(65) 99638-6107

CUIABÁ

Dinheiro na mão é vendaval

Com o aumento da conta de luz, vale investir em energia solar? Veja quanto custa

Publicados

Dinheiro na mão é vendaval


source

A tarifa cobrada pela conta de energia não para de subir. Devido a crise hídrica enfrentada no Brasil, bandeiras vermelhas de diversos níveis já foram implementadas.

Dessa forma, sem muita alternativa, os brasileiros tiveram que inventar diversas maneiras para economizar energia e salvar algum dinheiro no final do mês. Além disso, há riscos de racionamento e apagões caso a situação hídrica não melhore.

Entretanto, o mesmo causador da crise, também é aquele que pode resolvê-la, Como assim? A resposta está no clima. A geração de energia solar, por exemplo, é um ótimo investimento para o futuro.

Portanto, veja como funciona a energia solar e como investir nesse tipo de geração:

Energia solar a domicílio não é novidade

Em diversas cidades do país, essa prática já existe e é incentivada pela gestão política local. Os painéis solares são instalados nos conjuntos habitacionais e servem para atividades domésticas do cotidiano. A princípio, coisas como esquentar a água do chuveiro na hora do banho, um dos grandes vilões do consumo, utilizam esse sistema.

Leia Também:  Pacheco envia carta ao STF e pede aprovação da autonomia do Banco Central

Leia Também

Dessa forma, de acordo com a Agência Internacional de Energia Renovável , a capacidade instalada de fontes de energia renovável, especialmente a energia solar, aumentou em 240% nos últimos cinco anos.

“Tivemos um salto bastante importante nesse setor nos últimos anos, e acredito que o crescimento vai continuar. As pessoas começaram a entender que produzir energia em casa pode ser caro em um primeiro momento, mas valioso a longo prazo”, afirma Francis Polo, engenheiro elétrico e CEO da Polo Engenharia.

Custo inicial é o principal obstáculo

Está mais do que comprovado que investir em energias renováveis, assim como em tecnologias para promover a sustentabilidade, é sinônimo de futuro. Isso porque, cada vez mais, as grandes potências mundiais estão preocupadas em reduzir a poluição e as emissões de carbono.

Leia Também

Entretanto, por ser algo relativamente caro, investir em energia solar e nos custos de instalação é o principal obstáculo. Portanto, este pode ser considerado o único ponto negativo desse tipo de investimento.

Dessa forma, dependendo da capacidade de energia, um painel para captação solar pode custar até R$ 1 mil. Por outro lado, vale lembrar que apenas um painel não adianta muito. Além disso, é preciso de uma série de equipamentos e fiações específicas para o uso da energia captada.

Em suma, um projeto para uma residência pode custar em média R$ 20 mil para a instalação. Todavia, o valor pode variar de acordo com o tamanho da casa e o consumo de energia da família. Mesmo assim, essa quantia se auto paga em cinco anos, de acordo com especialistas.

Depois da instalação, como fica a conta de luz?

Vale lembrar que, mesmo com geração de energia solar, uma residência continua pagando pelo menos o mínimo da conta de luz. Entretanto, as concessionárias estimam que a redução no pagamento de quem gera energia em casa possa chegar a 95%.

Leia Também:  INSS: regra de transição pode fazer você trabalhar mais 6 meses; entenda

Saiba mais em 1Bilhão , parceiro do iG.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Dinheiro na mão é vendaval

Bolsonaro publica MP para pagar R$ 400 a famílias do Auxílio Brasil

Publicados

em


source
null
Alan Santos/ PR

undefined


Após o Congresso firmar um acordo para fatiar a Proposta de Emenda à Constituição 23/2021 (PEC dos Precatórios), o presidente Jair Bolsonaro (PL) publicou a medida provisória (MP) que institui o Benefício Extraordinário. O recurso visa atender às famílias que são beneficiárias do Auxílio Brasil, programa sucessor do Bolsa Família.

O benefício terá valor necessário para alcançar a marca de R$ 400 e será pago junto à parcela de dezembro do Auxílio Brasil. Em novembro, o novo Bolsa Família teve valor médio de R$ 217,18.

Descrito como “extraordinário”, o pagamento se refere apenas a este mês de dezembro, mas com possibilidade de prorrogação de janeiro a dezembro do próximo ano, “consideradas as famílias beneficiárias no mês de referência do pagamento do referido benefício e observada a disponibilidade orçamentária e financeira”.

Leia Também

Para que o governo pague os R$ 400 planejados em 2022, ele depende da conclusão da votação da PEC. A pauta, que é alvo de discussão no Congresso, prevê o adiamento do pagamento de dívidas da União, os precatórios. 

Leia Também:  Governo vê inflação acima do teto e espera PIB de 5,3% em 2021

O governo diz que isso é necessário para abrir espaço no orçamento para o repasse de um auxílio maior aos mais pobres. É por conta dessa dependência que a MP já prevê a possibilidade de prorrogação nos próximos meses.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

MATO GROSSO

POLÍCIA

Economia

BRASIL

MAIS LIDAS DA SEMANA