Comandados pelo Sinpaig, servidores pressionam SAD e cobram reestruturação da carreira técnica na Área Instrumental do Governo

Servidores pressionam SAD e querem encaminhamento de projeto para AL

Categoria pede que secretaria agilize envio de projeto para Casa Civil e depois para a Assembleia Legislativa; projeto prevê reestruturação da carreira

KARINE MIRANDA

HIPER NOTICIAS

Os profissionais Técnicos da Área Instrumental do Governo (Taig) se mobilizam para pressionar a Secretaria de Administração (SAD) a fim de obter agilidade no andamento do projeto de lei que garante a reestruturação da carreira.

O documento prevê a plena definição dos cargos e atribuições dos servidores, de acordo com o presidente do Sindicato dos Profissionais (Sintaig), sindicalista Edmundo Cesar. Eles fizeram ato  na terça-feira (11) em frente à secretaria para chamar a atenção das autoridades.

“Fortalecimento da carreira não é só salário, mas sim, a consolidação das atribuições. Não adianta ficar num lugar ganhando dinheiro se eu não sei o que eu faço e pra quem eu faço”, aponta.

Presidente do Sintaig, Edmundo Cesar, afirma que carreira de profissionais precisa ser valorizada

Atualmente, a categoria tem ampla atuação para organização do Estado. Desempenham as atividades ligadas ao assessoramento do governo para realizar folha de pagamento, a consolidação da receita do Estado, além da participação na Lei de Diretriz Orçamentária (LDO) e execução de orçamento do Estado.

Na prática, o projeto definiria a atuação dos servidores já que eles fazem parte de um mesmo grupo, mas atuam em áreas diversas. O documento extinguiria a carreira de Taig que passaria a ser analista executivo do estado de Mato Grosso.

A proposta já é antiga da categoria, mas conforme Edmundo, não tem ganhado tanto empenho da SAD para o encaminhamento do projeto para a Casa Civil e posteriormente para a AL. “Eles (a SAD) estão atendendo a gente, mas só que está muito devagar. Desde agosto de 2012, estamos lutando pela legislação da carreira”, afirma.

LUTA ANTIGA

A busca da categoria, no entanto, vem desde 2009. Na época, os profissionais exigiram a reestruturação da carreira, sem sucesso. Já em 2010 realizaram uma paralisação de 10 dias e definiu-se que o Governo atuaria primeiro na questão financeira e posteriormente no plano de carreira.

“Nesse projeto não tem nada que envolva financeiro, é o mesmo valor, mesma tabela. Queremos mostrar para a SAD que eles estão sendo muito morosos com nosso pedido. Já podia estar resolvido”, aponta.

A previsão, segundo Edmundo, é que se defina o projeto ainda e encaminhe à Casa Civil ainda nessa semana. “Nós queremos que feche agora esse projeto, no máximo nessa semana, porque não tem mais delonga. Já está praticamente tudo formatado. Basta apenas a vontade política do secretário de mandar para AL”, garante

Até o momento, SAD não se manifestou sobre a possibilidade de agilizar o andamento do projeto, mas a categoria já avisa que não vai ceder. “Não fizeram nada, talvez achando que se ficássemos no pedir por pedir. Que ficássemos só no trabalho político interno. Nos vamos fazer um trabalho político abrangente para a sociedade mato-grossense.”, finaliza.

1 Comentário

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 186.218.196.12 - Responder

    Ficaremos torcendo para que tenhamos o êxito tão almejado.
    Muita paz!..muita luz!….

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

vinte − cinco =