(65) 99638-6107

CUIABÁ

Dinheiro na mão é vendaval

Ciro Nogueira teria jurado volta do Ministério do Planejamento, hoje com Guedes

Publicados

Dinheiro na mão é vendaval


source
Ministro da Economia já perdeu pasta do Trabalho para acomodar Centrão no governo, agora pode perder status de
Edu Andrade/ ASCOM – ME

Ministro da Economia já perdeu pasta do Trabalho para acomodar Centrão no governo, agora pode perder status de “super ministro”

O recém-nomeado ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira , teria prometido ao Centrão a recriação do Ministério do Planejamento , segundo informações da CNN Brasil. Com isso, o “super Ministério da Economia”, de Paulo Guedes , voltaria a ser apenas mais um, já que o primeiro desmembramento foi feito para acomodar Onyx Lorenzoni, no Trabalho. 

Antes de Guedes, a Economia era dividida em: Planejamento, Trabalho e Fazenda. Com ares de heróis, Guedes unificou os três. A ideia de Ciro, no entanto, seria desmembrar de vez a pasta até o fim do ano.

Entre os partidos que pressionam para a recriação do ministério estariam PP, PL, Republicanos e Solidariedade.

Leia Também:  Homem pesa bife em restaurante e consegue desconto: "parecia refeição infantil"

A expectativa é que Ciro desembarque no Planalto na segunda-feira (26) para assumir o comando da Casa Civil. 

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Dinheiro na mão é vendaval

Volkswagen coloca 800 funcionários em férias coletivas por falta de peças

Publicados

em


source
Fábrica da Volkswagen em Taubaté (SP)
Divulgação/Volkswagen

Fábrica da Volkswagen em Taubaté (SP)

Em meio à escassez de componentes, a Volkswagen vai colocar 800 funcionários da fábrica de Taubaté (SP), o correspondente a um turno, em novas férias coletivas. Segundo o Sindicato dos Metalúrgicos de Taubaté e Região, a medida começa a valer na segunda-feira (27) e se estenderá por dez dias.

O motivo alegado pela montadora é a falta de insumos, sobretudo de semicondutores, que vem sofrendo oscilações no fornecimento e dificultando a produção mundial de veículos.

De acordo com o sindicato, a Volkswagen informou inicialmente que as férias coletivas seriam para 2 mil trabalhadores, mas que poderia sofrer alterações. Até o momento, a medida vale para 800 funcionários, que devem retornar no dia 7 de outubro.

Indústria automotiva enfrenta escassez de chips

O episódio marca a sexta vez no ano em que a Volkswagen concede férias coletivas aos funcionários. Ainda segundo o sindicato, também foram registrados 11 dias de paralisação e mais cinco dias de folga (ambos com utilização do banco de horas) por falta de peças.

Leia Também:  Brasil tem quase 5 mil vagas de concurso público; salários vão até R$ 32 mil

Em julho, a Volkswagen concedeu férias coletivas de 20 dias para o primeiro turno de sua fábrica em São Bernardo do Campo e paralisou parte de sua planta em Taubaté.

No fim de agosto, a montadora também anunciou dez dias de férias coletivas para 2 mil funcionários na fábrica de Taubaté, também por falta de peças.

O problema de abastecimento tem sido enfrentado por toda a indústria automotiva, que lida com a escassez na cadeia global de suprimentos desde o fim do ano passado.

No mesmo dia em que o Sindicato dos Metalúrgicos anunciou a medida adotada pela Volkswagen em Taubaté, trabalhadores da Fiat em Betim aprovaram um programa de suspensão temporária do contrato de trabalho devido a falta de componentes eletrônicos.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

MATO GROSSO

POLÍCIA

Economia

BRASIL

MAIS LIDAS DA SEMANA