(65) 99638-6107

CUIABÁ

Dinheiro na mão é vendaval

Bolsonaro flertou com o comunismo, diz conselheiro da Petrobras

Publicados

Dinheiro na mão é vendaval


source
Conselheiro da Petrobras criticou Bolsonaro por interferência na estatal, classificada como 'flerte com o comunismo'
Reprodução/TV Brasil

Conselheiro da Petrobras criticou Bolsonaro por interferência na estatal, classificada como ‘flerte com o comunismo’

Marcelo Mesquita, conselheiro da Petrobras , criticou nesta segunda-feira (22) a interferência de Jair Bolsonaro na estatal , classificando-a como um flerte com o comunismo e o PT. O presidente anunciou, na última sexta (19), a troca de comando da estatal , nomeando um general para a presidência da empresa.

“É o primeiro flerte dele de mostrar que ele é comunista , assim como o PT , e não o grande antagonista do PT. É por isso que hoje começou uma nova etapa do governo do Bolsonaro”, afirmou o conselheiro da Petrobras em entrevista à CNN Brasil.

Para Mesquita, a partir de agora, Bolsonaro precisará provar diariamente que a Petrobras não terá nenhuma intervenção do Estado e que “continua independente” como nos últimos anos. O mercado financeiro reagiu mal à decisão de Bolsonaro, e as ações da empresa caíram 21,5% nesta segunda . Com isso, a Petrobras perdeu quase R$ 100 bilhões em valor de mercado.

“O novo trabalho do Conselho, assim como do novo presidente da Petrobras, vai ser de mostrar e provar ao mercado, por atos, que a empresa continua independente como ela foi nos últimos dois anos”, disse Mesquita.

Leia Também:  United voará entre Boston e Londres

Nesta terça, o Conselho de Diretores da estatal vota a aprovação ou não do general Joaquim Silva e Luna , ex-presidente da Itaipu Binacional, como presidente da Petrobras. Caso seja aprovado, ele substituirá o economista liberal Roberto Castello Branco , muito criticado por Bolsonaro nos últimos dias .

Para o conselheiro da Petrobras entrevistado pela CNN Brasil, privatização é a única solução para que a empresa não se desvalorize. “Tem que começar pelas ‘vacas sagradas’, porque são os grandes problemas do Brasil, são as empresas estruturantes para o Brasil, então tem que começar por elas”, afirmou Mesquita, se referindo às vendas de grandes estatais como Petrobras, Banco do Brasil e Eletrobras.

“A primeira coisa é privatizar a empresa. A única solução para essa empresa é ser privatizada, assim como todas as outras estatais brasileiras”, defendeu o conselheiro.

Leia Também:  Qual ação comprar? Confira as melhores opções para fevereiro

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Dinheiro na mão é vendaval

Indústria no Brasil contrata mais do que demite após 10 anos de saldo negativo

Publicados

em


source
null
Arquivo/Agência Brasil

undefined


Pela primeira vez em uma década, as contratações superaram as demissões no mês de janeiro na indústria nacional . A Sondagem Industrial, divulgada nesta quarta-feira (24) pela CNI (Confederação Nacional da Indústria), mostra que o índice de evolução do número de empregados ficou em 51,3 pontos em janeiro de 2021. 

emprego industrial acumula sete meses consecutivos de alta .

O indicador varia de zero a 100, sendo 50 pontos a linha de corte que separa a alta da queda no emprego. Para o gerente de Análise Econômica da CNI, Marcelo Azevedo, em entrevista ao Estado de S. Paulo, as contratações refletem a recuperação da indústria no segundo semestre do ano passado.

A  UCI (Utilização da Capacidade Instalada) ficou em 69%, o que é o maior porcentual para o mês de janeiro desde 2014, embora seja um ponto porcentual menor que o registrado em dezembro de 2020. 

Você viu?

A produção industrial seguiu o movimento normal do início do ano, registrando desaceleração e queda em relação a dezembro de 2020. O índice de evolução de produção ficou em 48,2 pontos, abaixo da linha dos 50 pontos, o que revela queda na produção.

Leia Também:  Qual ação comprar? Confira as melhores opções para fevereiro


Efeitos da pandemia 


“A queda na atividade industrial foi mais forte na passagem de 2020 para janeiro de 2021 do que nos três anos anteriores. No entanto, a produção dos últimos meses do ano passado também esteve mais aquecida. O que percebemos é que, mesmo com a queda, a produção se mantém em nível relativamente elevado, o que explica a alta do emprego em janeiro”, avalia Azevedo.

A pesquisa também revela que os estoques estão abaixo do que as empresas planejavam, mas a queda foi menos intensa e menos disseminada em janeiro do que nos meses anteriores. Além disso, a distância entre o nível de estoque desejado e o estoque efetivo diminui.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CATEGORIA

CATEGORIA

CATEGORIA

CATEGORIA

MAIS LIDAS DA SEMANA