

Leia Também:  Câmara aprova teto do ICMS com compensação a estados até o fim do ano

Segundo a ANP, se todas as importações forem suspensas, os estoques para suprir o déficit da demanda chegam a 45 dias.

A nova regulamentação precisa passar ainda por consulta e audiência públicas. Entre os novos pedidos, a ANP quer ainda ampliar as informações recebidas.

Desde março, quando declarou “sobreaviso” de abastecimento, a ANP vem acompanhando os estoques. O volume chegou ao máximo de 1.718 metros cúbicos no fim de maio. Na última semana de junho, os estoques estão em 1.523 metros cúbicos, o equivalente ao mês de abril.

Fonte: IG ECONOMIA

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

MATO GROSSO

POLÍCIA

Economia

BRASIL

MAIS LIDAS DA SEMANA