(65) 99638-6107

CUIABÁ

Dinheiro na mão é vendaval

Greve dos caminhoneiros não vai gerar desabastecimento, diz CNT

Publicados

Dinheiro na mão é vendaval


source
Confederação Nacional do Transporte garantiu que transportadoras seguirão trabalhando normalmente
Futura Press/Roberto Vazquez

Confederação Nacional do Transporte garantiu que transportadoras seguirão trabalhando normalmente

Em reunião realizada nesta terça-feira com o ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, O presidente da CNT (Confederação Nacional do Transporte), Vander Costa, garantiu que as transportadoras não devem aderir à greve de caminhoneiros , logo não teria risco de desabastecimento. 

Segundo o site Poder360, o encontro visou “debater a segurança do transporte de cargas no Brasil em uma eventual paralisação dos caminhoneiros autônomos”.

A CNT é contrária à greve marcada para dia 1º de novembro. As transportadoras só parariam se não houvesse segurança para trafegar nas estradas durante os protestos. 

O ministro Tarcísio Freitas participou de um almoço realizado pela Frente Parlamentar do Brasil Competitivo e disse que conversa com líderes da categoria para encontrar uma solução .

Leia Também

“Se o cara não perceber que ele tem que se planejar para ser inserido no mercado, ele vai ter problemas. Tem coisas que o cara tem que pensar. Por exemplo, está sobrando vaga para contratação em empresas de transporte, mas o cara quer se autônomo tendo prejuízo, em vez de ser empregado de uma empresa ganhando R$ 4.000, R$ 5.000”, disse o ministro.

Wallace Landim, conhecido como Chorão, uma das principais lideranças da categoria dos caminhoneiros confirma que apesar da tentativa de minimizar a greve, a  “crise é pior que em 2018” e a categoria “está mais articulada” dessa vez. 

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Dinheiro na mão é vendaval

Chineses ignoram governo e usam criptomoedas para mandar dinheiro para o Japão

Publicados

em


source

Chineses ignoram restrições do governo e estão usando cripto para mandar dinheiro para o Japão

Enquanto o governo chinês continua a lutar contra as criptomoedas, autoridades descobriram como os cidadãos do país usam a tecnologia para burlar as restrições do governo e enviar dinheiro para fora do país.

Conforme divulgou recentemente o governo chinês, diversos cidadãos estão usando as criptomoedas para enviar dinheiro para o exterior, especialmente para o vizinho Japão.

Dessa vez, a descoberta de transações internacionais significativas da China para o Japão foi feita por reguladores japoneses.

No decorrer de uma investigação, descobriu-se que os chineses estavam remetendo fundos para o Japão usando criptomoedas. Em seguida, convertiam esses fundos em ienes japoneses.

Segundo o governo chinês, a descoberta aconteceu durante uma investigação japonesa sobre os fluxos de fundos corporativos. A Agência Nacional de Impostos do Japão encontrou um canal por meio de uma empresa de fotografia japonesa.

Leia Também

A empresa abriu uma conta bancária com foco principal em supostos clientes da China. No entanto, usava isso de fachada para enviar dinheiro dos chineses para o Japão.

Leia Também:  Caixa e Banco do Brasil recuam e abandonam ideia de deixar Febraban

Descobriu-se que a empresa transacionou até 27 bilhões de ienes, equivalente a US$ 235 milhões em 3 anos. Além disso, parte dos ativos era investida em imóveis e outros produtos como forma de esconder o dinheiro.

No que o governo apontou como um caso clássico de lavagem de dinheiro, foram identificados três envolvidos. Eles agiam como intermediários para alguns magnatas chineses que buscam investir no Japão.

Leia Também

Lavagem de dinheiro

As regulamentações na China não permitem que os cidadãos excedam o volume de remessas de US$ 50.000 por pessoa no ano. Qualquer necessidade de exceder este limite exige uma auditoria adequada. Além disso, o processo passa por agências relevantes para relatórios adequados.

Esses investidores, que foram indiciados para enviar dinheiro para o Japão secretamente, simplesmente exploraram o anonimato das transações possibilitado pelas criptomoedas.

Leia Também:  Deputado aluga carro de luxo com dinheiro público: ‘Meu estilo de vida’

O governo usou o caso para reforçar seu posicionamento de proibição das atividades com criptomoedas.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

MATO GROSSO

POLÍCIA

Economia

BRASIL

MAIS LIDAS DA SEMANA