(65) 99638-6107

CUIABÁ

Dinheiro na mão é vendaval

Grupo Origem Premium investe na pecuária de precisão para elevar a produtividade

Publicados

Dinheiro na mão é vendaval


Com um produto competitivo à disposição, você pode elevar a produtividade e assegurar bons resultados! Ter informações precisas para tomar decisões, vender e comprar animais de forma eficiente e ainda, aumentar a lucratividade do negócio, esse é o propósito do Grupo Origem Premium que investe na pecuária de precisão para elevar a produtividade.

Os animais de Raça Araguaia possuem genética exclusiva, desenvolvida por meio da tecnologia de reprodução, melhoramento genético e rigorosa seleção a campo.

Diminuir os custos operacionais é possível adotando práticas capazes de otimizar toda a linha produtiva de sua propriedade. Ao estabelecer um controle maior sobre o que produz a Origem Premium o ajuda a identificar gargalos operacionais para prospectar novos negócios no mercado pecuário, sendo o ganho de produtividade um dos benefícios notáveis para os criadores da Raça Araguaia.

A Raça Araguaia possui características específicas de precocidade, produtividade, qualidade, adaptação e rusticidade.

Na Fazenda Santa Rita, em Torixoréu, no Mato Grosso, o criador e um dos fundadores da Origem Premium, Raul Almeida Moraes Neto, aposta na tecnologia e em técnicas de gestão empresarial, por meio de um protocolo que determina o uso de pastagens de qualidade, o bem-estar animal e o controle sanitário, eficiência na produção pecuária que contribui para a sustentabilidade e torna o processo mais eficiente, ao produzir mais alimento em harmonia com o meio ambiente.

“Na nova configuração produtiva, produzir e conservar são ações correlatas e sinérgicas. Para produzir mais eu tenho que investir em aumento da oferta de alimento, principalmente pastagens, o crescimento das pastagens retira o CO2 da atmosfera para compor os seus tecidos, protege o solo contra a insolação direta, cria um micro ambiente favorável as bactérias do solo, que por sua vez, também, contribuem para a melhoria atmosférica e do meio ambiente. A produtividade na pecuária está muito correlacionada ao encurtamento do ciclo produtivo do animal, esse encurtamento mitiga (diminui) as emissões dos gases do efeito estufa. Os gases produzidos são capturados pelo ambiente produtivo, através do crescimento vegetativo das pastagens e das reservas florestais que compõem a fazenda”.

Com informações precisas à disposição, o Grupo Origem Premium viabiliza a tomada de decisão fundamentada em análise de dados e estudos freqüentes, que resultam no desenvolvimento da pecuária bovina de corte e contribuem para fortalecimento da economia nacional, permitindo à atividade, se consolidar no mercado internacional pela competitividade, a partir dos índices crescentes de produtividade e qualidade.

A precocidade reprodutiva e produtiva dá mais peso na desmama, torna os animais férteis em bem menos tempo e também encurta o ciclo de recria e engorda do gado.

A pecuária de precisão tem se apresentado como um avanço no campo. O grupo adota um modelo de gestão com metas de produtividade e redução de custos, para garantir bons negócios ao setor e ao gestor. Com o mercado interno enfrentando o aumento nos preços de insumos, associada à redução do preço de comercialização, somado, ao cenário do mercado externo, que apresenta recordes quanto à exportação de carne bovina, é necessário investir em modernas técnicas de manejo, mensuração de desempenho e redução dos custos de produção. Desse modo, o Grupo Origem Premium pode melhorar o processo de gestão e auxiliar na maximização dos recursos e na continuidade de seu negócio, destaca o médico veterinário e sócio-diretor da empresa, Alexander Estermann.

“O grande papel da Origem Premium está na revisão dos processos de produção, no encurtamento dos elos da cadeia produtiva, e no aumento da eficiência, através da eliminação do desperdícios ao longo dessa cadeia. Buscamos este encurtamento em seus diversos aspectos, enxugando esse modelo de produção para reduzir custos, e assim, mantermos a competitividade, inclusive, em momentos adversos como esse que enfrentamos agora. Esse é um momento complexo do mercado, vivenciamos uma crise provocada pela incerteza da economia, pelas questões climáticas, pela alta da matéria prima, passamos por uma inflexão da curva na oferta de animais, sendo um momento muito delicado, e uma perda do poder aquisitivo muito grande por parte do consumidor, tanto do mercado interno, quanto externo. Nesse processo, a Origem Premium, faz uma participação ativa em melhorar a eficiência, trazendo segurança para quem produz, considerando as fases de produção, que envolve o produtor rural, o processo de industrialização relacionado a o abate e a desossa, além do posicionamento e o processo de distribuição do produto até o ponto de venda, para chegar ao nível de atendimento do consumidor final”.

Macia & Saborosa, Saudável & Sustentável. Essa é a nossa carne!!!

Em plena ascensão, devido aos investimentos na genética do rebanho, melhores pastos, novas tecnologias, técnicas de manejo e sanidade animal, a pecuária brasileira cresceu e se estabeleceu entre os maiores produtores e exportadores de carne bovina do mundo. Dentre as conseqüências, houve o aumento da concorrência e expectativa do mercado consumidor por carne de melhor qualidade e menor preço. Neste cenário, cada vez mais competitivo e dinâmico, aposte no conceito da pecuária de precisão e garanta a gestão ambiental de seu empreendimento rural. O protocolo Origem Premium pode se tornar um guia vantajoso para a eficácia de seu negócio. Invista em genética, busque o Programa Origem Premium. Para saber mais, entre em contato pelo e-mail: [email protected]

Leia Também:  Apas emite alerta de reposição de mercadorias em meio à greve dos caminhoneiros

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Dinheiro na mão é vendaval

Black Friday digital bate recorde de clientes com mais de 51 anos

Publicados

em


source
Compras online crescem entre os mais velhos
Unsplash/Bench Accounting

Compras online crescem entre os mais velhos

O crescimento do público sênior no e-commerce representa uma importante tendência do mercado. As pessoas dessa faixa etária, segundo a head de Inteligência da Neotrust, Paulina Gonçalves, começaram a se aventurar mais digitalmente durante pandemia, dadas as restrições no comércio físico e risco maior de complicações com a Covid-19.

Shoppings lotados e carrinhos digitais cheios marcaram a Black Friday híbrida . No e-commerce, mulheres fizeram 57% dos pedidos, e pessoas com 51 anos ou mais tiveram participação recorde de 14,41% nas vendas, segundo a consultoria Neotrust, que acompanha dados de mercado on-line. Jovens entre 26 e 35 anos mantiveram a liderança tradicional na data, concentrando 35,08% das compras pela internet.

A prevalência de mulheres no e-commerce está associada ao menor tíquete médio de consumo, em comparação com homens, segundo Paulina. Ela explica que mulheres preferem gastar valores menores nominalmente, mas compensar em quantidade, enquanto homens fazem compras planejadas mais caras, em menor quantidade.

“A mulher compra várias vezes, mas produtos mais baratos, tanto que temos moda e acessórios e beleza e perfumaria entre os mais comprados. Homens, por outro lado, compram com tíquete mais caro, mas em menor quantidade, como bens de consumo duráveis”, analisa.

Monitoramento prévio de preços

Depois de um ano de adaptações às modalidades remotas de venda, varejistas online podem ter faturamento recorde nesta Black Friday, segundo levantamento da Neotrust. Em 2021, o fluxo de vendas chegou a R$ 4,4 bilhões entre meia-noite de quinta e 19h de ontem, aumento de 6% ante 2020.

A alta no faturamento, porém, é puxada pelo aumento do tíquete médio dos consumidores, chegando a R$ 711,24, e do preço médio dos produtos, com alta de 2,3%, podendo chegar a 2,5% até segunda-feira.

Leia Também:  Privatização da Eletrobras é mau negócio? Guedes defende o contrário; entenda

O reajuste abaixo da inflação, por outro lado, indica a tendência das varejistas em absorver custos para conseguir trazer ofertas mais atrativas aos compradores, analisa Paulina. Outras estratégias adotadas envolvem a redução de frete e a aposta em categorias fora do padrão, como bebidas e alimentos.

Leia Também

Nas lojas físicas, o clima é otimista. No Norte Shopping, a Di Santinni espera aumentar o faturamento em 25% a 30% em comparação com 2020. A Vivo, em 40%. A Utilicasa, de 70% a 80%. O Ponto, em 15%. “A gente está acreditando muito nesse crescimento, pois ao longo de toda a semana já houve uma melhora com a pré-Black Friday. E teve muita gente que não comprou nos últimos dois anos, pois estava muito preocupado”, diz a gerente do Ponto Adriana Ramos.

Adriana conta como a loja se preparou para a campanha: “Conseguimos abastecer todas as áreas da loja, estamos com pilhas de produtos e nada falta. Os fornecedores do grupo atenderam bem. E hoje conseguimos ter promoção de TV de 50 polegadas a R$ 2.499, preço que não tem sido visto no mercado”.

O monitoramento prévio de preços auxilia os consumidores na hora de identificar se os descontos são reais ou não. E a lista de compras evita que gastem por impulso. É assim que a maioria dos consumidores agem, como Thayani Sousa, de 36 anos. Ela, que perdeu renda durante a pandemia por ser motorista de transporte escolar. Voltou a comprar nesta Black Friday, mas com cautela.

“A TV da sala estava com fantasma há três meses e dando dor de cabeça. Mas esperei a Black Friday para comprar. Fiquei monitorando preço até agora, pela internet e até presencialmente. Eu estava vendo na faixa de R$ 4.999, e agora achamos por R$ 3.999. Então vou levar”, afirma.

Em geral, as lojas esperam ter resultados apenas um pouco abaixo dos obtidos na campanha pré-pandemia, em 2019. Uma das exceções é o segmento de telefonia, que viu crescer na pandemia a demanda por celulares por causa do home office.

“A loja ficou fechada até maio por causa da pandemia. Mas reabriu em junho e vendeu mais em 2020 com a interrupção do que nos 12 meses de 2019. Então a Black Friday 2020 foi melhor do que a 2019 para a gente. E este ano aumentamos a meta em 40% em relação ao ano passado”, conta a gerente da Claro Amanda Abreu.

Na Utilicasa, o problema do fornecimento não foi resolvido integralmente nesta da Black Friday. “Artigos de metal ainda faltam por ausência de matéria-prima no mercado. Não chegou tudo que queríamos de decoração de árvore, guirlanda. Mas a campanha ainda vai ser bem melhor do que a do ano passado. As pessoas estão saindo com menos medo. Desde quinta, o movimento aumentou muito, principalmente em busca de itens de decoração, cama, mesa e banho. E considerado novembro inteiro, se comparado a outro mês do ano, o faturamento fica 40% maior”, afirma a gerente Fernanda Araújo Santana.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

MATO GROSSO

POLÍCIA

Economia

BRASIL

MAIS LIDAS DA SEMANA