CLÓVIS CARDOSO: Seria o empresário Mauro Mendes seguidor da ideia de que numa guerra a primeira a ser morta é a verdade e por isso trava a eleição como uma batalha para chegar ao poder a qualquer custo?

Diante dos problemas sociais e estruturais que Cuiabá enfrenta, Clóvis Cardoso não tem dúvidas de que Cuiabá precisa de um prefeito que tenha habilidade política e bom trânsito junto aos governos estadual e federal para viabilizar investimentos

Quero um prefeito, não um patrão!
POR CLOVIS CARDOSO

O candidato a prefeito de Cuiabá, empresário Mauro Mendes (PSB), tem explorado, desde o início da campanha eleitoral, o discurso de aperfeiçoamento da gestão pública por meio da incorporação de métodos adotados na iniciativa privada.

No entanto, em meio às frases de que sabe mobilizar equipes em busca do melhor resultado, atingir metas ousadas e aperfeiçoar qualidade de serviços, se esconde o vazio de propostas em relação ao que pode ser feito à frente da Prefeitura de Cuiabá em setores essenciais.

Conforme dados divulgados pelo Instituto Trata Brasil em outubro de 2011, Cuiabá ocupa a 55ª colocação no ranking de qualidade no serviço de esgoto entre 81 cidades com mais de 300 mil habitantes.

O ranking foi baseado em análises dos sistemas de esgoto entre 2003 e 2008, de acordo com números que o Ministério das Cidades colheu entre as empresas e prefeituras. Numa comparação com Capitais do Centro-Oeste, Cuiabá está 41 posições

Na comparação com capitais vizinhas, Cuiabá está 41 posições atrás de Goiânia e 19 atrás de Campo Grande. Isso sem falar em Brasília que ocupa a 9 colocação.

Sabemos que o serviço de água e esgoto da Sanecap foi remetido à iniciativa privada. Conforme a concessionária CAB Ambiental, a água será universalizada no período de 3 anos e o sistema de tratamento de esgoto em 10 anos.

Apesar das visíveis dificuldades de a empresa cumprir metas contratuais e o esgoto a céu aberto ser considerado um problema de saúde pública, Mendes se limita a dizer que, se eleito prefeito, vai exigir medidas duras da Agência Municipal de Saneamento (AMAES) para cumprir o contrato. Ou seja, pouco para quem enche o peito de orgulho para falar que dispõe dos melhores métodos administrativos para identificar soluções.

Concentremos nossas atenções agora para a habitação. Mauro Mendes afirma na propaganda eleitoral que construiu 4 mil casas à frente da presidência da FIEMT (Federação das Indústrias do Estado de Mato Grosso) e promete expandir a construção de casas populares se eleito for.

Uma rápida análise a documentos oficiais e percebemos que o residencial Santa Terezinha é resultado de uma parceria da CEF (Caixa Econômica Federal) que oferece financiamento pelo programa Minha Casa, Minha Vida, empresas privadas que doaram o terreno e mais o investimento de R$ 10 milhões do governo do Estado para garantir a infraestrutura necessária a região. O investimento da FIEMT se restringe a R$ 15 milhões para a construção de uma sede do SENAI para oferecer cursos de qualificação profissional.

E aí fica a pergunta: seria o empresário Mauro Mendes seguidor da ideia de que numa guerra a primeira a ser morta é a verdade e por isso trava a eleição como uma batalha para chegar ao poder a qualquer custo?

Diante dos problemas sociais e estruturais que Cuiabá enfrenta, não tenho dúvidas de que Cuiabá precisa de um prefeito que tenha habilidade política e bom trânsito junto aos governos estadual e federal para viabilizar investimentos. E aí se inclui a parceria com os governos estadual e federal. Não será criticando o governador Silval Barbosa (PMDB) que Mendes construirá esse projeto.

Por isso, defendo que Cuiabá mereça um prefeito e não um patrão acostumado aos gabinetes fechados, o que lhe impede de ter uma visão social amplificada.

Clóvis Figueiredo Cardoso é presidente do PMDB de Cuiabá

Sem comentários. Seja o primeiro a comentar

Assinar feed dos Comentários

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

quatro − 3 =