(65) 99638-6107

CUIABÁ

Dinheiro na mão é vendaval

Funcionários de terceirizadas da LG entram em greve nesta terça-feira

Publicados

Dinheiro na mão é vendaval


source
Funcionários da LG em Taubaté
Reprodução/Sindmetau

Funcionários da LG em Taubaté



Trabalhadores de empresas terceirizadas da LG entraram em greve nesta terça-feira (6) para pressionar a empresa a preservar empregos e direitos depois do  anúncio da saída da companhia do setor de celulares . Os funcionários da fábrica da LG em Taubaté, interior de São Paulo, também estão mobilizados.

O momento para os trabalhadores tanto da LG quanto de empresas terceirizadas é de incerteza. A própria companhia afirma que ainda está avaliando possibilidades – dentre elas, estão demissões .

Situação em Taubaté

No Brasil, a única fábrica da LG que produz celulares é a de Taubaté, onde  cerca de 400 funcionários são dedicados ao setor . Os trabalhadores da fábrica estão em estado de greve desde 26 de março, de acordo com o Sindicato dos Metalúrgicos de Taubaté e Região (Sindmetau). O estado de greve é um alerta de que uma paralisação pode acontecer a qualquer momento.

Leia Também:  Bitcoin tem performado muito bem, mas será que pode bater US$ 100 mil em 2021?

Desde que começaram a surgir rumores de que a LG pararia sua produção de celulares, em janeiro, o Sindmetau começou a solicitar reuniões com o presidente da empresa. De acordo com o sindicato, porém, os pedidos não foram atendidos.

Até o momento, o Sindmetau afirma que “a empresa não forneceu informações sobre os impactos de sua decisão em relação aos trabalhadores e a fábrica de Taubaté”. Na tarde desta terça-feira (6), o sindicato tem uma reunião com a LG que pode ser decisiva.

“Para minimizar os efeitos deste encerramento junto aos seus empregados da unidade fabril de Taubaté, a empresa iniciou negociações com o Sindicato da Categoria para implementar compensação adicional aos direitos já vigentes, o que está em andamento. As negociações até o momento podem impactar os empregados dedicados à essa divisão, porém estão sendo avaliadas todas as possibilidades, tais como realocação, transferência ou rescisão”, disse a LG, em nota.

Você viu?

Terceirizadas em greve

Assembleia com as trabalhadoras da Blue Tech, empresa terceirizada da LG
Reprodução/Roosevelt Cássio

Assembleia com as trabalhadoras da Blue Tech, empresa terceirizada da LG

Além da fábrica de Taubaté, a LG também mantém empresas terceirizadas para a produção de celulares no Brasil. De acordo com o Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e Região, 430 trabalhadores devem ser afetados com a decisão da LG, a grande maioria mulheres.

Leia Também:  Lira quer a volta do financiamento privado junto com o Fundão para 2022; entenda

Três fábricas na região produzem exclusivamente celulares para a LG: a Sun Tech, em São José dos Campos, a Blue Tech, em Caçapava, e a 3C, também em Caçapava.

As trabalhadoras entraram em greve nesta terça-feira para lutar pela manutenção dos postos de trabalho. “Caso se consolide o fechamento das fábricas, a entidade reivindica que todos os direitos pagos aos trabalhadores da LG sejam estendidos às funcionárias das fornecedoras”, afirma o sindicato, em nota.

“Vamos exigir, na luta e nos tribunais, que todos os direitos sejam garantidos. A terceirização, amplamente adotada pela empresa, tem como reflexo a precarização de direitos e insegurança jurídica. Mas aqui as trabalhadoras lutarão bravamente por seus empregos e direitos”, afirma o presidente do sindicato , Weller Gonçalves, em nota.

A LG afirma que cumprirá com suas “responsabilidades sociais para minimizar os impactos não apenas à nossa empresa, mas também aos nossos parceiros com os quais mantemos relações comerciais ao longo dos anos”.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Dinheiro na mão é vendaval

IBGE cancela concurso com 204 mil vagas para 2022 e reembolsará candidatos

Publicados

em


source
Concurso para agentes e recenseadores foi cancelado devido à não renovação de contrato com empresa
Reprodução: iG Minas Gerais

Concurso para agentes e recenseadores foi cancelado devido à não renovação de contrato com empresa

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) informou nesta segunda-feira (18) que cancelou o concurso público para agentes censitário e recenseadores para o Censo de 2022. Segundo o instituto, a decisão foi motivada pela não renovação de contrato com a Cebraspe, empresa responsável pelo certame.

Ao todo, o IBGE abriu 204 mil vagas para realização da pesquisa demográfica no ano que vem. 108 mil oportunidades eram para recenseadores, enquanto 5,4 mil seriam destinados para agente censitário municipal e 16 mil para agente censitário supervisor. Os salários variam entre R$ 1,7 mil e R$ 2,1 mil.

O contrato com a Cebraspe se encerrada nesta segunda-feira e o IBGE optou por não renovar o acordo. Outra empresa para assumir a realização do concurso já está em discussão no instituto.

O IBGE ainda informou que devolverá o valor das inscrições para candidatos que já realizaram o cadastro para a prova. No entanto, os trâmites para reaver os valores só serão divulgados nos próximos dias.

Essa é a segunda vez em que o concurso é adiado. No começo do ano, o certame foi suspenso devido ao avanço da pandemia de Covid-19.

Com as proximidades do início de reuniões para definir os trâmites do Censo de 2022, o IBGE tenta agilizar o encontro de uma empresa para realização do concurso. Uma nova data para realização da prova deve ser divulgada até o começo do próximo mês.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

MATO GROSSO

POLÍCIA

Economia

BRASIL

MAIS LIDAS DA SEMANA