Arena Pantanal abre as portas para 20 mil torcedores com Mixto x Santos nesta quarta. O estádio receberá quatro partidas na Copa do Mundo: Chile x Austrália (13 de junho); Rússia x Coreia do Sul (17 de junho); Nigéria x Bósnia-Herzegovina (21 de junho); e Japão x Colômbia (24 de junho)

arena_pantanal_12_0

A primeira partida da Arena Pantanal, em Cuiabá, será realizada às 22h (horário de Brasília) desta quarta-feira (02.04), com o duelo entre Mixto (MT) e Santos (SP). O confronto, que poderá ser visto por 20 mil espectadores no estádio, é válido pela primeira fase da Copa do Brasil. Caso o time visitante vença por uma diferença igual ou superior a dois gols, elimina o jogo de volta. O público ficará localizado nas arquibancadas inferiores – os níveis superiores ainda terão os assentos instalados.

O estádio receberá quatro partidas na Copa do Mundo, todas pela primeira fase da competição: Chile x Austrália (13 de junho); Rússia x Coreia do Sul (17 de junho); Nigéria x Bósnia-Herzegovina (21 de junho); e Japão x Colômbia (24 de junho).

Na reta final das obras, o local recebe os últimos retoques de acabamento e paisagismo. Haverá um esquema especial de trânsito para este primeiro confronto e a operação de segurança será feita por mais de mil profissionais. O evento-teste oficial da FIFA no estádio está agendando para o dia 26 de abril, com o jogo entre Luverdense x Vasco, válido pela Série B do Campeonato Brasileiro.

Único estádio da Copa do Mundo a não ter os quatro cantos fechados, com pelo menos um anel de arquibancada contínuo, a Arena Pantanal se diferencia pelo projeto arquitetônico e pelas ações de sustentabilidade. As “esquinas” foram deixadas livres, com o objetivo de facilitar a ventilação cruzada dentro do local, que ainda conta com jardins e árvores nas aberturas laterais, aumentando o conforto térmico na área interna da arena.

“Visualmente, o gramado continua pelos quatro cantos do campo, subindo pelos taludes que estão na base dos grandes pórticos que sustentam as coberturas. Quem estiver fora terá uma visão parcial do interior da arena”, disse o arquiteto Sérgio Coelho, sócio-fundador da empresa responsável pelo projeto do estádio.

Construída em uma área de 300 mil metros quadrados, que conta com bosque e lago, a Arena Pantanal tem uma esplanada com 93 mil metros quadrados, ao seu redor, feita para facilitar a circulação dos torcedores. O local foi pensado para abrigar diversos tipos de eventos e será um novo ponto de lazer para os cuiabanos, com restaurante, bares, passarela, jardins e uma escadaria, que pode servir como palcos de shows.

“Será um verdadeiro ponto de encontro da cidade, com uma arena verdadeiramente multiuso. Tenho certeza que as pessoas virão para cá e se sentirão em casa. Estamos nos preparando e vamos dar segurança total a todos”, comenta Silval Barbosa, governador de Mato Grosso. A expectativa do governo local é terceirizar a gestão da arena para a iniciativa privada, após a Copa do Mundo.

——

Arena Pantanal: campo com grama da espécie Bermuda Tifgrand está pronto para a bola rolar

Conheça os detalhes desde o plantio do gramado até a manutenção após as partidas com o encarregado pelo “tapete verde” do estádio

O gramado da Arena Pantanal está pronto para receber as partidas previstas para Cuiabá na Copa do Mundo. Com dimensões de 105 por 68 metros, o campo recebeu a grama da espécie Bermuda Tifgrand, que suporta temperaturas mais elevadas, e foi plantado em mudas. O processo durou 16 horas e foi finalizado no início de dezembro de 2013.

Encarregado por cuidar do “tapete verde” da arena, Vanderley Barbosa explica como foi o plantio. “Começamos com o plantio à mão, depois molhamos a grama até ela enraizar. Há partes do campo em que a grama vai morrendo, o que é normal, até porque a outra parte que enraizou primeiro fica mais forte. Depois adubamos e pulverizamos para combater lagartas, fungos e pragas. Essa grama não cresce para cima, ela é rasteira. Foi um processo de adubação, pulverização e de cortes para dar esse crescimento, para chegarmos nesse ponto, em que ela está pronta para os jogos”.

O técnico explica que a grama Bermuda é mais resistente e tem recuperação e crescimento mais rápidos do que espécies como a Esmeralda. “A Bermuda é mais forte quanto às pragas e o processo dela é mais rápido. Por exemplo, se alguém der um carrinho no gramado e fizer um buraco, a gente joga adubo e tampa o buraco, que rapidamente volta a crescer”. Prevenção feita até no intervalo dos jogos. “No intervalo a gente às vezes dá uma olhada, mas depois do jogo tenho que ir lá e corrigir os buracos de chuteira. O cuidado é até maior que antes da partida”.

Os cortes também ajudam no desenvolvimento da grama e para isso, há uma máquina específica que dá a altura desejada para o campo e que também faz os desenhos no gramado. “Temos que ter cuidado para não cortar muito, porque o verde da Bermuda é pouco. Então a gente faz o corte com 21 milímetros, que é uma altura boa. Tem uma máquina especial, com cilindros, ela não tem faca, que fazem o corte ficar mais bonito. Eles fazem essa faixa e contra faixa, dependendo do sentido que eu ando com ela. Muita gente acha que a grama foi pintada, mas a grama foi penteada de um lado e do outro”, revela Barbosa, que poda o local em dias alternados.

CONHEÇA OS DETALHES DO NOVO ESTÁDIO DE CUIABÁ

 

 

FONTE PORTAL DA COPA

Categorias:Beleza Pura

Sem comentários. Seja o primeiro a comentar

Assinar feed dos Comentários

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

12 − 1 =