(65) 99638-6107

CUIABÁ

Brasil, mostra tua cara

MCom articula mais US$ 1 bi de investimentos para inclusão digital

Publicados

Brasil, mostra tua cara


O ministro das Comunicações, Fábio Faria, garantiu junto ao presidente do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), Mauricio Claver-Carone, mais US$ 1 bilhão para inclusão digital na Região Norte. Com o acordo, o governo federal terá US$ 2 bilhões para investimentos na área, sendo US$ 1 bilhão para a Região Amazônica.

“Pedi uma linha de crédito, um incentivo, ao presidente [do BID] para que possamos levar internet, o mais rápido possível, às pessoas que mais necessitam”, disse Faria, que se reuniu com Claver-Carone na sede do BIB nesta quarta-feira (9).

O ministro lidera uma comitiva oficial do governo federal, acompanhada de integrantes do Tribunal de Contas da União (TCU), aos Estados Unidos para conhecer modelos de uso seguro da rede 5G e promover investimentos no setor de telecomunicações brasileiro.

Edição: Fábio Massalli

Leia Também:  CID GOMES, O HOMEM QUE MATOU O FACÍNORA: Comentarista da TV Gazeta, jornalista Bob Fernandes, destacou o fato raro presenciado pela sociedade brasileira, na demissão de Cid Gomes do Ministério da Educação: o fato de um político dizer a verdade; segundo Bob, até que enfim alguém denunciou a chantagem que reina nas relações entre o Congresso e o Poder Executivo. Evidenciou-se com quem e com que métodos a presidente Dilma está sendo pressionada e obrigada a compor. E que ela não faz o governo que quer, mas o que pode, com este Congresso. VEJA EM VÍDEO

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Brasil, mostra tua cara

Governo mantém regras excepcionais no setor de energia elétrica

Publicados

em


A Câmara de Regras Excepcionais para Gestão Hidroenergética (Creg) do governo federal se reuniu nesta sexta-feira (15) e avaliou que as medidas excepcionais que vem sendo adotadas para evitar racionamento seguem sendo necessárias para os próximos meses. Ontem (14), o presidente Jair Bolsonaro afirmou que iria determinar ao Ministério de Minas e Energia (MME) a redução da bandeira tarifária de escassez hídrica, patamar mais alto de cobrança extra na conta de luz..

“Conforme registrado aos membros da Creg, os resultados apresentados evidenciam a assertividade das prospecções realizadas, bem como a importância das medidas excepcionais em curso, apesar dos custos associados, fruto dos esforços empreendidos especialmente com vistas ao aumento das disponibilidades energéticas e das relevantes flexibilizações hidráulicas em usinas hidrelétricas”, informou o ministério em nota.

Instituída em junho deste ano por medida provisória, a Creg é composta pelos ministérios de Minas e Energia; da Economia; da Infraestrutura; da Agricultura, Pecuária e Abastecimento; do Meio Ambiente; e do Desenvolvimento Regional. A principal atribuição do colegiado é adotar medidas emergenciais e para garantir a continuidade e a segurança do suprimento de energia elétrica no país. 

Leia Também:  FILÓSOFO RENATO JANINE:   Surgimento de uma direita agressiva e preconceituosa marca dificuldade dos tucanos continuarem liderando, a partir do centro, a direita

Durante a reunião, foi apontado o aumento das chuvas no país, especialmente na Região Sul, característica que aponta, de acordo com a pasta, para a transição ao período tipicamente úmido. Além disso, há expectativa de ocorrência de chuvas em maiores volumes nas regiões Sudeste/Centro-Oeste no curto prazo.

No entanto, segundo o governo, apesar do aumento das chuvas, “a situação ainda requer atenção, fato também impactado pelas atuais condições do solo, bastante seco, e, portanto, maiores dificuldades de transformação das chuvas em vazões, ou seja, em volumes significativos de água que chegam nos reservatórios do país”.

A Creg decidiu, diante dos resultados apresentados, manter as flexibilizações hidráulicas nas usinas hidrelétricas Jupiá e Porto Primavera no próximo período úmido, entre os meses de novembro/2021 e fevereiro/2022, acatando encaminhamentos sugeridos do Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico (CMSE). Essas medidas servem para reduzir a vazão dos reservatórios das usinas para evitar seu rebaixamento. 

Edição: Fábio Massalli

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

MATO GROSSO

POLÍCIA

Economia

BRASIL

MAIS LIDAS DA SEMANA