CUFA multiplicando agentes em Sinop

CUFA SINOP faz atendimento em um dos bairros com maiores índices de violência do município, a comunidade do bairro São Cristóvão. A localidade concentra a principal camada periférica da cidade, onde as necessidades estruturais são enormes.

Em parceria com a Policia Militar local, serão atendidas cerca de 100 crianças e adolescentes através das oficinas de break e graffiti . Entre as particularidades estão os próprios oficineiros, que foram os primeiros alunos das oficinas em Sinop.

Edson Santos da Silva, que vai ministrar oficinas de break, vem modificando em alta proporção a sua vida. Livre das drogas há um ano, ele é filho de mãe solteira, a qual veio falecer recentemente. Edson se mostra bastante compromissado e confiante. “A CUFA tem sido o alicerce na vida de Edson”, comenta o coordenador da CUFA em Sinop, Anderson Maciel.

Já o instrutor de grafitti, Nilson Araújo, de 18 anos, descobriu seu talento nas artes plásticas através da CUFA, onde é uma espécie de “faz tudo”. Também foi aluno da primeira turma de grafitti, e agora multiplica o conhecimento adquirido.

Anderson Maciel avalia que essas oficinas são resultados de um trabalho que tem como meta promover o desenvolvimento humano dos jovens das favelas de Sinop, formando agentes conscientes de suas próprias realidades.

inserida por Silvana Córdova, fonte: Fernanda Quevedo – Favela comunicação

Categorias:Cidadania

Sem comentários. Seja o primeiro a comentar

Assinar feed dos Comentários

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

2 × 5 =