PREFEITURA SANEAMENTO

DEU NO OLHAR DIRETO: Paulo Taques, que se esquivou de disputas pelo comando da OAB, pode disputar comando da velha e carcomida Maçonaria com o velho e carcomido Osvaldo Sobrinho

Osvaldo Sobrinho, que é "ex" muita coisa e o advogado Paulo Taques. Segundo o Olhar Direto, eles estariam querendo "renovar" a Maçonaria em Mato Grosso

Neste Mato Grosso em que Pedro Taques surgiu levantando esperanças de renovação para acabar se transformando em uma espécie de “novo” Jonas Pinheiro, agregando em torno de si as forças retrógadas do DEM e do PSDB e daquele genérico do Partidão, o PPS, o site Olhar Direto nos revela que a Maçonaria mato-grossense – seriamente abalada depois do Escândalo que acabou levando o Conselho Nacional de Justiça a expurgar do nosso Poder Judiciário alguns dos seus mais destacados membros, em episódio que expos os conflitados bastidores do TJMT diante do Brasil e do mundo – resiste. A Maçonaria mato-grossense resiste, apesar de tudo e de todos. E vê-la pautada em nossa blogosfera é um fato que me surpreende e me alegra, embora o poeta Caetano tenha já tenha nos dito que “as notícias que leio, conheço/já sabia antes mesmo de ler”. Uma eleição estaria marcada para os próximos dias, visando “renovar” o comando da Grande Oriente do Estado de Mato Grosso, que, como nos esclarece o Olhar Direto, não é nenhuma Escola de Samba ou Bloco Carnavalesco pronto a entrar na Avenida, nesta véspera de Carnaval, mas, sim, uma federação a reunir todas as lojas maçonicas de nosso Estado. E a “renovação” se expressaria em uma disputa algo silente entre o ex-governador Osvaldo Sobrinho, cuja carreira política desafia o tempo e a lógica dos partidos políticos em Mato Grosso e o advogado Paulo Taques, que chegou a despontar como esperança de renovação nas lides da Ordem dos Advogados do Brasil mas que, nos dois últimos pleitos da categoria, preferiu ficar de fora das disputas protagonizadas por Cláudio Stábile contra João Scaravelli e de Maurício Aude contra José Moreno e Pio da Silva. Fico daqui matutando: será que uma eleição como esta, travada em meio às estruturas sempre envoltas em mistério da sempre tão imprecada Maçonaria, contribuirá, de alguma forma, para oxigenar o debate e as práticas políticas em Mato Grosso? Matuto, matuto e sinto que não tenho cabedal, não sou nenhum Umberto Eco, não tenho o Pêndulo de Foucault, para oferecer pistas que possam desenhar os rumos dessa entidade e dessas pessoas que insistem em sustentar a permanência destas estruturas milenares. E me consolo, diante de minha própria inabilidade, da minha visão torta, petista, comunista, incapaz de decifrar os grandes impasses da humanidade, me consolo com a idéia de que,  afinal de contas, está chegando mesmo o Reinado de Momo ( outra figura que resiste ao entediante passar do tempo), período em que o mundo inteiro mergulha em cenários de fantasias e de delirios sem fim e nesses dias, a seriedade perde mesmo a importância e ninguém é de ninguém. Até à quarta-feira de cinzas, pelo menos. E no final das contas, talvez seja melhor deixar os mistérios deste povo da Maçonaria para o que o próprio povo da Maçonaria vivencie e resolva. Não pisando em nosso calo, todo mundo pode brincar na grande sambódromo da democracia. Mas, de qualquer forma, que bom que o Olhar Direto ousou e abriu nosso olhar para estes bastidores profundos de nossa convivência social. Vinde e vede, convida o Olhar Direto. Vinde e vede a Maçonaria, em pleno Carnaval. Confira o que publicou o Olhar Direto. (EC)

Ex-senador e Taques concorrem pelo cargo máximo da Maçonaria em MT

Jardel P. Arruda
OLHAR DIRETO

O ex-senador Osvaldo Sobrinho (PTB) e o advogado Paulo Zamar Taques serão concorrentes na eleição da Maçonaria para o posto de grão-mestre da Grande Oriente do Estado de Mato Grosso, federação das lojas maçônicas do estado.

Justiça eleitoral brasileira é exemplo no mundo, acredita Paulo Taques
Paulo Taques avalia que julgamento no STF pode culminar em “prisão em massa”

Essa é pelo menos segunda vez que Osvaldo sobrinho demonstra intenção de concorrer ao cargo máximo da Potência estadual. Em 2010 ele também iria concorrer, mas acabou recuando.

Formado em Economia, Estudos Sociais e Direito, Osvaldo Sobrinho foi professor da rede estadual de Mato Grosso e professor assistente da Universidade Federal do Mato Grosso. Pelo Arena foi eleito deputado estadual de 1978 1985. Já em 1986, pelo PMDB, ascendeu ao cargo de deputado federal constituinte.

Em 1990, agora pelo PTB, foi eleito vice-governador de Mato Grosso na chapa encabeçada por Jayme Campos (Então PFL). Em 1994 candidatou-se ao governo do estado, sendo derrotado no primeiro turno para Dante de Oliveira (então PDT).

Em 1998 candidatou-se novamente à Câmara dos Deputados, mas obteve apenas uma suplência. Já em 2005 teve contas julgadas irregulares pelo Tribunal de Contas da União, da época que chefiou a Secretaria de Estado de Educação, entre 1991 e 1994, pois, segundo o TCU, ocorreu fraude em licitações e utilização de notas fiscais de empresas desativadas. Além disso, responde à ações de improbidade, o que estaria causando polêmica no âmbito da maçonaria. Questionado pela reportagem, ele preferiu não se pronunciar sobre o assunto.

Depois de um hiato político, em 2006 Osvaldo Sobrinho foi segundo suplente do senador eleito Jayme Campos (DEM). Em 2009 assumiu o cargo quando o democrata pediu licença e o primeiro suplente, Luiz Antônio Pagot, renunciou.

Do outro lado, Paulo Taques põe o nome na disputa pela primeira vez, e está na Maçonaria desde julho de 2000, na Loja Acácia do Ocidente nº 7, onde já ocupou o cargo de Venerável Mestre.

A candidatura de Taques teria surgido ante a aproximação do processo eleitoral, quando vários membros da maçonaria teriam sugerido seu nome. Depois disso foi acertada uma chapa, na qual o juiz eleitoral Francisco Ferreira Mendes concorre como vice.

Paulo Taques, graduado em Direito pela Universidade Federal de Mato Grosso, especialista em Direito Eleitoral, com formação em Marketing Eleitoral e Político, já tendo atuado nas campanhas eleitorais de Dante de Oliveira, Júlio Campos, Mauro Mendes e de seu primo Pedro Taques.

4 Comentários

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 201.24.11.102 - Responder

    Enquanto Isso Continua CAOS JUIZADOS DA CAPITAL!!!!……

    no 1 Juizado de Cuiaba Juiza Lucia está de férias alias de Dezembro/2012 e mole!

    no 2 Juizado – Juiz Agameno NUNCA se encontra no seu local de trabalho, um caos nenhum despacho…..

    no 3 Juizado – nem temos Juiz nem auxliar nem titular e mole !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! um CAOS!!!

    no 4 Juizado – Juiza Valdecir andava bem agora ta uma lerdeza só NADA ANDA!!!!!!!!!!!

    no 5 Juizado 0- Juiz Elnaldo dispensa comentários – um CAOS!!!!!!!!!!! nada despacha.

    no 6 Juizado Juiz Sebastião Arruda – NADA NADA faz!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    enfim tem que adotar ponto eletronico para que esses magistrados, realmente prestem serviço ao público que paga seus salários e que salários hemmmmmmmmmmmmmmmmm

  2. - IP 201.40.42.68 - Responder

    maçonaria? eu pensei que isso já tinha deixado de existir a muito tempo, feito máquina de datilografia…

  3. - IP 187.58.29.90 - Responder

    Enquanto Isso Continua CAOS JUIZADOS DA CAPITAL!!!!……

    no 1 Juizado de Cuiaba Juiza Lucia está de férias alias de Dezembro/2012 e mole!

    no 2 Juizado – Juiz Agameno NUNCA se encontra no seu local de trabalho, um caos nenhum despacho…..

    no 3 Juizado – nem temos Juiz nem auxliar nem titular e mole !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! um CAOS!!!

    no 4 Juizado – Juiza Valdecir andava bem agora ta uma lerdeza só NADA ANDA!!!!!!!!!!!

    no 5 Juizado 0- Juiz Elnaldo dispensa comentários – um CAOS!!!!!!!!!!! nada despacha.

    no 6 Juizado Juiz Sebastião Arruda – NADA NADA faz!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    enfim tem que adotar ponto eletronico para que esses magistrados, realmente prestem serviço ao público que paga seus salários e que salários hemmmmmmmmmmmmmmmmm

    ENQUANTO ISSO NOS JUIZADOS DE CUIABÁ NADA ANDA. PARTE III

  4. - IP 177.7.79.38 - Responder

    Esclarecimento: O GOE (Grande Oriente do Estado) não reúne todas as lojas maçônicas do estado de MT (as agremiações GOB e GLEMT são outras entidades), e na obra de Humberto Eco, o Pêndulo de Foucault, que aliás, existe e também é o titulo do livro (será que leu alem do titulo?) não prevê nada.

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

quatro × dois =