PREFEITURA SANEAMENTO

CATARINE PICCIONI: Juiz Murilo Mesquita absolve Ronaldo Dias Campos e Marcos Pereira, acusados de roubar R$ 100 mil em espécie do deputado Gilmar Fabris e de sua esposa, a jornalista Anglisey Volcov. Polícia não conseguiu provar o crime

Gilmar Fabris é deputado suplente, na Assembleia de Mato Grosso e está hoje no exercício do mandato devido a uma inesperada licença do tucano Guilherme Maluf

Gilmar Fabris é deputado suplente, na Assembleia de Mato Grosso e está hoje no exercício do mandato devido a uma inesperada licença do tucano Guilherme Maluf

Justiça absolve acusados de roubar R$ 100 mil de deputado de MT

De Brasília – Catarine Piccioni

OLHAR DIRETO

Justiça absolve acusados de roubar R$ 100 mil de deputado de MT

O juiz Murilo Moura Mesquita julgou improcedente denúncia oferecida pelo Ministério Público de Mato Grosso (MPE) e decidiu absolver Ronaldo Dias da Silva Campos e Marcos Pereira da Silva em ação penal em que a dupla foi acusada de roubar R$ 100 mil (em espécie) pertencentes ao deputado estadual Gilmar Fabris (suplente que exerce mandato pelo PSD no lugar de Guilherme Maluf) e à Anglisey Battini Volcov (mulher do parlamentar).

De acordo com a denúncia, o assalto (com arma de fogo) ocorreu em 2007 em frente a uma papelaria na avenida Historiador Rubens de Mendonça, em Cuiabá, e o dinheiro estava na bolsa da mulher. Posteriormente, policiais encontraram a bolsa com R$ 3.972,40 em uma rua do bairro Canjica. Na delegacia, Anglizey Volcov reconheceu Ronaldo Campos como um dos autores do crime.

Em alegações finais, a defesa dos acusados e o próprio MPE pediram a absolvição da dupla, que chegou a ser presa. “Após análise de todo o conjunto probatório, constata-se que a instrução criminal não foi exitosa em demonstrar satisfatoriamente a autoria delitiva”, consta da sentença.

Ronaldo Dias da Silva Campos negou a autoria do crime. Alegou se tratar de uma tentativa de vingança por parte de sua ex-mulher. Afirmou ter ouvido que o autor do crime seria Jonilson Alves Silva, que fugiu da prisão na data do assalto. Campos declarou ainda que nunca teve motocicleta e que no dia do crime estava em casa ou trabalhando.

Já Marcos Pereira da Silva também negou a autoria e relatou não ter motocicleta e arma de fogo. Segundo ele, a ex-mulher de Ronaldo Campos teria dito a policiais que ambos eram amigos e que praticavam crimes juntos.

As vítimas

Em juízo, Gilmar Fabris declarou que, comparando características, os denunciados pelo MPE não eram os assaltantes. Também em juízo, Anglizey Volcov voltou atrás e não confirmou o reconhecimento que havia feito na delegacia – ela alegou estar “muito abalada” na primeira ocasião. “Não existem elementos de prova suficientes que sejam capazes de embasar um decreto condenatório, especialmente no que diz respeito à autoria delitiva”, concluiu Mesquita, em decisão proferida recentemente.

Categorias:Direito e Torto

3 Comentários

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 200.140.109.97 - Responder

    Mas uma coisa se confirmou/confessou: os dois (gilmar fabris e sua esposa) estavam com uma mala com cem mil reais dentro. Talvez estivessem recebendo por alguns “créditos”. Maldita imunidade parlamentar.

  2. - IP 189.75.79.42 - Responder

    Será que poderiam comprovar a origem desse dinheiro em espécie.
    Bah! Esse homem é eleito por quem???

  3. - IP 186.213.229.95 - Responder

    Quem rouba de ladrão tem cem anos de perdão !!!

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

quatro × três =