(65) 99638-6107

CUIABÁ

Dinheiro na mão é vendaval

Canoas terá a primeira AviãoTeca do país

Publicados

Dinheiro na mão é vendaval


source
Canoas terá a primeira AviãoTeca do país
Guilherme Dotto

Canoas terá a primeira AviãoTeca do país

A Prefeitura de Canoas planeja inaugurar em breve um complexo cultural no Parque Municipal Eduardo Gomes, com um projeto inédito de uma viagem ao mundo em torno de uma Aviãoteca.

Idealizado pelo secretário municipal da Cultura, Pinheiro Neto, o projeto consiste em uma biblioteca no interior de um avião de grande porte, preservando sua estrutura original.

Com uma área cultural no entorno da aeronave, estão previstos um mirante com mini museu da aviação, cafeteria, ecobikes, galeria de artes e espaços demarcados que apresentam, de forma lúdica, os principais pontos turísticos dos seis continentes do planeta.

Esteja informado: clique aqui e leia mais notícias de aviação!

alt

Ao visitar a Aviãoteca, além de contar com o acervo de livros físicos e digitais, os visitantes terão a experiência de um simulador de voo. A iniciativa se preocupada também com a responsabilidade ambiental, prevendo painéis de captação de energia solar. 

Você viu?

“Esse projeto é multidisciplinar e deve contar com patrocínio privado.”

Antecipou Pinheiro Neto

O secretário também destacou que desconhece a existência de um complexo de Aviãoteca semelhante e que todos os elementos previstos marcam um ineditismo internacional para o empreendimento.

Leia Também:  Estados e municípios estudam cobrança de impostos via Pix

O post Canoas terá a primeira AviãoTeca do país apareceu primeiro em Contato Radar – Notícias de aviação .

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Dinheiro na mão é vendaval

Em investimentos, “ser impulsivo é o principal pecado capital”, diz Werner Roger

Publicados

em


source
Werner Roger foi o entrevistado do Brasil Econômico ao vivo desta quinta-feira (25).
Brasil Econômico / Guilherme Naldis

Werner Roger foi o entrevistado do Brasil Econômico ao vivo desta quinta-feira (25).


Entrevistado na live do  Brasil Econômico desta quinta-feira (25), o sócio fundador da Trígono Capital e especialista no mercado de ações  Werner Roger afirmou que quem pretende aprender a investir deve ter paciência, diversificar e não apostar. Para ele, o investidor deve evitar ser impulsivo. 

“Aposta é algo curto, como uma corrida de cavalo, a mega-sena ou um cassino. As apostas são de muito curto prazo e podem dar um lucro muito grande, mas com chances pequenas. No investimento, você tem controle e ele funciona a longo prazo, no mínimo dois ou três anos no futuro”, explicou.

Sobre a diversificação, ele apontou que é importante começar com ações de empresas em diversos setores, o que garante certa segurança para o acionista que está começando, além de certeza de retorno a longo prazo.

O especialista ainda destacou que o mercado de ações “é um investimento racional, e no longo prazo, isso se traduzirá em retorno. Não é uma expectativa de algo que não está no seu controle, mas uma certeza”. 

Leia Também:  American Airlines ligará Nova York a Santiago

Roger é atualmente um dos principais especialistas em ‘small caps’ empresas que estão na bolsa de valores com valor de mercado abaixo de R$ 5 bilhões. Ele explicou porque elas podem ser uma boa alternativa para pequenos investidores e iniciantes. 

“As small caps são mais estáveis que empresas grandes por não chamarem tanta atenção”, disse durante a entrevista. “Além disso, a recuperação das small caps, diante de uma crise, é consideravelmente mais rápida do que as grandes”, completou.

Estatais

Werner aponta que algumas empresas são mais fáceis de privatizar do que outras. Tanto pelo interesse da população e do governo, quanto pelo interesse do mercado. “A Eletrobrás , além de uma companhia de energia, é responsável por muitas usinas, como a nuclear de Angra. É muito complicado vender uma empresa para o setor privado gerir”, contou.  

Você viu?

Ele avalia ainda que o mercado agiu por impulso durante a troca de presidente da Petrobras. Em investimentos, “ser impulsivo é o principal pecado capital” , frisa

Leia Também:  LATAM realiza seu primeiro Check Estrutural de um Boeing 777 no Brasil

“As empresas que continuam estatais têm um desempenho muito inferior às que foram privatizadas. Na mão do setor privado, essas empresas se dão muito bem e são voltadas para a eficiência e o lucro dos acionistas, e não para o lucro político”, relata. 

O baixo rendimento  e as intenções políticas das estatais diminuem o atual interesse de investimento nestas empresas, avalia. Suas privatizações, entretanto, podem torná-las mais atraentes. 

Ainda assim, Roger ressalta que o mercado tem pouco interesse em privatizar estatais comprometidas com questões binacionais, como a hidrelétrica de Itaipu, ou com interesses políticos diretos, como a Petrobras. 

Lives Brasil Econômico

Semanalmente, a equipe do Brasil Econômico traz um entrevistado diferente para discutir assuntos relevantes da economia atual, sempre às quintas, 17h. 

Werner Roger, CIO (Chief Investment Officer) da Trígono Capital e colunista do Brasil Econômico, foi entrevistado pela editora do portal iG, Ludmila Pizarro e pelo repórter João Victor Redevilho. 

Roger ainda falou sobre os benefícios do dividendos, sobre a escolha de empresas para investir e a retomada de serviços que envolvam o público.

Assista na íntegra!


COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CATEGORIA

CATEGORIA

CATEGORIA

CATEGORIA

MAIS LIDAS DA SEMANA