(65) 99638-6107

CUIABÁ

Cidadania

Homero Pereira, deputado do PR de Mato Grosso, é escolhido por Ong como "Inimigo da Amazônia

Publicados

Cidadania

ONGs inserem deputado de MT na lista dos "Inimigos da Amazônia"
Edilson Almeida
Redação 24 Horas News

    
O deputado Homero Pereira, do Partido da República, foi inserido na lista dos "Inimigos da Amazônia" elaborada pelo Fórum Brasileiro de ONGs e Movimentos Sociais para o Meio Ambiente e o Desenvolvimento (FBOMS). Homero faz parte da bancada ruralista no Congresso, é autor de projeto que reduz áreas de reservas florestais, defendendo maior espaço para produção de alimentos. No total, foram sete premiados como amigos da floresta e nove como inimigos. A lista foi divulgada hoje, Dia do Meio Ambiente, a primeira edição do prêmio "Amigo" e "Inimigo da Amazônia", voltado para os parlamentares que atuam no Congresso Nacional.
    
     Ex-presidente da Federação da Agricultura de Mato Grosso, Homero Pereira, segundo o “ranking”, se destaca na luta contra os povos indígenas. Homero é autor de vários decretos legislativos que tentam anular o reconhecimento de áreas destinadas aos índios do Estado. O parlamentar de Mato Grosso, que já foi secretário de Desenvolvimento Rural do Governo de Maggi, foi incluído na categoria “espécies nativas”. Pelo prêmio, o parlamentar será agraciado com um certificado.
    
     "Esperamos que, nas próximas edições, possamos aumentar os contemplados na categoria "amigo" e reduzir os da categoria "inimigo"", disse Esther Neuhaus, gerente executiva do FBOMS. "Queremos mostrar para os parlamentares que a sociedade está atenta ao que eles estão fazendo e colocar um ponto de exclamação diante daqueles que têm atuação contrária à Amazônia" – ela acrescnetou. Além do FBOMS, a comissão organizadora do prêmio contou ainda com integrantes do Greenpeace, Instituto Socioambiental, Imazon, MST e Amigos da Terra – Amazônia Brasileira.
    
     O deputado paraense Asdrúbal Bentes, o catarinense Valdir Colatto, o paulista Aldo Rebêlo, o cearense Jose Nobre Guimarães, além dos senadores Kátia Abreu (TO), Mozarildo Cavalcanti (RR) e Romero Jucá (RR) estão na lista dos inimigos.
    
     As ONGs elegeram como "Amigos da Amazônia" e vão premiar os senadores Marina Silva (AC), José Néri (PA) Aloisio Mercadante (SP), Crstóvam Buarque (DF), Renato Casagrande (ES), o deputado Sarney Filho (MA) e o deputado Paulo Teixeira (SP).
    
     Os Prêmios "Amigo e Inimigo da Amazônia" têm por objetivos promover a reflexão sobre as perspectivas econômicas, ambientais, sociais e culturais para o desenvolvimento sustentável da Amazônia, fomentar a interação permanente entre os setores governamentais, parlamentares e organizações da sociedade civil na Amazônia, agraciar parlamentares que se destacam com relação ao desenvolvimento sustentável da Amazônia. A entidade ainda quer denunciar posturas e ações nocivas de parlamentares com relação ao desenvolvimento sustentável da Amazônia. Os Prêmios são promovidos pela Aliança Camponesa-Ambientalista em Defesa da Reforma Agrária e do Meio Ambiente.

Leia Também:  RENATO GOMES NERY: "As pequenas transgressões sociais, que se multiplicam, nos impedem de ter uma convivência livre, aberta e fraterna com os nossos semelhantes"

Com Só Notícias, de Sinop

****************************************************

CONFIRA A LISTA COMPLETA DOS AMIGOS E INIMIGOS DA AMAZONIA

Entidades divulgam lista dos parlamentares amigos e inimigos da Amazônia

BRASÍLIA – Entidades ambientalistas divulgaram nesta sexta-feira, Dia Mundial do Meio Ambiente, a lista dos vencedores do Prêmio Parlamentares Amigos e Inimigos da Amazônia 2009.

Fazem parte da comissão organizadora da lista as seguintes entidades: Amigos da Terra – Amazônia Brasileira, Greenpeace, Instituto Socioambiental, Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon), Fórum Brasileiro de ONGs e Movimentos Sociais para o Meio Ambiente e o Desenvolvimento (FBOMS) e o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST)

O objetivo da premiação é divulgar os nomes dos deputados federais e senadores que se destacaram na defesa da Amazônia, bem como dos que mais contribuíram para a destruição desse bioma.

Confira a lista:

Prêmio Amigo da Amazônia

Categoria espécies nativas:

Senadora Marina Silva (PT/AC)

Senador José Nery (PSOL/PA)

Deputado Sarney Filho (PV/MA)

Categoria espécies exóticas

Senador Aloísio Mercadante (PT/SP)

Senador Cristovam Buarque (PDT/DF)

Senador Renato Casagrande (PSB/ES)

Deputado Paulo Teixeira (PT/SP)


Prêmio Inimigo da Amazônia

Leia Também:  ENOCK CAVALCANTI: O que nossas elites predadoras fizeram com o Tribunal de Contas de MT espanta pela ousadia, pelo despudor

Categoria espécie nativas

Senadora Katia Abreu (DEM/TO)

Senador Romero Jucá (PMDB/RR)

Senador Flexa Ribeiro (PSDB/PA)

Deputado Asdrúbal Bentes (PMDB/PA)

Deputado Homero Pereira (PR/MT)

Categoria espécie exótica

Deputado José Nobre Guimarães (PT/CE)

Deputado Aldo Rebelo (PC do B/SP)

Deputado Valdir Colatto (PMDB/SC)

Fonte O Globo

 

****************************

A REPERCUSSÃO DA NOTICIA

Huuuum…a situação de Homero tem tudo pra ser Denorex
Por Eduardo Gomes

O deputado federal Homero Pereira (PR) vive inferno astral. Questionado por ambientalistas, entrou na lista dos “Inimigos da Amazônia” elaborada pelo Fórum Brasileiro de ONG’s e  Movimentos Sociais para o Meio Ambiente e o Desenvolvimento, por ser autor do projeto que prevê a redução de áreas de preservação. Até ai tudo bem.

O pior é que Homero caiu em desgraça junto aos produtores rurais ao assinar a emenda do terceiro mandato para o presidente Lula. O chamegão do deputado federal ruralista e presidente licenciado da Famato, para mais um quadriênio a Lula, significa sinal verde para a permanência de Minc ou de alguém com o perfil dele azucrinando a classe produtora.

Não será fácil convencer os produtores que a emenda resultará em benefícios para o setor produtivo. Daí, o deputado terá que ser muito malabarista para sobreviver ao fogo cruzado onde se meteu, com um detalhe: pode ser atingido por fogo amigo.

Os deputados Eliene Lima (PP) e Valtenir Ribeiro (PSB) também assinaram a emenda que tenta fidelcastrizar o governo Lula. Eliene sabe que está no tacho de Riva, que investirá pesado na eleição do banqueiro Eduardo Moura e do braço direito do Ministério das Cidades, Rodrigo Figueiredo, para a Câmara Federal. Para Valtenir basta olhar o resultado da eleição para prefeito em Cuiabá, no ano passado.

Ou seja, Eliene e Valtenir dançam conforme a música. Já Homero, foi erro de cálculo, ou cálculo muito bem feito.

Fonte Blog do Eduardo Gomes

 

COMENTE ABAIXO:

Propaganda
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Deixe uma resposta

Cidadania

LUIZ CLÁUDIO: Devemos ouvir a população sobre VLT ou BRT

Publicados

em

Por

Luis

A troca do VLT pelo BRT

* Luiz Claudio

Em seu primeiro discurso, após receber o resultado da última eleição, o prefeito Emanuel Pinheiro deixou claro que a gestão do Município sempre estará disponível para debater todas as ações que melhorem a vida da população cuiabana. Acontece que, para que um debate realmente seja uma verdade, esse processo necessariamente deve cumprir etapas como argumentar, ouvir, analisar e, por fim, tomar uma decisão em conjunto.

Essas etapas, essenciais principalmente em assuntos que envolvem mais de 600 mil pessoas, até o presente momento, continuam sendo completamente negligenciadas pelo Governo do Estado de Mato Grosso. O recente caso da troca do Veículo Leve sobre Trilho (VLT) pelo Bus Rapid Transit (BRT) é um grande exemplo dessa dificuldade que a Prefeitura de Cuiabá tem encontrado quando se depara com demandas em que o Executivo estadual está envolvido.

Agora, depois de tomada uma decisão individualizada, se lembraram que existem as Prefeituras Municipais. Com convites para reuniões, as quais o Município não terá nenhuma voz, tentam criar um cenário para validar um discurso de decisão democrática que nunca existiu. Por meio da imprensa, acompanhamos declarações onde se é cobrada uma mudança de postura da Prefeitura de Cuiabá. Mas, qual é a postura que desejam da Capital? A de subserviência? Essa não terão!

Defendemos sim um diálogo. No entanto, queremos que isso seja genuíno. Um diálogo em que as decisões que envolvam Cuiabá sejam tomadas em conjunto e não por meio da imposição. De que adianta convidar para um debate em que já existe uma decisão tomada? Isso não passa de um mero procedimento fantasioso, no qual a opinião do Município não possui qualquer valor.

Nem mesmo a própria população, que é quem utiliza de fato o transporte público, teve a oportunidade de ser ouvida. Isso não é democracia e muito menos demonstração de respeito com aqueles que depositaram nas urnas a confiança em uma gestão. Por conta dessa dificuldade de diálogo foi que o prefeito Emanuel Pinheiro criou Comitê de Análise Técnica para Definição do Modal de Transporte Público da Região Metropolitana do Vale do Rio Cuiabá.

Queremos, de forma transparente, conhecer o projeto do BRT. Saber de maneira detalhada o custo da passagem, o valor do subsídio, tipo de combustível, e o destino da estrutura existente como os vagões do VLT e os trilhos já instalados em alguns pontos de Cuiabá e Várzea Grande.

Confiamos nesse grupo e temos a certeza de que ele dará um verdadeiro diagnóstico para sociedade. Mas, isso será feito com diálogo. Como deve ser! E é por isso que o próprio Governo do Estado também está convidado para participar das discussões, antes de qualquer parecer, antes de qualquer tomada de decisão. Como deve ser!

Assim, em respeito ao Estado Democrático de Direito, devemos ouvir a população que é quem realmente vai utilizar o modal a ser escolhido, evitando decisões autoritárias de um governo que pouco ou quase nada ouve a voz rouca das ruas.

* Luis Claudio é secretário Municipal de Governo em Cuiabá, MT

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Empresário Luis Carlos Becare informa que não tem participação no controle da TV Brasil Oeste, canal 8 de Cuiabá e que responsabilidade por contrato com o "apostolo" Valdemiro Santiago é do empresário e deputado Júlio Campos (DEM)
Continue lendo

MATO GROSSO

POLÍCIA

Economia

BRASIL

MAIS LIDAS DA SEMANA