(65) 99638-6107

CUIABÁ

Brasil, mostra tua cara

NAIME MARTINS: Diga você, o artigo 5º da Constituição brasileira é realidade ou utopia?

Publicados

Brasil, mostra tua cara

Professor Naime

TODOS SÃO IGUAIS PERANTE A LEI? ARTIGO 5º DA CF

Por Naime Martins

Ao que parece, esse é o país onde os que se acham diferentes fazem questão de se segregar, de ser notados como desiguais, exigem tratamento especial, benefícios e privilégios, distanciando-se, ignorando a igualdade que é para todos. Cada grupo luta por si e seus “iguais”, na busca de direitos que os favoreçam, ou que os insiram, que sejam aceitos no mundo atual com suas peculiaridades.

Os de cor ou afro-descendentes, que já foram pretos, negros, etc…, reivindicam uma espécie de compensação pelos anos de cativeiro, época em que eram considerados propridade de uma pessoa que podia inclusive ser “negro”.

Quanto ao perído da escravidão de um modo geral em todos os tempos e continentes, seja de brancos quando uma cidade era dominada por outra (espólio de guerra), seja de índios e de negros, foi uma brutalidade da qual não há adjetivos para desqualificar tal cultura, desatino, era o “humano” destratando um humano, ao ponto de merecer até aplauso nas arenas da tortura, sofrimento e até morte.

Quanto às diferenças, há também de trabalhadores que por estar ocupando um cargo ou função, alguns se sentem superiores, como uma Casta da elite, avocam para si mordomias, vantagens, luxos em detrimento dos demais trabalhadores, que de igual modo contribuem para a grandeza e sobrevivencia de todos.

Leia Também:  CPI DA UNEMAT: A comunidade acadêmica da Unemat está atenta e espera seriedade em todas as investigações da Assembléia

Apesar de nenhuma forma de trabalho ou de ofício ser dispensável, mesmo assim, há aqueles que se intitulam superiores e mais merecedor que outros, fato mais raro nas nações desenvolvidas.

No Brasil, como em tantos outros países, até nos dias de hoje a discriminação e segregação são uma realidade, seja, em grau menor ou até maior. Muitas atrocidades são praticadas contra pessoas por apenas pensar diferente do lider da nação.

Voltando para a realidade brasileira, o desapreço pela vida alheia, vai além do descaso com os de opção sexual diferente e com os afro-descendente; tem os bolivianos que moram em guetos e trabalham em condições análogas ao de escravo,os venezuelanos que mendigam o pão de cada dia nas esquinas e se prostituem, os haitianos camelôs, e outros tantos que por nós são tratados como inferiores. Esse tipo de tratamento, de menosprezo pelos diferentes, sejam de raça, nacionalidade, etnia, religião, cor da pele, categoria de trabalho, profissão é uma realidade em todas as nações, cada qual com suas explicações ou indiferença.

Ainda sobre a acepção de pessoas, há que se considerar a desestima, do rico pelo pobre, não com regra, mas uma triste realidade da prática da humihação de uma pessoa contra a outra.

Leia Também:  WANDERLEY GUILHERME DOS SANTOS: Ciro precisa esclarecer seu apoio à Lava Jato

O certo é que os diferentes, lutam para assegurar um lugar no sol, e tem conseguido atráves das chamadas cotas, um beneficio na concorrência com os “normais”. Já nos idos de 1968 foi criada a Lei do Boi. Segundo o autor da lei, a política de cotas serviria para os indivíduos da zona rural que não conseguiam nota suficiente em disputa com indivíduos da zona urbana, para serem aprovados nas escolas e universidades, então era-lhes reservada vagas nos cursos de agronomia, veterinária e tecnicos agrícolas. Havia ainda reseva nas escolas militares para os filhos de oficiais. A continuar assim, será que ainda vão existir os “normais”?

Essa conversa fiada pode justificar ou explicar esse comportamento tão egoista do ser humano com os diferentes, ou praticado pelos próprios “diferentes”?

Tudo muda, tudo passa. Neste mundo de ilusão; vai para o céu a fumaça, fica na terra o carvão”. (Guilherme de Almeida – Coração)

Diga voce, o artigo 5º da constituição brasileira, é uma realidade ou uma utopia?

Naime Márcio Martins Moraes – advogado e professor universitário – [email protected]

COMENTE ABAIXO:

Propaganda
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Deixe uma resposta

Brasil, mostra tua cara

TSE autoriza inclusão de nove militares em inspeção da urna eletrônica

Publicados

em

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) autorizou a inclusão de nove militares no grupo de técnicos das Forças Armadas que inspeciona o código-fonte da urna eletrônica. O prazo para os trabalhos, que terminaria na última sexta-feira (12), foi prorrogado para o dia 19 deste mês.

Assinado nesta terça-feira (16), o ofício com a autorização foi um dos últimos atos do ministro Edson Fachin como presidente do TSE. Em cerimônia na noite de ontem, ele transmitiu o cargo ao ministro Alexandre de Moraes.

Na autorização, Fachin expressou o reconhecimento do TSE à contribuição das Forças Armadas no âmbito da Comissão da Transparência Eleitoral (CTE), “sobretudo pelo valioso suporte operacional e logístico prestado por elas em todas as últimas eleições”.

A inclusão dos nove militares havia sido solicitada pelo ministro da Defesa, Paulo Sergio Nogueira, na semana passada. De acordo com o ministro, os indicados são técnicos com conhecimento nas linguagens de programação C++ e Java, necessários para a inspeção aos códigos-fonte.  

A indicação dos novos integrantes temporários pela Defesa ocorreu dois dias após o TSE ter excluído o coronel Ricardo Sant’Anna da equipe de inspeção das Forças Armadas. A medida foi tomada porque mensagens publicadas pelo militar nas redes sociais “foram rotuladas como falsas e se prestaram a fazer militância contra as mesmas urnas eletrônicas” que pretendia fiscalizar, disse Fachin, em ofício.

Leia Também:  WANDERLEY GUILHERME DOS SANTOS: Ciro precisa esclarecer seu apoio à Lava Jato

Ao pedir a inclusão dos nove militares, Paulo Sergio Nogueira renovou “a permanente interlocução” do Ministério da Defesa com o TSE, “tendo como maior propósito contribuir para fortalecer o processo eleitoral brasileiro”.

Entenda

Códigos-fonte são as linhas de comando que compõem os programas de computador, que, por sua vez, são empregados no funcionamento de algum equipamento eletrônico. No caso da Justiça Eleitoral, a integridade dos códigos do sistema de votação é fundamental para impedir fraudes.

A inspeção aos códigos-fonte do sistema eletrônico de votação é uma das etapas obrigatórias do processo eleitoral e pode ser feita por dezenas de instituições autorizadas. A lista inclui partidos, Ministério Público Federal (MPF), Polícia Federal (PF), universidades, Tribunal de Contas da União (TCU), Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e Forças Armadas, entre outras.

Em eleições anteriores, a abertura dos códigos para inspeção ocorreu sempre seis meses antes do pleito. No atual processo eleitoral, porém, o TSE decidiu abrir o acesso aos códigos em outubro de 2021, um ano antes da votação. Na época, o então presidente da corte eleitoral, ministro Luís Roberto Barroso, disse que a medida foi tomada para aumentar a transparência.

Leia Também:  JORNALISTA PAULO NOGUEIRA: O grande azar de Eduardo Cunha foi ter ficado ao alcance de quem não está sob seu domínio nem de seus amigos e aliados: a Suíça. No Brasil, Cunha permaneceria impune como sempre aconteceu nestes anos todos de uma carreira obscura e cheia de acusações de delinquência. Nem Moro e nem a Polícia Federal têm alguma ação sobre tipos como Cunha. É preciso destacar também o papel patético, nesta história criminosa, do PSDB. É uma demonstração incontestável de que a lengalenga anticorrupção do PSDB é a continuação da mesma estratégia golpistas que matou Getúlio e derrubou Jango. É a velha UDN de Lacerda ressuscitada nos tucanos.

Entretanto, a inspeção dos códigos-fonte pelas Forças Armadas começou somente neste mês, dois dias após o Ministério da Defesa ter pedido acesso “urgentíssimo” aos dados. Em resposta, o TSE informou que tal acesso encontrava-se aberto desde outubro, bastando que, para isso, fosse feito o cadastramento da equipe para realizar a inspeção na sede do tribunal.

Edição: Nádia Franco

Fonte: EBC Política Nacional

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

MATO GROSSO

POLÍCIA

Economia

BRASIL

MAIS LIDAS DA SEMANA