Caso Empaer será levado a julgamento no TSE

O Tribunal Regional Eleitoral não conseguiu enxergar as provas robustas que documentam o abuso do poder político no chamado Caso Empaer – por isso, o advogado Paulo Taques, responsável pela acusação contra o governador Silval Barbosa, em nome da coligação presidida pelo empresário Mauro Mendes, garante que, através de recurso, levará o caso a apreciação do Tribunal Superior Eleitoral, em Brasilia, tão logo se conclua o julgamento, aqui em Cuiabá. “Minha expectativa é que eles consigam enxergar lá, o que os juízes não conseguiram enxergar aqui”, argumentou Taques.

Na noite desta terça-feira, a tese do abuso do poder político – defendida por Taques e esposada também pelo Ministério Público Eleitoral, com apoio de uma pequena mas ruidosa platéia convocada pela Ong Moral e pelo MCCE – acabou derrotada dentro do Pleno do TRE por uma maioria de 5 votos, já que o pedido de vista do juiz federal Pedro Francisco não deve influenciar o resultado final da votação.

A procuradora eleitoral substituta Ana Paula Fonseca de Góes Araújo, que reforçou os argumentos de Paulo Taques pela cassação do diploma de Silval Barbosa e Chico Daltro, fez um longo pronunciamento detalhando os fatos que respaldaram seu convencimento pessoal com relação à culpa do atual governador e seu vice. Ela demonstrou como o presidente da Empaer e seu direitor, Sérgio Mazzeo, ao tentarem desmentir a atuação do Palácio Paiaguás, através da Casa Civil do governo de Silval Barbosa, na organização e convocação da reunião dos candidatos da coligação PMDBC-PR-PT com os servidores da Empaer, outra coisa não fizeram senão confirmar essa atuação.

Os argumentos da procuradora Ana Paula  todavia, foram inteiramente desconsiderados pelo relator desembargador Gerson Paes e pelos juízes Sebastião Barbosa, Samuel Dalia Costa, Francisco Ferreira Mendes e André Pozetti em seus votos. O juiz Sebastião Barbosa chegou a reconhecer a prática de abuso do poder político mas atenuou suas consequências dado o fato da pequena participação de pessoas da reunião da Empaer e do pequeno percentual de servidores daquela empresa que efetivamente compareceram à reunião eleitoral comandada por Silval Barbosa, Blairo Maggi, CArlos Abicalil e outros políticos.

O juiz Samuel Dalia Junior, em seu voto, deixou completamente de lado a análise técnica do processo e das provas arroladas para argumentar que um candidato como Silval Barbosa, que superou seu adversário mais próximo, o empresário Mauro Mendes, com uma dianteira de mais de 200 mil votos nas urnas, não precisaria recorrer ao tipo de estratagema alegado pelo advogado Paulo Taques para conquistar votos dentro de uma empresa como a Empaer, com tão pequeno contingente de votos.

Os secretários José Lacerda, da Casa Civil, e Cesar Zilio, de Administração, estiveram no plenário do TRE, acompanhando a votação e participando das comemorações pelo resuiltado, francamente favorável ao governador Silval Barbosa.

5 Comentários

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 187.123.8.49 - Responder

    Silval, é Governador; é quem repassa dinheiro aos magistrados; os magistrados do TRE, são pagos por Silval; vcs acham que eles votariam contra Silval?????????/. Nem mortos kkkkkkkkkkk

  2. - IP 186.213.97.26 - Responder

    É de doer a justiça nesse país. O que vale pra uns não vale pra outros. Vergonha! No fundo, no fundo, não se pode esperar muito dela, muito menos em Mato Grosso, onde os poderes se misturam e se merecem.

  3. - IP 187.6.5.76 - Responder

    O grande responsável pelos desmandos eleitorais (e eleitoreiros), corrupção e tudo mais, já sabemos quem é: A não punição severa dos desvios de conduta perpetua os desmandos, com a conivência de quem devia coibir. Como diz aquele slogan: ” tá tudo dominado”.
    Aliás, falndo em punição, alguém acredita que a CPI punirá alguém severamente? E o mensalão, alguém será punido?
    Quem viver verá.

  4. - IP 201.34.16.181 - Responder

    Mauro Mendes é um perdedor qualificado e esse Advogado Paulo Taques é outro perdedor costumaz,perdeu várias vezes pela disputa da OAB,todo grupo que ele se junta,perde.É preciso respeitar a vontade da maioria absoluta dos eleitores de MT. Por falar em abuso do poder econômico ,nas duas campanhas que disputou e perdeu,o Mauro Mendes gastou horrores de dinheiro,confessado pelo próprio publicamente.Não tem santinho em disputa eleitoral e vamos parar de hipocrisias ….

  5. - IP 189.77.118.40 - Responder

    Pensando bem, foi melhor assim. Imaginemos o RIVA governador de Mato Grosso por 8(oito) meses??? Nós, Matogrossense, iríamos pertencer a CHINA. Ele nos venderia.
    Como diz o Ditado: Tá ruim mas tá bom , ou, É fácil mas é complicado.
    Há males que vem prá bem. Nem todas as “desgraças” são tão ruim.

    Cuiabano

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

2 × dois =