ASSASSINATO DE SÁVIO BRANDÃO: População poderá acompanhar julgamento de Arcanjo ao vivo. Júri popular será presidido pelo juiz Marcos Faleiros. Leia decisão da ministra Regina Costa (STJ) que negou pedido dos advogados Zaid Arbid e Nabor Bulhões para que julgamento fosse suspenso.

Ministra Regina Helena Costa mantém julgamento de Arcanjo by Enock Cavalcanti

Sávio Brandão, empresário, que foi a vítima;  Marcos Faleiros, juiz encarregado de comandar o julgamento e o comendador João Arcanjo Ribeiro, apontado pelo MPF como chefe do crime organizado, em Mato Grosso, e mandante do crime

Sávio Brandão, empresário, que foi a vítima; Marcos Faleiros, juiz encarregado de comandar o julgamento e o comendador João Arcanjo Ribeiro, apontado pelo MPF como chefe do crime organizado, em Mato Grosso, e mandante do crime

O julgamento de João Arcanjo Ribeiro, denunciado pelo Ministério Público como mandante do assassinato do empresário Sávio Brandão, em 2002, será transmitido na íntegra, ao vivo, pela TV.JUS. Para acompanhar basta acessar o Portal do Tribunal de Justiça de Mato Grosso pelo endereço eletrônico www.tjmt.jus.br e clicar na galeria que estará disponível para a transmissão. Em virtude disso, excepcionalmente nesta quinta-feira, a TV.JUS não transmitirá a sessão do Tribunal Pleno do TJMT.

O julgamento de João Arcanjo está marcado para esta quinta-feira (24 de outubro), a partir das 8h. Não há previsão de horário de encerramento e a expectativa é que se prolongue por toda a noite. Caso não seja concluída, a sessão terá continuidade na sexta-feira (25). O júri popular, que acontece no Fórum de Cuiabá, será presidido pelo juiz diretor do Fórum, Marcos Faleiros.
————-

Regina Helena Costa, ministra do Superior Tribunal de Justiça

Regina Helena Costa, ministra do Superior Tribunal de Justiça


STJ mantém julgamento de João Arcanjo Ribeiro pelo Tribunal do Juri

A ministra Regina Helena Costa, do Superior Tribunal de Justiça, negou o pedido de habeas corpus feito pela defesa de João Arcanjo Ribeiro, acusado de ser o mandante do assassinato do empresário Domingos Sávio Brandão de Lima Júnior, fundador do jornal Folha do Estado, de Mato Grosso. A decisão permite a realização do julgamento pelo tribunal do júri, marcado para esta quinta-feira.

O crime ocorreu em abril de 2003. Conhecido em Mato Grosso como Comendador, o acusado estava no Uruguai e foi extraditado para o Brasil em 11 de março de 2006.

A defesa do acusado pediu a nulidade da ação penal contra João Arcanjo, com a desconstituição do decreto de prisão preventiva ou, alternativamente, a suspensão do julgamento do processo pelo tribunal do júri, até que o Tribunal de Apelações do Uruguai resolva suposta dúvida relacionada à extradição dele.

A ministra Regina Helena Costa transcreveu trechos importantes da decisão do Tribunal de Justiça de Mato Grosso que o negou habeas corpus ao acusado. Em um desses trechos, o Tribunal de Justiça aponta que a extradição de João Arcanjo foi acatada pelo Tribunal de Apelações do Uruguai. Segundo a ministra, não há indícios suficientes de que João Arcanjo seja vítima de constrangimento ilegal. O mérito do recurso em habeas corpus ainda será julgado pela Quinta Turma do STJ.

2 Comentários

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 177.17.202.235 - Responder

    O julgamento do laranja.

  2. - IP 179.217.113.150 - Responder

    Raraiiiiii deveria colocar a foto dele atual né, rrsr .

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

três × 3 =