(65) 99638-6107

CUIABÁ

Brasil, mostra tua cara

FRACASSO RETUMBANTE: O ato em defesa do golpe contra a presidenta Dilma micou pelo Brasil afora. PSDB, DEM e demais agremiações das elites golpistas não empolgaram a maioria dos brasileiros e só levaram para as ruas seus militantes e cabos-eleitorais renitentes. "Manifestação do apartheid não teve um pobre", diz PAULO HENRIQUE AMORIM. Veja só que desastre: manifestantes foram liderados em Sampa por Alexandre Frota e, em Cuiabá, pelo pastor antigay Victório Galli

Publicados

Brasil, mostra tua cara

 Na manifestação golpista, em Cuiabá, pesou, claro, o fato de vivermos em Mato Grosso, sob reinado do governador golpista Zé Pedro Taques. Mas só o pastor Victorio Galli botou a cara na avenida
Cuiabá, Mato Grosso, submetida ao governo do governador golpista Zé Pedro Taques, deve pontificar como uma das capitais com maior adesão proporcional à manifestação em defesa do golpe neste domingo.
Poderia ser diferente, com o dono dos porcos manipulando os cordéis, por trás do ato?
Mas reparem que só o pastor Victório Galli, conhecido por sua pregação homofóbica, foi quem botou a cara na avenida, para participar desta manifestação que, na cabeça dos manifestantes, há de ficar como “um grande ato civico”.
Mas acredito que essa gente tem simancol. Eles vão acabar olhando pro lado, ouvindo e lendo alguma coisa além da Veja e da Rede Globo…
Victório Galli, líder da restauração conversadora em Cuiabá.

Victório Galli, um dos líderes da tentativa de restauração conservadora, em Cuiabá.

—-

Fracasso retumbante. Impítim não tem as ruas!

Manifestação do apartheid: não teve um pobre
POR PAULO HENRIQUE AMORIM, no CONVERSA FIADA
interna.jpg

Cobertura da Globonews mostra o fracasso

Neste domingo (13) movimentos que defendem o impeachment da Presidenta Dilma Rousseff foram às ruas para reaquecer o assunto.
Em ao menos 100 cidades do país houve manifestações.
Em São Paulo, o evento, que estava marcado para às 13h, não atendeu às expectativas dos organizadores.
Às 13h30, a avenida tinha pouca gente, mesmo para o domingo, que a região é fechada para automóveis.
Meia hora depois, no MASP, marombeiros que  participavam de outro evento decretaram o fracasso dos Golpistas. “Vazia. Nós enchemos o Masp é de maromba”, disse um dos participantes.
Data da manifestação
Pelo twitter, o presidente nacional do PT, Rui Falcão, lembrou que o Ato Institucional 5 (AI-5) foi instituído em um 13 de dezembro.
“A ditadura baixou o Ato Institucional nº 5 e acabou com as liberdades democráticas no País”, manifestou-se.
Rio de Janeiro
Na capital fluminense, o número de manifestantes ficou longe da de manifestações anteriores.
Em tempo: o Conversa Afiada aplicou o Kamometro às manifestações golpistas. Localizou dois negros. Carregavam faixas e eram provavelmente pagos para isso. Kamometro é uma engenhoca criada pelo departamento de Ciência e Tecnologia do C Af para registrar negros. Negros na rigorosa acepção do Gilberto Freire com “i’ – PHA
Em tempo2: tinha mais gente na porta da FIESP em São Paulo contra a CPMF que contra a Dilma.

No Rio, teve mais helicóptero que manifestante
 
Paulo Henrique Amorim é um dos blogueiros de maior sucesso e acesso no Brasil

Paulo Henrique Amorim é um dos blogueiros de maior sucesso e acesso no Brasil


————-

Leia Também:  LUIS NASSIF: O PT é bom de rua, bom de voto e ruim de instituições. Quando Lula assumiu, tentou avançar através de dois operadores: José Dirceu e Antônio Palocci. A lógica que vigorou até agora para Lula e o PT – a cada campanha midiática a resposta das urnas – vale para eleições, não para o jogo institucional que se arma. A grande tacada da mídia serão as investidas contra Lula. Nem se ouse apostas sobre quem pode botar mais gente na rua. Entrar nesse jogo é tiro no pé na certa.

O fiasco na Paulista se resumiu no Frota e num pato cercado de outros patos.

Por Kiko Nogueira, no Diário do Centro do Mundo
o pato na paulista na pagina do enock

 
Os organizadores do protesto anti Dilma na Avenida Paulista estão escondendo o fiasco atrás de uma estranha tese de que se trata de um “esquenta” e não da coisa para valer.
Foram apenas oito dias de organização, alegou um dos líderes (é impressionante como essas milícias têm apenas líderes). Foi frustrante, especialmente, quando se sabe que agora existe, em tese, uma cenoura à frente deles — ou uma mandioca atrás, dependendo do ângulo –, que é o acolhimento do pedido de impeachment por Eduardo Cunha.
Uma das razões para o esfriamento da mobilização é o fator Cunha. Manifestantes um pouco menos fanáticos perceberam, nas últimas semanas, que quem está dando as cartas é um deputado com uma ficha corrida épica.
Sobraram, na “luta”, ignorantes por opção e mal intencionados, que acreditam no fascismo rastaquera de gente como Marcello Reis, do Revoltados Online, e Kim Kataguiri, o popular “Japonês Ruinzinho” do MBL.
Havia sete caminhões de som postados a uma distância aproximada de 500 metros uns dos outros. Isso foi feito de modo a dar a impressão de aglomeração quando, na verdade, as pessoas não conseguiam circular porque os veículos impediam a passagem estacionados na transversal.
Um sinal claro de que a coisa não funcionaria era a presença de políticos do PSDB. João Doria Jr, Serra, Aloysio e Caiado, o amigo de Bumlai, tentaram pegar uma carona na micareta golpista. Alguns deles fizeram discurso.
Com o proverbial talento tucano para captar o ronco das ruas, foi o casamento perfeito da iniquidade com a falta de noção.
Mas a palhaçada pode ser resumida em duas presenças marcantes, que incorporam o espírito desse povo. A primeira é a de Alexandre Frota, um maluco que claramente precisa de ajuda psiquiátrica especializada.
Frota, que já havia gravado um vídeo com ameaças a Lula fantasiado de jihadista do “Estado Islâmico” com uma meia tapando metade da cara, avisou que foi representar a “classe artística de bem”.
A segunda figura estava no meio da galera, impávido: um pato inflável, cortesia da criatividade do presidente da Fiesp Paulo Skaf, o Caveira, que numa entrevista ao Estadão cravou que “mudança pode ser por impeachment, renúncia ou outra forma”.
O pobre pato nunca achou que encontraria tantos como ele, com a diferença de que seus pares eram mais perigosos e esquisitos. O pato é o único animal que consegue dormir com metade do cérebro e manter a outra em alerta. Seus novos amigos, ele logo percebeu, mantêm as duas metades desligadas o tempo inteiro.
alexandre frota puxa ato contra dilma na paulista na pagina do enock
“Artista de bem”
paulista ato do golpe 13 dez na pagina do enockSucesso
paulista3 no ato do golpe na pagina do enock
“Vamolá, em homenagem ao Ai-5″
Sobre o Autor
KIKO NOGUEIRA – Diretor-adjunto do blogue Diário do Centro do Mundo. Jornalista e músico. Foi fundador e diretor de redação da Revista Alfa; editor da Veja São Paulo; diretor de redação da Viagem e Turismo e do Guia Quatro Rodas.

COMENTE ABAIXO:

Propaganda
6 Comentários

6 Comments

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Deixe uma resposta

Brasil, mostra tua cara

Presidente Bolsonaro condecora ministros com a Ordem do Rio Branco

Publicados

em


O presidente Jair Bolsonaro condecorou hoje (8) personalidades civis e militares com a Ordem de Rio Branco, honraria concedida pelos serviços prestados ao país. A cerimônia de entrega das medalhas foi realizada no Itamaraty, em Brasília. 

Foram agraciados pelo presidente com o grau Grã-Cruz a primeira-dama, Michele Bolsonaro, o ministro da Justiça e Segurança Pública, Anderson Torres, o ministro da Cidadania, João Roma, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, o ministro do Turismo, Gilson Machado, e a ministra da Secretaria de Governo, Flávia Arruda. 

O ministro da Advocacia-Geral da União (AGU), Bruno Bianco, o procurador-geral da República, Augusto Aras, e os presidentes da Caixa, Pedro Guimarães, e do BNDES, Gustavo Montezano, também receberam a honraria. 

A Ordem de Rio Branco foi instituída em 1963 em homenagem ao Barão do Rio Branco, patrono da diplomacia brasileira.

Edição: Pedro Ivo de Oliveira

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Depoimento de diretora da Precisa é remarcado para esta quarta-feira
Continue lendo

MATO GROSSO

POLÍCIA

Economia

BRASIL

MAIS LIDAS DA SEMANA