(65) 99638-6107

CUIABÁ

Dinheiro na mão é vendaval

Auxílio Brasil espera PEC dos Precatórios para ser definido, diz relator

Publicados

Dinheiro na mão é vendaval


source
Auxílio Brasil vai substituir o Bolsa Família
Agência Brasil

Auxílio Brasil vai substituir o Bolsa Família

O relator do Auxílio Brasil, deputado federal Marcelo Aro (PP-MG), irá esperar a PEC dos Precatórios para definir o futuro do programa social que vai substituir o Bolsa Família. A  PEC volta a ser discutida na Câmara dos Deputados nesta terça-feira (9).

Com o Auxílio Brasil, o governo pretende aumentar o número de famílias atendidas de 14 milhões para 17 milhões, além de criar nove benefícios complementares, garantindo pagamento mínimo de R$ 400 até o final de 2022, ano eleitoral. Tudo isso depende, porém, da aprovação da PEC dos Precatórios.

“Na questão orçamentária, onde está o grande pepino, a gente estava trabalhando com um valor de R$ 60 bilhões para o novo programa social —saindo dos R$ 34,7 bilhões do Bolsa Família”, diz o relator Marcelo Aro à Folha de S. Paulo.

O programa que põe fim ao Bolsa Família ainda não tem valores, data de duração nem detalhes de  de como será operacionalizado na prática. Aro espera a PEC para definir o Auxílio Brasil, mas é contra seu caráter temporário. “Sou contrário ao benefício temporário. Isso acaba não sendo um programa de Estado, mas um projeto pensando na próxima eleição. Quem tem a vida modificada com um benefício de um ano?”, questiona.

Dependendo do resultado da PEC, é possível que o relator já fixe no texto garantias para os beneficiados que vão além de 2022, tirando parte das decisões das mãos do governo. “Tudo depende de como vai caminhar a PEC dos Precatórios. Se ela for aprovada, vou sentar com os ministérios da Economia e da Cidadania para negociar se nós faremos todas as mudanças ou se eles vão mandar outra medida provisória para contemplar o auxílio temporário, enquanto eu cuido do programa permanente”, diz o deputadoao jornal.

Na sexta-feira (5), o presidente Jair Bolsonaro modificou os valores das faixas de extrema pobreza, de R$ 89 para R$ 100, e pobreza, de R$ 178 para R$ 200, trazendo mais famílias para o programa. A respeito disso, é possível que o parecer do relator vá além, levando a extrema pobreza e a pobreza para, respectivamente, R$ 105 e R$ 210.

Leia Também:  Prévia da inflação fica em 0,44% em maio; a maior em 5 anos

Leia Também

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Dinheiro na mão é vendaval

Criptomoedas têm queda nos preços; confira as maiores desvalorizações

Publicados

em


source
Bitcoin sofre liquidação e derruba todo o mercado: confira as criptomoedas com maiores desvalorizações na semana
Luciano Rocha

Bitcoin sofre liquidação e derruba todo o mercado: confira as criptomoedas com maiores desvalorizações na semana

Durante as últimas 24 horas, o mercado de criptomoedas experimentou uma nova queda forte nos preços. O Bitcoin (BTC), por exemplo, perdeu o suporte de US$ 40 mil e agora opera pouco acima dos US$ 35 mil.

Como resultado, a criptomoeda acumula uma queda de 20% ao longo dos últimos sete dias. Mas as altcoins não fizeram um papel melhor. De fato, absolutamente todas as  criptomoedas do Top 100 encerrou a semana no negativo.

Entre as maiores perdas, o cenário foi ainda pior, pois muitas delas chegaram a cair acima dos 40%. Portanto, a lista dessa semana mostrará não as maiores desvalorizações, mas sim as maiores perdas do mercado.

Disclaimer: a lista leva em conta os preços e percentuais registrados no momento da produção do texto. Além disso, serão consideradas as criptomoedas que estão no Top 100 da lista do CoinMarketCap. Sem mais delongas, eis a lista!

Leia Também:  Atraso no anúncio de valores de benefícios pode prejudicar trabalhador

Loopring (LRC)

A Loopring é uma camada do Ethereum (ETH) especializa na construção de exchanges descentralizadas (DEX). O preço de seu token LRC caiu 42,68% na semana, atingindo R$ 4,35. Com R$ 5,7 bilhões em valor de mercado, o token ocupa a 77ª posição na lista.

Desempenho da LRC ao longo da semana. Fonte: CoinMarketCap.

Harmony (ONE)


Leia Também

Mais uma rede com foco em aplicações descentralizadas, a Harmony também viu seu token ONE sofrer e perder 42,97% de seu valor na semana. Como resultado, o preço do token caiu para R$ 1,11, derrubando seu valor de mercado para R$ 12,8 bilhões. O ONE ocupa a 47ª posição na lista.

Desempenho da ONE ao longo da semana. Fonte: CoinMarketCap.

Curve DAO Token (CRV)

A Curve é uma DEX que fornece liquidez e estrutura para a negociação de stablecoins descentralizadas. Seu token CRV encerrou a semana em queda de 44% e vale R$ 16,18 cada unidade. Já o valor de mercado total chegou aos R$ 7,3 bilhões e ficou na 63ª posição.

Leia Também:  Prévia da inflação fica em 0,44% em maio; a maior em 5 anos

Desempenho do CRV ao longo da semana. Fonte: CoinMarketCap.

Leia Também

Near Protocol (NEAR)

Com queda de 44,86%, o token NEAR ganhou a medalha de prata da semana. Seu preço fechou a semana em R$ 61,86 enquanto seu valor de mercado chegou aos R$ 38,3 bilhões, o que ainda garantiu a 24ª posição ao protocolo.

Desempenho do NEAR ao longo da semana. Fonte: CoinMarketCap.

Gala Games (GALA)

Nem mesmo os badalados jogos em blockchain escaparam da queda, conforme mostra a perda de 45,87% no valor do token GALA. A forte desvalorização derrubou o preço do token para R$ 1,02, e o valor de mercado da Gala atingiu R$ 7,1 bilhões, ficando com a 65ª posição.

Desempenho do GALA ao longo da semana. Fonte: CoinMarketCap.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

MATO GROSSO

POLÍCIA

Economia

BRASIL

MAIS LIDAS DA SEMANA