BOI NA SOMBRA – Desembargadores ganham quase 1 milhão

No mês de julho o maior salário foi pago ao desembargador Juvenal Pereira (vice-presidente do TJ). O salário, depois dos descontos, foi de R$ 62.141,61.O segundo magistrado que mais recebeu foi o desembargador Alberto Ferreira que ficou um líquido de R$ 56.152,81. Márcio Vidal, que aparece em terceiro, ficou com um salário líquido de R$ 52.398,20.

Salário pago aos desembargadores soma R$ 1 mi
Antonielle Costa

A folha de pagamento de desembargadores do mês de julho chegou a quase R$ 1 milhão, de acordo com dados disponíveis no site Tribunal de Justiça. A divulgação dos valores atende uma resolução do Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

No mês de julho o maior salário foi pago ao desembargador Juvenal Pereira (vice-presidente do TJ). O valor bruto foi de R$ 81.045,75, sendo R$ 24.117,64 (remuneração), R$ 5.879,10 (vantagens pessoais), R$ 11.254,90 (indenizações) e R$ 39.794,11 (vantagens eventuais). Os descontos somaram R$ 18.904,14, ficando um valor líquido de R$ 62.141,61.

O segundo magistrado que mais recebeu no mês passado foi o desembargador Alberto Ferreira R$ 56.152,81, sendo R$ 24.117,64 (remuneração), R$ 11.254,90 (indenizações) e R$ 30.147,05 (vantagens eventuais). Os descontos somaram R$ 9.366,78, ficando um valor líquido de R$ 56.152,81.

Já em terceiro lugar ficou o corregedor-geral de Justiça, Márcio Vidal. Ele recebeu R$ 70.066,99, sendo R$ 24.117,64 (remuneração), R$ 2.939,55 (vantagens pessoais) R$ 11.254,90 (indenizações) e R$ 31.754,90 (vantagens eventuais). Os descontos somaram R$ 17.668,79, ficando um valor líquido de R$ 52.398,20.

A desembargadora Maria Erotides também recebeu mais de R$ 50 mil. O salário bruto ficou em R$ 61.499,98, sendo R$ 24.117,64 (remuneração), R$ 11.254,90 (indenizações) e R$ 26.127,44 (vantagens eventuais). Os descontos somaram R$ 9.457,29, ficando um valor líquido de R$ 52.042,69.

Os demais magistrados receberam entre R$ 30 e R$ 35 mil. Veja abaixo

Carlos Alberto – R$ 44.054,89 (bruto) / R$ 33.913,30 (líquido)
Dirceu dos Santos – R$ 44.054,89 (bruto) / R$ 35.189,05 (líquido)
Gerson Paes – R$ 44.054,89 (bruto) / R$ 35.524,76 (líquido)
Guiomar Borges – R$ 44.054,89 (bruto) / R$ 33.913,30 (líquido)
João Ferreira – R$ 41.401,95 (bruto) / R$ 32.035,17 (líquido)
José Jurandir Lima – R$ 44.054,89 (bruto) / R$ 33.868.04 (líquido)
José Luiz de Carvalho – R$ 40.035,28 (bruto) / R$ 31.619,27 (líquido)
José Silvério Gomes – R$ 44.054,89 (bruto) / R$ 33.913,30 (líquido)
Juracy Persiani – R$ 44.054,89 (bruto) / R$ 33.913,30 (líquido)
Luiz Carlos da Costa – R$ 41.401,95 (bruto) / R$ 31.989,91 (líquido)
Luiz Ferreira da Silva – R$ 41.401,95 (bruto) / R$ 31.944,66 (líquido)
Manoel Ornellas – R$ 44.676,89 (bruto) / R$ 34.580,55 (líquido)
Marcos Machado – R$ 41.401,95 (bruto) / R$ 31.537,48 (líquido)
Orlando Perri – R$ 44.054,89 (bruto) / R$ 33.868,04 (líquido)
Paulo da Cunha – R$ 44.054,89 (bruto) / R$ 33.958,55 (líquido)
Pedro Sakamoto – R$ 44.054,89 (bruto) / R$ 33.958,55 (líquido)
Rubens de Oliveira – R$ 53.460,77 (bruto) / R$ 33.671,12 (líquido)
Rui Ramos – R$ 41.401,95 (bruto) / R$ 32.035,17 (líquido)
Sebastião Moraes – R$ 44.054,89 (bruto) / R$ 34.049,06 (líquido)
Clarice Claudino – R$ 44.054,89 (bruto) / R$ 33.958,55 (líquido)
Maria Helena Póvoas – R$ 41.401,95 (bruto) / R$ 31.944,66 (líquido)
Marilsen Addario – R$ 40.437,17 (bruto) / R$ 31.213,01 (líquido)
Evandro Stábile – R$ 40.035,28 (bruto) / R$ 30.647,43 (líquido)

FONTE MATO GROSSO NOTICIAS

10 Comentários

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 189.31.56.9 - Responder

    Meus ilustrados jornalistas Enock e Antonielle!
    Primamos pela transparência o valor divulgado não é do subsídio pura e simplesmente, ali estão incluidos verbas indenizatória e no meu caso A VENDA DE PERIODOS DE FERIAS acumuladas, que não pude gozá-las, em face de estar no cargo de vice presidente e não pude gozá-las e como estavam para prescrever o direito e a legislação permite vende-las é o que fiz. Presto esta informação ä sociedade por respeito. E sabedor que sou serem jornalistas de escol, tenho certeza que prestarão os necessários esclarecimentos ao povo, para assegurar credibilidade do blog. Grato. Juvenal

  2. - IP 201.34.241.135 - Responder

    O materiazinha cretina né? Se dividir um milhão por trinta desembargadores dá 33.333,33 ou seja nada de anormal….Enoque deixa de ser tedndeciosos

  3. - IP 201.86.177.164 - Responder

    Recebeu mais que o teto constitucional? Desculpe, mas tem problema!
    Juvenal vende as férias? Desculpe, mas passou do teto, tem problema!
    Pessoal, vamos baixar a bola e enxergar a realidade.

    FALTA O TCE divulgar a turma da VI, famosa, querida boquinha
    É verdade que a Verba Indenizatória de Conselheiro é 15 mil
    E que eles ganham 50 mil por mês? A conferir!!!

    • - IP 189.10.40.35 - Responder

      Àqueles que se escandalizam quanto ao valor recebido pelos magistrados e qualquer outro servidor público, acerca do teto constitucional, a CF/88 permite o recebimento de verbas indenizatórias, como são as férias indenizáveis, sem que incida a limitação em referência. Veja-se o que dispõe o art. 37, § 11, da Constituição: “§ 11. Não serão computadas, para efeito dos limites remuneratórios de que trata o inciso XI do caput deste artigo, as parcelas de caráter indenizatório previstas em lei.” O inciso XI a que se refere o § trata do teto constitucional.

  4. - IP 201.67.101.109 - Responder

    Essas “vantagens eventuais”e “Vantagens pessoais” são oque exatamente ?? Esse nome tem alguma coisa a ver com a lei de Gerson??

  5. - IP 187.66.61.233 - Responder

    E agora Enock ? Você deve uma nota de esclarecimento para com o magistrado , diante das informações prestadas pelo mesmo . A materia pode vir a soar de maneira espantosa. Direito é Direito caro Jornalista!

  6. - IP 187.5.109.210 - Responder

    Informo que a remuneração referente ao mês de julho inclui valor de indenização por férias não gozadas, o que não incidem os descontos do Imposto de Renda e da Previdência Social. Na remuneração do mês de agosto o valor será inferior, como já pôde ser constatado no mês de junho.

    Desembargador Márcio Vidal

  7. - IP 201.67.63.203 - Responder

    O CNJ deu essa mancada, para que divulgar salários?.Agora qualquer idiota acha que tem o direito de consultá-lo e depois saem fazendo certos comentários que não agradam quem quem soa a sua camisa em suas atividades, cada um tem o salário que merece, falou enock procure estudar quem sabe voce pode ter um salário a nivel de Presidente da Republica.

  8. - IP 201.88.214.100 - Responder

    O que a sociedade não é informada é do número de processos sob a jurisdição dos magistrados! A extensão do valores e a qualidade dos bens postos à suas responsabilidades! O quanto têm de abdicar do convívio com seus familiare e amigos! O quanto têm de renunciar a uma vida tida como normal! Tais circunstâncias revelam ser, o magistrado, uma pessoa com todos os deveres de uma autoridade e sem os direitos de uma pessoa normal quando, sabidamente, são eles, mães e pais de família que desejam para os seus, o mesmo que todos os demais brasileiros, uma vida dígna proporcionada pelo o fruto de seu trabalho! Não é justo que a remuneração que lhe seja paga, seja em igual proporção? É necessário, para que bem informados todos estejam, que ao lado das manifestações sensacionalistas sobre vencimentos de magistrados, coexistam informações sobre as elevadas responsabilidades dos julgadores e de toda natureza de entraves que se colocam nos seus caminhos! O trabalho do magistrado exige detida reflexão, isenção de qualquer esforço externo e dedicação exclusiva! A subserviência financeira colocaria em risco o que há de mais seguro num julgamento: a independência de quem o proferiu! Concito que reflitamos sobre isso: nenhuma paga é suficientemente justa a quem se ocupa de dar a cada um a medida do que lhe pertence, exatamente, porque essa mensuração é, por vezes, dificílima e, na maioria delas, extremamente penosa!!

    • - IP 186.254.22.93 - Responder

      Parabéns, Doutor, pela exata e justa explanação.

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

quinze − 1 =