(65) 99638-6107

CUIABÁ

Dinheiro na mão é vendaval

Governo de SP prorroga fase de transição no estado até 30 de junho

Publicados

Dinheiro na mão é vendaval


source
Coletiva de atualização de informações da Covid-19 no Estado de São Paulo
Reprodução: ACidade ON

Coletiva de atualização de informações da Covid-19 no Estado de São Paulo

O Governo do Estado de São Paulo anunciou nesta quarta-feira (09) que prorrogará a fase de transição do Plano São Paulo de combate à Covid-19 até 30 junho. Com a decisão, estabelecimentos comerciais, academia, bares e restaurantes poderão atender presencialmente entre 6h e 21h. 

A medida acontece após registro de aumento de casos de Covid-19 no estado e no país. O Brasil ultrapassa as 476 mil mortes pela doença, sendo que 115 mil óbitos foram registrados no estado de São Paulo, de acordo com dados do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass)

“O Centro de Contingenciamento vê com preocupação o momento que estamos enfrentando na pandeia, com elevação, ainda que em velocidade pequena, do número de internações hospitalares e uso de leitos de UTI, por isso, não  recomendou o afrouxamento dessa fase de transição por mais duas semanas”, disse João Gabbardo, membro do Centro de Contingenciamento.

Leia Também:  Auxílio emergencial: nascidos em fevereiro recebem amanhã; veja calendário

Os membros da comissão ainda sugeriram a redução do horário de funcionamento do comércio em regiões em que leitos de internação estão lotados. O governo deu autonomia para cidades em situação grave para definir a melhor estratégia de restrição, determinação corroborada em decisão do Supremo Tribunal Federal (STF).

“O governo encaminhará aos municípios que estão com uma taxa de ocupação acima de 90% dos leitos de UTI para avaliem a necessidade de tomar medidas mais restritivas do que aquelas que já estão estabelecidas no plano Nós sugerimos a redução de horário de funcionamento de determinados setores econômicos, como o comércio, em algumas regiões”, completou Gabbardo.

Horários de funcionamento na fase de transição 

  • Atividades comerciais: 6h às 21h com 40% da capacidade
  • Atividades religiosas: Autorizadas com 40% da capacidade e distânciamento entre os fiéis
  • Bares e Restaurantes: Consumo local das 6h às 21h com 40% da capacidade e distânciamento entre as mesas 
  • Salões de beleza e barbearia: Atendimento local das 6h às 21h
  • Atividades culturais e esportivas: Atendimento local das 6h às 21h
Leia Também:  TUI fly é a primeira a retomar voos com o MAX na Europa

Em comunicado, o governo ressaltou que o toque de recolher está mantido entre 21h e 5h. 

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Dinheiro na mão é vendaval

Rede Madero pode fechar após dono minimizar pandemia

Publicados

em


source
Madero
Madero/Divulgação

Madero


A rede de restaurantes Madero do bolsonarista Junior Durski disse, em suas demonstrações financeiras do primeiro trimestre de 2021, que o dinheiro em caixa da empresa não seria suficiente para pagar as dívidas de curto prazo na data de vencimento sem financiamento adicional. 

“Foram dois materiais de resultados publicados pela empresa desde o início da pandemia e auditores da rede levantaram, em ambos, a existência de ‘incerteza relevante’ e ‘significativa’ relacionada com a continuidade da operação”, informa o jornal Valor Econômico.

O informe entregue nesta quinta-feira (24) indica que as lanchonetes podem fechar.


Você viu?

Em março de 2020, no início da pandemia de Covid-19 , o empresário Junior Durski minimizou o potencial letal do coronavírus . Segundo ele, o Estado não deveria parar a economia para frear a disseminação da doença porque “5 ou 7 mil pessoas vão morrer”. 

Leia Também:  ONG capta recursos para construção de centro beneficente no Sertão da Paraíba

Veja:


Nesta quinta-feira, o Brasil registrou mais de 507 mil mortes pela Covid-19

No ano passado, a Controladoria Geral da União (CGU)  multou o restaurante em R$ 442 mil por pagar propina em dinheiro e alimentos a funcionários do Ministério da Agricultura. Os funcionários da pasta eram designados para, supostamente, fiscalizar lojas da rede nas cidades de Balsa Nova e Ponta Grossa, no Paraná.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

MATO GROSSO

POLÍCIA

Economia

BRASIL

MAIS LIDAS DA SEMANA